Tragédia Brasileira – Parte II: Os Pobres

    Eu só quero é ser feliz. Andar tranquilamente na favela onde eu nasci E poder me orgulhar e ter a consciência que o pobre tem seu lugar. (“Rap da Felicidade”, Cidinho e Doca) Nossa formação cristã torna bastante tentador retirar dos pobres toda a responsabilidade por sua própria condição desfavorecida. É simplesmente incômodo dizer que os socialmente vulneráveis concorrem para sua própria pobreza. Parece elitista, esnobe, desumano. O problema é que é verdade. Pobres são parcialmente responsáveis por sua situação social adversa. Seja quando aceitam o jogo do…

Ler mais

A Tragédia Brasileira – Parte I: professores

De todos os absurdos que compõem a humilhante rotina de ser brasileiro, talvez não haja um mais ultrajante do que aquele que insistimos em dar o nome de educação. Refiro-me aqui mais diretamente à educação escolar, da qual participo como professor, mas não há como afastar a convicção de que se trata de problema cujos limites, se é que existem, estão muito além dos muros da escola. Família, governo, universidades e professores acusam-se mutuamente enquanto cada um dá sua própria contribuição para a grande merda coletiva nacional. Nas aulas de…

Ler mais