Como tudo no Brasil está sendo levado para o âmbito político os festivais de músicas não seriam diferentes. O Lollapalooza de 2022 nos mostrou como a “classe artística nacional” está preocupada com a política nacional e o que era para ser um evento de música – mesmo que ruim – se tornou um palanque político e se continuar nessa “pegada” o Rock in Rio – que não tem mais rock – também seguirá assim.

Lembro-me de quando mais novo ouvir histórias e estudar os festivais de músicas que eram formas de “combater” um governo “maldoso”. Lembro-me também de ouvir que o Woodstock marcou a geração que viveu após a Segunda Guerra Mundial e o ápice da Guerra Fria, porém não entendia ao certo que tudo aquilo envolvia uma ideologia política e que essa ideologia destruiu várias vidas desde sua formulação por Karl Marx.

Jovens são, com exceções, um bando de drogados que acham que tem razão e pode fazer o que quiserem. Aliás, se os jovens são o futuro da nação nós estamos perdidos, como disse Chuck Klosterman em seu livro E se estivermos errados?: “O futuro é um adolescente viciado em crack que faz qualquer coisa que lhe vem na mente” e isso é uma constatação terrível e realista do futuro.

Hoje, enquanto estudamos momentos que realmente mudaram o curso da história social, daqui alguns anos estes jovens estudarão sobre como a “cantora” Anitta conseguiu o sonhado “empoderamento” feminino mostrando a bunda e não estudarão quem foi Marie Curie ou até pior, já estão colocando a Princesa Isabel como escravagista, sendo ela quem assinou a Lei Aurea e o mais importante, a primeira mulher a ter poder de decisão sobre a política nacional não foi a marionete do Lula e sim a D. Maria I e logo após a D. Leopoldina.

Pensando bem, temos tudo nas mãos para mudar esse cenário, mas os jovens preferem ouvir músicas de bandas e cantores como Fresno, Lulu Santos, Pablo Vittar – se você falar que canta mal será considerado homofóbico, mas não tem nada a ver com a música e sim com a falta de talento mesmo, vemos cantores como Elton John, Freddy Mercury e Rick Martin que possuem talento e são homossexuais – e o ícone do momento chamado Anitta. Atingiu o TOP 1 mundial no Spotify e sabem o que significa isso? Que bunda e sexualização da mulher dá dinheiro e fama, inflando assim seus egos medíocres.

Um exemplo de como os festivais estão perdendo suas essências para simplesmente “lacrar” é o caso do Rock in Rio, que ao ser criado teve o intuito de ser o maior festival de rock do mundo – conseguiu, mas nos últimos anos não é mais um festival de rock, aliás o próprio nome foi uma sacada de marketing do publicitário Roberto Medina. Porém, quando vemos o histórico das bandas que passaram pelos palcos, temos a impressão de ser realmente um festival de rock.

Além disso, não fui e não pretendo ir ao Rock in Rio. Eu até acredito que ninguém deveria ir lá, protestar contra o nome falso do evento. Mas entenda que se você for ao evento para prestigiar sua banda favorita, você também prestigiará o evento. E fica muito mais interessante aos olhos do empresário. A Rede Globo não liga para o rock; assim como qualquer empresário ou jornalista de sucesso. Estas pessoas querem se concentrar em onde está o dinheiro, onde está o bolso das massas, apenas isso.

Mas o Lollapalooza que ocorreu em 2022 se tornou um festival político e não musical, creio que muitos dos que estão lendo este artigo não devem saber quais foram as bandas que “lacraram” naqueles palcos e também sugiro nem procurarem saber quem são. Com exceção de meia dúzia que teve sucesso, os outros são conhecidos apenas por “adolescentes viciados em crack”, como diz Chuck Klosterman, e possuem um conhecimento sobre política igual ao que eu possuo sobre astrofísica. Impossível levar alguém a sério quando não se possui nenhum conhecimento. Enfim, é desse tipo de pessoas que os políticos vão atrás.

Veja bem qual a faixa etária desses jovens que frequentam eventos assim, a maioria está entrando na idade de voto facultativo (16-17 anos) e temos os que acabaram de fazer 18 anos, mal saíram do ensino médio e ainda acreditam que as ideologias de esquerda são democráticas. A hipocrisia sempre esteve de mãos dadas com a esquerda.

Estes mesmos jovens que são influenciados facilmente por uma classe que quer imitar, ou seja, temos jovens que assistem youtuber infanto-juvenil hipócrita, temos quem segue tudo que a cantora que tatuou o anus fala, temos quem acredita em partido político de trabalhador que não trabalha e o mais cômico, temos quem acredita que o nove dedos ajudou os pobres!

Por mais que eles gritassem “Fora Bolsonaro”, estava explicito que o festival foi para mostrar apoio ao nove dedos. A partir do ano de 2023, sugiro um novo nome para este evento: LULA-PALOOZA!

 

 

Lucas Barboza, para Vida Destra, 05/04/2022.                                                                Sigam-me no Twitter! Vamos conversar sobre o meu artigo! @BarbozaLucaas

 

Receba de forma ágil todo o nosso conteúdo, através do nosso canal no Telegram!

 

As informações e opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade de seu(s) respectivo(s) autor(es), e não expressam necessariamente a opinião do Vida Destra. Para entrar em contato, envie um e-mail ao [email protected]
Acompanhe me
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments