Prezados leitores:

Seguimos com o nosso compromisso de trazer até vocês, todos os sábados, artigos sobre temas relevantes, publicados pela imprensa internacional, e traduzidos pela nossa colaboradora, a tradutora profissional Telma Regina Matheus. Apreciem!

 

Horripilante: a roupa especial que Epstein queria que a adolescente usasse enquanto o atendia – Testemunho

 

Fonte: The Western Journal

Título Original: Horrifying: The Special Outfit Epstein Wanted Teen Girl to Wear as She Serviced Him – Testimony

Link para a matéria original: aqui!

Publicado em 6 de dezembro de 2021

 

Autora: Isa Cox

 

Não há dúvida. Jeffrey Epstein passará para a história como um dos mais notórios criminosos sexuais que assediava mulheres jovens e vulneráveis.

Entretanto, embora até o momento já esteja delineado o retrato de um homem que usou e abusou de garotas adolescentes, o testemunho fornecido durante o julgamento de sua cúmplice e confidente de longa data, Ghislaine Maxwell, enfatiza que o perverso financista pode ter sido ainda mais obcecado por crianças do que havíamos imaginado.

Prepare-se – isso é demasiadamente perturbador, mesmo para uma história envolvendo Epstein.

Uma mulher usando o pseudônimo “Kate” depôs na manhã de segunda-feira. Segundo a Reuters, ela é a segunda de quatro mulheres listadas no indiciamento contra Maxwell. À época de seus encontros sexuais com Epstein, [agora] denunciados, ela estava com 17 anos – ou seja, acima da idade de consentimento relevante – e, por isso, o júri foi instruído a considerar que ela não se envolveu em “atos sexuais ilegais” com o pervertido, hoje falecido.

Embora o Times tenha divulgado um certo desacordo entre a promotoria e os advogados de Maxwell, sobre se “Kate” poderia ser considerada uma vítima quando ela diz ter caído nas garras de Epstein e Maxwell, a história [que ela conta], mesmo assim, retrata um homem que, no mínimo, decididamente apreciava a ideia de atos sexuais com crianças.

“Acontece que o papel da Sra. Maxwell no aliciamento de Kate, para que participasse de atos sexuais com o Sr. Epstein, era parte e, portanto, constitui prova das acusações contra a Sra. Maxwell, de conspiração”, escreveram os promotores em documentos do tribunal, de acordo com o The New York Times. Além disso, [os promotores] ressaltaram que Kate ainda era menor de idade quando, supostamente, foi aliciada por Maxwell e Epstein.

Sejam quais forem as tecnicalidades jurídicas, claro está que “Kate”, que afirmou ter ficado inicialmente “entusiasmada” com a amizade de Maxwell quando esta lhe prometeu ajuda em sua carreira musical… claro está que aproveitaram-se de Kate e trataram sua juventude como um fetiche.

The New York Post publicou, na manhã de segunda-feira, que Kate testemunhou ter sido instruída por Maxwell a vestir um uniforme de estudante para, assim, servir Epstein em sua mansão de Palm Beach. Inclusive ouviu que era “uma boa garota”, após o perverso pedófilo demonstrar satisfação com seus, digamos, “serviços”.

Kate disse ter se encontrado com Epstein e Maxwell em Paris, no início dos anos 1990, e foi orientada a fazer massagens sexuais em Epstein – primeiramente, na mansão de Maxwell em Londres e então, mais tarde, manteve relações sexuais com ele, em sua própria e famosa propriedade na Flórida.

Maxwell, que está sendo julgada por tráfico e abuso sexual, foi acusada de recrutamento e aliciamento de mulheres jovens e adolescentes, as quais foram submetidas aos abusos de Epstein e, em algumas ocasiões, aos abusos dela própria.

Em Londres, Maxwell levou Kate a uma sala de massagens, em sua residência londrina, onde a “madame”, agora ré, disse à Kate… “divirta-se”… enquanto abria a porta para revelar um Epstein nu e pronto para o (argh!) serviço.

Ao final do encontro, Maxwell disse a Kate que ela era “uma boa garota” e que estava “muito feliz” com sua vinda.

Kate notou que Maxwell “parecia realmente satisfeita”.

Em Palm Beach, Kate, assim que chegou para visitar o notório e poderoso casal, encontrou uma fantasia completa de estudante estendida em sua cama – saia, meias brancas e blusa.

Maxwell disse a ela que seria “divertido” se Kate usasse a fantasia para levar o chá para Epstein.

Considerando o que já é bem conhecido sobre o relacionamento entre Epstein e Maxwell – que ela bancou a cafetina de Epstein por mais de uma década, é justo concluirmos que Maxwell simplesmente sabia que o uniforme de estudante não seria “divertido” se ela mesma o vestisse. Ela sabia o que Epstein queria.

De acordo com o Post, Kate testemunhou que, então, lhe deram uma bandeja para levar o chá de Epstein no local onde, depois, mantiveram relações sexuais na piscina.

Na semana passada, uma testemunha de acusação identificada como “Jane” declarou que Maxwell e Epstein também tinham se interessado por suas aspirações criativas, comportando-se de maneira amigável e inclusive financiando lições de música, antes que começassem a abusar sexualmente dela.

Não há qualquer dúvida quanto às constantes acusações de que Epstein assediava mulheres jovens, vulneráveis e facilmente influenciáveis.

E, embora o testemunho perturbador de Kate esteja alinhado com esse tema, torna-se claro que ele não estava simplesmente interessado em mulheres jovens e menores de idade.

Aparentemente, ele estava interessado em garotinhas e, segundo o relato [de Kate], ele gostava da sensação de ser servido.

As supostas vítimas de Epstein, com frequência, eram mencionadas como suas “escravas sexuais”. Acho que nunca ficou tão claro que era exatamente isso que elas eram.

 

*Isa cresceu em San Francisco, onde, por um breve período, foi ativista do socialismo de extrema-esquerda; isso antes de encontrar Jesus e conhecer seu marido, no Havaí. Hoje, ela educa seus dois filhos pelo método homeschooling e faz trabalhos freelance nos Ozarks.

 

 

Traduzido por Telma Regina Matheus, para Vida Destra, 11/12/2021.                                  Faça uma cotação e contrate meus trabalhos através do e-mail  [email protected] ou Twitter @TRMatheus

 

Receba de forma ágil todo o nosso conteúdo, através do nosso canal no Telegram!

 

As informações e opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade de seu(s) respectivo(s) autor(es), e não expressam necessariamente a opinião do Vida Destra. Para entrar em contato, envie um e-mail ao [email protected]
Acompanhe me
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments