O que diferencia os conservadores dos progressistas, em linhas gerais, são os valores inegociáveis que baseiam o primeiro grupo enquanto a relatividade caracteriza o segundo. Quer um exemplo? Os conservadores sempre serão contra a cultura da morte imposta pelo aborto, pois o direito à vida é inalienável, devendo, portanto, ser protegido desde a sua concepção até seu fim natural. Por outro lado, os progressistas acreditam que, por um bem maior, vale à pena que alguém perca sua vida. Veja o caso do jornalista Hélio Schwartsman, da Folha, que desejou a morte do presidente, já que, segundo seus valores relativos, desejar a morte de outrem não será um mal em si, desde que o ganho com esse evento seja proporcionalmente compensador. Dito isso, passemos aos quatro princípios básicos que norteiam o conservadorismo. Aproveite e veja à quantas anda o seu entendimento do que está em jogo e do que temos que abrir mão ao nos definirmos como conservadores.

O primeiro princípio do conservadorismo é que a humanidade é falha. Sendo assim, o homem pode ser bom ou mal, bom e mal. Deste modo, a ninguém deve ser dado poder absoluto, pois, corruptível como o homem é, o seu potencial de causar danos ao outro é imenso.

Segundo Rousseau, o homem é bom, a sociedade o corrompe. Por outro lado, se isso fosse verdade, nenhum governo seria necessário para tolher a maldade humana e nem para incentivar o seu lado bom. Viveríamos todos no paraíso.

Conservadores tem a firme consciência das limitações humanas. Em razão disso, lidam melhor com o bem e o mal diários.

Marxistas acreditam que a sociedade capitalista faz o homem ser mal. Neste aspecto, os conservadores acreditam que o homem, por ser capaz de fazer o bem e o mal, o fará em qualquer tipo de sociedade em que estiver inserido. Eles são traços inerentemente humanos, apenas nos esforçamos para que o lado bom vença na maioria das vezes.

O segundo princípio é de que os indivíduos precedem aos governos e, por isso, possuem direitos que excedem às constituições nacionais ou aos tratados internacionais. O individuo é anterior às constituições, anterior às nações e, ao próprio Estado, que, aliás, não existe sem que o indivíduo exista.

O conservador acredita que todos os seres humanos possuem seu valor pelo simples fato de o próprio Deus estar em cada um de nós; creiamos ou não. Não nos baseamos nas qualidades, haja vista que muitas vezes não conseguimos vê-las no outro, no entanto, sabemos que a natureza divina habita em nós, assim como a natureza humana, que nos faz venais, estúpidos, maledicentes…

O terceiro princípio é o de que todos são responsáveis pelos atos que praticam, desde que tenham consciência do que fizeram.

O conservador acredita que o ser humano é responsável pelas escolhas que faz e que sofrer as consequências é o caminho natural da vida. Se alguém decide sair de casa e roubar o que pertence a outra pessoa, a consequência pode ser a morte ou a prisão. Ele é o único responsável pela decisão tomada e é quem deve sofrer as consequências.

O quarto princípio é que os governos foram criados para protegerem os direitos pré-existentes de cada indivíduo e não para ataca-los. Quando os ataca, perde sua legitimidade e se torna um governo tirânico.

O conservador acredita que o governo está lá para proteger o indivíduo das outras pessoas que tentam invadir o direito natural dele, entretanto, se o próprio governo se torna esse invasor, ele se torna um problema e não a solução, precisando, portanto, ser substituído.

Obrigado pela leitura! Eu fico por aqui.! Até a próxima!
Siga-me no Parler:  @Jota71alves
Dica de livro: A Vida Intelectual, A. D. Sertillanges

João Alves
Acompanhe me
Últimos posts por João Alves (exibir todos)
Subscribe
Notify of
guest
7 Comentários
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Sander Souza
Sander Souza
30 dias atrás

Parabéns pelo excelente artigo!
Precisamos compartilhar este tipo de informação com o maior número de pessoas possível! Muitos se consideram conservadores, porém desconhecem estes princípios do Conservadorismo!

Moises
Moises
30 dias atrás

Eatou aprendendo muito com esses artigos

Evinha
Evinha
30 dias atrás

Grata pela explicação simples e objetiva sobre o conservadorismo.
Gostei muito!!
🇧🇷 DEUS ABENÇOE O BRASIL 🇧🇷

Mauro Tagliari
Mauro Tagliari
30 dias atrás

Parabéns. Belo artigo!

Nunes
Admin
30 dias atrás

Excelente artigo meu amigo João Alves. O artigo de hoje é um pontapé inicial para separarmos os verdadeiros conservadores.

Renato Borges
Renato Borges
29 dias atrás

Muito bom, parabéns.

Nelson
Nelson
24 dias atrás

Excelente artigo. Vale a leitura. Parabéns João!