Quem me acompanha, aqui e em meu blog, sabe que sou descendente de japoneses e que vivo há muitos anos na Terra do Sol Nascente. Vivo na província de Aichi, na região central do Japão, província cuja capital é a cidade de Nagoya, e que é a segunda em número de casos registrados de Covid-19, com 134 casos, atrás apenas da província de Hokkaido, com 157 casos registrados. Em todo o Japão, hoje (20/03/2020) segundo dados da emissora estatal NHK, são 1675 casos confirmados e 40 vítimas fatais. Diante da atual pandemia de Covid-19, que está causando pânico, histeria e está derretendo economias mundo afora, me senti no dever de escrever este artigo, onde quero compartilhar com vocês a minha experiência com estas epidemias. Afinal, como todos bem lembram, e a despeito do que possam dizer as autoridades chinesas, não é a primeira vez em anos recentes que enfrentamos problemas de saúde pública devido a vírus vindos da China!

O Japão, depois da própria China, foi um dos primeiros países a apresentar pessoas contaminadas com o novo coronavírus. Isto já era esperado, dado o intenso fluxo de pessoas que transitam entre os dois países, que são grandes parceiros comerciais. Porém, apesar de ser um país com alta taxa de longevidade, e com um percentual alto de idosos em relação ao total da população, aqui o Covid-19 não causou tantas vítimas como vem causando na Itália, por exemplo! O que muita gente aí no Brasil não sabe, é que existem muitos motivos que estão proporcionando ao Japão passar por esta epidemia sem grandes problemas!

Lembremos que estamos nos referindo a um país com 125 milhões de habitantes, espremidos em um arquipélago com pouco mais de 377 mil km quadrados de área, o que faz com que a densidade demográfica seja uma das mais altas do mundo! Ou seja, deveria ser um terreno fértil para que o vírus se espalhasse com rapidez, mas não foi o que aconteceu! Não estamos confinados em nossas casas e as empresas não foram sumariamente proibidas de funcionarem. Algumas empresas adotaram o trabalho via Home Office, e muitas fábricas foram obrigadas a parar temporariamente por falta de componentes vindos da China e porque não podem despachar os produtos prontos para lá. Foram cancelados alguns eventos esportivos e outros que agrupem grande número de pessoas. E as atividades extra-curriculares das escolas foram canceladas, lembrando que aqui no Japão o ano letivo começa apenas em Abril, os estudantes encontram-se em férias! Fora isso, tudo está funcionando normalmente! E por que não houve uma explosão de casos do Covid-19 aqui?

São vários os fatores que contribuíram para que o Japão tivesse um êxito maior que outras nações no controle desta epidemia. Creio que os fatores que mais pesaram são os fatores culturais. O povo japonês não é um povo tão caloroso como os italianos ou os latinos. Aqui as pessoas não se abraçam, nem se cumprimentam com beijos no rosto, aliás sequer se tocam ao se cumprimentarem, usando apenas uma leve curvatura do corpo para isto. Também não é considerado de bom tom se aproximar demais do interlocutor durante uma conversa, a menos que se trate de amigos muito próximos. Este distanciamento entre as pessoas no convívio social contribui para se evitar a contágio não apenas do coronavírus, mas de vários outros patógenos também! Também não é comum por aqui receber a visita de amigos e familiares em casa! Devido à falta de espaço nas minusculas residências japonesas, a maioria das pessoas se encontram em espaços públicos, como restaurantes ou parques. Atualmente, como precaução, as pessoas tem evitado estes encontros!

Além disso, o uso de máscaras descartáveis é comum por aqui! Qualquer pessoa gripada usa máscara para evitar que outras pessoas possam contrair a doença. É uma regra de etiqueta aqui! O hábito de usar desinfetante para as mãos e de lavar as mãos com frequência também são disseminados e são algo corriqueiro. As crianças já aprendem nas creches acerca do uso de máscaras e a lavar as mãos! O hábito de tirar os sapatos ao entrar em casa também contribui para que os germes vindos da rua não entrem no ambiente doméstico! E outro hábito que é bastante incentivado aqui é o gargarejo! Aconselha-se a lavar as mãos e o rosto sempre que voltar da rua e fazer um gargarejo para limpar a boca e a garganta! Não vi ninguém aconselhando isso aí no Brasil, portanto fica aqui a dica!

Depois de um inverno mais ameno que o normal, estamos agora iniciando a primavera, a estação do ano celebrada por muitos como a mais bela, pela floração das lindas cerejeiras! Mas para os alérgicos, como eu, esta estação é terrível, devido ao Kafunshou, ou polinose, alergia ao pólen! O excesso de pólen na atmosfera nesta época do ano causa ardência e coceira nos olhos, irritação na garganta e nariz, provocando uma coriza intensa! Por estes motivos, muitos japoneses evitam ao máximo atividades ao ar livre nesta época do ano, e saem de casa usando máscaras! Então, mesmo que não estivéssemos no meio de uma epidemia, muitas pessoas já estariam usando máscaras!

Outro fato que muitos brasileiros desconhecem, é que todos os anos durante o inverno, enfrentamos epidemias de influenza por aqui. O coronavírus pertence à família dos vírus da influenza, assim como o da SARS e da MERS e o famoso H1N1. Infelizmente estamos acostumados a enfrentar anualmente estes vírus, cada ano uma variedade diferente. Por isso, os procedimentos de precaução não nos são estranhos, já estamos habituados a estes procedimentos e eles já fazem parte dos cuidados básicos do dia a dia. Esta experiência nos ajuda a enfrentar os problemas sem histeria ou pânico. O sistema médico também já está preparado para enfrentar esses vírus recorrentes!

Quando costumo relatar como as coisas são aqui, o que mais ouço e leio é que “não dá pra comparar o Brasil com o Japão“! Claro que não se trata de comparar os dois países, são extremamente diferentes, incomparáveis por várias razões! Trata-se, na verdade, de aprender com as experiências bem sucedidas de outros povos no enfrentamento de problemas comuns! Por que o brasileiro não pode aprender novos hábitos com os japoneses, se são hábitos que podem salvar vidas? Às vezes tenho a impressão que alguns brasileiros se consideram incapazes, inferiores, como se nós não fossemos capazes de assimilar novas atitudes, evoluindo como pessoas, como cidadãos e como sociedade. Discordo de quem pensa assim!

Enfim, aqui no Japão estamos enfrentando o Covid-19 com serenidade, cientes que nossas atitudes de prevenção são eficazes e nos protegerão deste vírus, como já nos protegeu de outros no passado. Além das precauções, como o uso de máscaras ou álcool gel, uma vida saudável, com exercícios físicos e uma alimentação balanceada ajudam muito também! Aqui é comum vermos os idosos caminhando logo pela manhã, faça chuva ou faça sol! O cuidado com a própria saúde vai além dos momentos de epidemias! É algo que faz parte do dia a dia. O Covid-19 não é tão letal como outros coronavírus que já enfrentamos no passado, e o que aumenta a probabilidade de mortes é a condição prévia da saúde de cada pessoa! Por isso, aqui no Japão, a preocupação com a própria saúde vai além destes pequenos cuidados diários e envolve a prática de exercícios físicos e uma alimentação saudável.

Antes que algum crítico venha dizer que no Brasil a realidade não permite que as pessoas tenham uma vida saudável, já digo que caminhada é gratuita, e que aí no Brasil a variedade de frutas e verduras disponíveis é muito maior que a que temos aqui! E aqui as frutas custam os olhos da cara! “Ain você não tem ideia dos preços das frutas aqui”,  podem dizer alguns! Pois eu duvido que alguém aí no Brasil tenha que pagar US$ 10 dólares caso queira comer um mamão papaya! Além disso, muitas pessoas tem a possibilidade de plantar uma horta no próprio quintal, o que não é possível aqui, já que aqui quintal é um luxo que a maioria esmagadora das casas não possuem!

A maior preocupação das pessoas hoje, é com o futuro da economia. A epidemia logo passará, como as outras passaram. No meu caso, esse Covid-19 acabou com o meu ano de 2020, economicamente falando!

Amigos, eu já contrai influenza no passado, e sei que não é uma experiência pela qual alguém queira passar. Mas estou aqui, sobrevivi e espero continuar sobrevivendo a estes vírus. Sem histeria, sem medo, reconhecendo que o inimigo, apesar de invisível, não é tão perigoso quanto querem fazer crer. Tomem as precauções necessárias e sigam as recomendações das autoridades. E lembrem-se: cuidar da própria saúde é algo que deve ser feito todos os dias, o ano todo, pela vida inteira!

 

Sander Souza, direto do Japão para Vida Destra, 20/03/2020

Sigam-me no Twitter! Vamos debater! @srsjoejp

Sander Souza
Acompanhe me
Últimos posts por Sander Souza (exibir todos)
Subscribe
Notify of
guest
10 Comentários
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Rita Sakano
Rita Sakano
2 meses atrás

Olá!! Sander Souza. Assino embaixo!! Na minha região, Gunma Ken, a vida segue normal. Recebemos da nosssa prefeitura e comunidade orientações, para qualquer problema de saúde referente a gripe. Temos pelo governo provincial telefone para emergências em caso de gripe.

Paula
Paula
2 meses atrás

Gostei da matéria. Sim… Nós brasileiros somos muito empáticos e carinhosos o que, neste caso é um malefício à nossa saúde. Além do fato de não termos o hábito do uso de máscaras, tirar sapatos e se higienizar com álcool ao entrar em nossas residências… Algo que estamos tendo que nos adaptar. Bom, peço a DEUS que tanto no Brasil, como no Japão ou qualquer parte do mundo essa pandemia se extinga e que possamos voltar a ter uma vida saudável e feliz. Um abraço… Ops… Atenciosamente: Paula Reis

Sander Souza
Sander Souza
Reply to  Paula
2 meses atrás

Muito obrigado, Paula, por ler e comentar!
Fico feliz que tenha gostado da matéria e assim como você, também espero que tudo termine o quanto antes!

Luiza Menezes
Luiza Menezes
2 meses atrás

Enquanto isso, no Brasil, vc vê aglomerações em supermercados, filas enormes, um fungando no pescoço do outro, para fazer estoque de alcool gel. Educação, amigo, é o que nos falta.

Sander Souza
Sander Souza
Reply to  Luiza Menezes
2 meses atrás

Muito obrigado por ler e comentar, Luíza!
Concordo com você, a educação faz uma grande diferença em momentos como este!
Mas sempre podemos aprender novos hábitos! Espero ter contribuído para que os cuidados sejam mais efetivos!

jnickz szelmed mourah
jnickz szelmed mourah
2 meses atrás

Informações de preciosissimas valias que contribuem para desde de já mudarmos dezenas de hábitos culturais que certamente só auxiliam na redução do contágio. Abraços.

Sander Souza
Sander Souza
Reply to  jnickz szelmed mourah
2 meses atrás

Muito obrigado por ler e comentar!
Fico feliz por considerar as informações úteis!

jnickz szelmed mourah
jnickz szelmed mourah
2 meses atrás

Dicas de alta preciosidades e valias que contribuem para desde já mudarmos dezenas de hábitos culturais que certamente só auxiliam na redução do contágio. Abraços.

Sander Souza
Sander Souza
Reply to  jnickz szelmed mourah
2 meses atrás

Muito obrigado por ler e comentar!
Fico feliz em saber que as informações lhe são úteis! Abraço!