Há tempos que estamos alertando os nossos leitores da necessidade da união dos membros da Direita em torno de objetivos comuns, para que possamos enfrentar os adversários políticos que farão de tudo para retomar o poder nas eleições do ano que vem. É necessário ter em mente que os nossos adversários não lutam apenas contra esta ou aquela corrente ou grupo da Direita, mas luta contra todos nós, igualmente.

Infelizmente, a desunião é grande, e ocorre pelos mais variados motivos. E a pior desunião é aquela que ocorre justamente entre aqueles que, por sua posição política ou pela audiência que possuem na mídia e nas redes sociais, deveriam influenciar positivamente os membros da Direita, os Conservadores e os liberais, e uni-los no combate contra os adversários em comum.

Na prática, porém, é cada um por si e Deus por todos. E as pessoas que elegemos em 2018, que ocupam posições onde poderiam fazer algo de concreto em favor do país e pela luta política e ideológica que travamos, em sua maioria se mostraram inaptos. Alguns parecem deslumbrados com o poder adquirido, outros parecem ser cegos políticos que não conseguem enxergar as necessidades que a guerra ideológica atual possui.

Alguns parlamentares de direita parecem acreditar que o seu campo de batalha se resume a subir uma hashtag que termine o dia entre os assuntos mais comentados. Enquanto isso, os adversários avançam dia após dia no campo político, ocupando espaços que deveriam ser ocupados por nós. Muitos olham apenas para as eleições de 2022 e creem que a vitória de Bolsonaro é suficiente, e que esta é a única meta a ser alcançada. Porém, é preciso que se olhe além de 2026, e que se pense no futuro do Brasil no médio e longo prazos, ou correremos o risco de reconstruir o país e colocá-lo nos trilhos do progresso e do desenvolvimento apenas para entregá-lo de volta à esquerda no futuro.

Subestimar a esquerda e o establishment é um erro. Nossa liderança precisa fomentar o surgimento de novos líderes e de pessoas que possam trabalhar em suas comunidades, focando no fortalecimento dos valores conservadores, resgatando e protegendo os valores familiares e da nossa fé. A luta é muito mais ampla do que muitos pensam,  e exige muito mais engajamento do que aquele proporcionado pelas redes sociais. Aliás,  todos sabemos que não podemos depender exclusivamente das tais redes, pois podemos ser (e seremos) banidos com a maior facilidade.

O grande trabalho a ser feito pela Direita é junto ao povo, nas ruas, esclarecendo as pessoas e destruindo as narrativas que correm pelo país. E para que sejamos bem sucedidos, a união de esforços é fundamental.

O Brasil é maior que os egos de muitos.

 

 

Vamos discutir o Tema. Sigam o perfil do Vida Destra no Twitter @vidadestra 

 

Receba de forma ágil todo o nosso conteúdo, através do nosso canal no Telegram!

Últimos posts por Vida Destra (exibir todos)
Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Alvaro
Alvaro
6 meses atrás

Exatamente o ponto central, a união. Sem essa união não seremos um país com direção e vento a nosso favor, seremos como uma biruta de aeroporto indo onde o vento determina e não onde nossos objetivos devem chegar A cada minuto a esquerda inventa uma nova coisa, usa de recursos baixos e podres e temos que combater e mostrar ao povo os erros e não deixar a mentira ganhar força. Só a união irá fazer do Brasil um país forte, de direita e com princípios e ética, sem isso poderemos seguir o exemplo de nossos vizinhos argentinos e entregando ao… Read more »

Omar Hable
Omar Hable
6 meses atrás

Tenho falado incessantemente, que a direita precisa se organizar e buscar temas em comum, causas que possa reunir os que dizem defender a Liberdade, livre mercado, princípios cristãos e capitalismo. A esquerda que detestamos estava arruinada a quarenta anos atrás e hoje detém a hegemonia em vários setores. Precisamos aprender a prestigiar projetos, personalidades e o pensamento gerado pela direita. Não há alternativa a isso.