A maioria das mídias independentes conservadoras surgiu da necessidade de se garantir voz a esta parcela da nossa sociedade que, mesmo sendo a parcela majoritária da nossa população, teve a sua voz cerceada e o seu acesso à verdade vedado pela mídia tradicional em favor de apenas um grupo de pessoas e de narrativas que omitem a verdade em favor de um projeto de poder que beneficia a poucos.

Uma sociedade que se quer democrática deve permitir a livre manifestação do pensamento e a pluralidade de ideias. Porém, no Brasil atual, assumir o compromisso de defender determinados valores se tornou algo perigoso, pois há membros das nossas mais importantes instituições de Estado que se concederam as prerrogativas de censores e editores da sociedade, mesmo sem qualquer respaldo legal que lhes dê embasamento para tais ações, e que punem com todo o rigor que suas mentes perversas são capazes de conceber.

Todos aqueles que erguem as suas vozes contra os arbítrios e o autoritarismo que têm impedido a livre manifestação do pensamento, seja por parte dos cidadãos comuns, seja por parte de veículos de comunicação, correm o risco de serem considerados uma “ameaça” à democracia e apontar atos ilegais perpetrados por autoridades pode ser considerado um “ataque às instituições” e “atos antidemocráticos”.

É grande o esforço para que o Brasil seja transformado numa democracia de pensamento único, onde só podem gozar da liberdade de expressão aqueles que concordam com as narrativas impostas pelo establishment. É contra tudo isto que a mídia independente vem lutando.

E não é tarefa fácil. Além do risco de sermos enquadrados dentro de inquéritos ilegais e termos os nossos direitos cassados de forma arbitrária, também enfrentamos outros riscos. O “cancelamento” promovido por hordas de militantes que defendem as falsas narrativas; o assédio moral fora das redes sociais, colocando em risco famílias, empregos e negócios; e a própria concorrência com a velha mídia, que recebe patrocínios vultosos de empresas e pessoas que já abraçaram as causas que nós conservadores repudiamos.

Além dos inimigos externos, há ainda aqueles que se dizem aliados mas que tem como objetivo apenas a obtenção de vantagens pessoais ou a satisfação de seus próprios egos.

Em suma, além de enfrentar os abusos autoritários e as perseguições de membros das nossas instituições; enfrentar o risco de ser presos ou ter confiscados recursos financeiros obtidos de forma legal; enfrentar a perseguição da militância esquerdista/globalista/progressista nas redes sociais e na vida real; enfrentar a concorrência desproporcional com os veículos de mídia comprometidos com interesses contrários aos da maioria das pessoas; ainda temos que enfrentar o ego do ser humano. Conciliar os esforços e recursos necessários para lutar nesta guerra é uma tarefa quase impossível.

Mas estamos aqui, apesar de todas as dificuldades, lutando para cumprir com o nosso papel da melhor maneira possível. Estamos cientes das nossas limitações e trabalhamos de forma árdua para melhorarmos a qualidade do nosso trabalho. Infelizmente nem todos são capazes de enxergar além do próprio umbigo e reconhecer o esforço que nós fazemos diariamente para manter o portal Vida Destra no ar e contribuindo com sua parte nesta luta por um Brasil melhor.

Por isso pedimos aos nossos amigos, colaboradores e leitores que valorizem o esforço daqueles que doam o seu tempo, seus recursos, seu conhecimento e seu trabalho, para fazer este projeto acontecer, sem ganhar nada em troca além da certeza de estar lutando do lado correto e defendendo os verdadeiros valores da nossa sociedade.

Aos que nos entendem e apoiam todos os dias, o nosso mais sincero obrigado!🤝

 

 

Vamos discutir o Tema. Sigam o perfil do Vida Destra no Twitter @vidadestra 

 

Receba de forma ágil todo o nosso conteúdo através do nosso canal no Telegram!

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments