Ultimamente, assistir aos noticiários brasileiros se tornou uma tarefa bem mais difícil que o normal! Se não bastassem as manipulações normais às quais somos submetidos sistematicamente pela velha e corrompida imprensa, agora esta manipulação atingiu níveis inimagináveis, até para os autores de livros de ficção!

A manipulação é tanta, que chega a nos causar revolta, tamanho é o medo e o pavor que as notícias a respeito da pandemia de Covid-19 provocaram nas pessoas. Muitas se mostram tão histéricas em relação à doença, que estão aceitando medidas governamentais cada vez mais restritivas e invasivas, colocando todos sob o jugo de uma ditadura que, antes velada, a cada dia fica mais clara! E como em todas as ditaduras, todas as medidas arbitrárias (e muitas inconstitucionais) são tomadas em nome da defesa dos interesses da sociedade. Mas temos visto vários governantes flagrados desobedecendo às medidas que eles mesmos implementaram!

Isto tudo me faz desejar, com todas as forças, viver em um país onde as leis sejam respeitadas, e onde a Constituição seja o guia legal de todo jurista! Quero viver em um país onde o direito de ir e vir seja respeitado, e que dê ao cidadão a liberdade de decidir quando e onde usar as máscaras higiênicas, sem o temor das ameaças ou da truculência das autoridades, ou de multas abusivas! Desejo viver em um país onde os governantes compreendam que a economia é o nome dado ao conjunto das  relações comerciais e financeiras realizadas pelas pessoas, seja diretamente ou através de empresas constituídas por elas, e que não é possível dissociar a economia das pessoas; que valorize o trabalho, permitindo que os indivíduos e as empresas executem suas atividades profissionais livremente; que valorize a educação das crianças, permitindo que as escolas funcionem, tudo com as devidas precauções; quero viver em um país onde as autoridades municipais, estaduais e federais estejam em acordo em relação às medidas a serem adotadas para o combate à pandemia de Covid-19, realizando um trabalho conjunto, e onde a imprensa colabore exercendo o seu papel, divulgando a verdade, sem alarmar ou gerar pânico desnecessário na população!

Quero viver em pais onde as pessoas possam, apesar da pandemia, viver normalmente, mesmo com as precauções necessárias para se evitar o contágio e a proliferação da doença. E onde as pessoas não fiquem trancadas em casa, esperando  por uma vacina que pode demorar a chegar para todos, lembrando que até hoje não se têm vacinas 100% eficazes para os vários tipos de vírus causadores deste tipo de doença. Enfim, diante de tudo o que vejo nos noticiários brasileiros, tenho cada dia mais forte em mim o desejo de levar uma vida normal, e esquecer que houve um tempo no qual todos vivemos como se o mundo fosse acabar no dia seguinte!

Felizmente estes meus desejos são fáceis de serem realizados! Basta que eu desligue o noticiário brasileiro e olhe ao meu redor, para constatar que já vivo em um país assim, como descrevi! No meu caso, basta que eu abandone os noticiários tendenciosos e muitas vezes fantasiosos, e retorne à realidade!

Este é um ponto muito interessante, que sempre comento com meus amigos: o Brasil e o Japão estão tratando a epidemia de maneiras tão distintas que às vezes acho que não estamos lidando com a mesma doença! Não gosto de fazer comparações entre os dois países, pois os considero diferentes demais para permitir tal coisa, mas a diferença entre o dia a dia aqui e aí no Brasil é tão gritante que parece que vivemos num mundo paralelo! Não estamos opostos apenas geograficamente falando, mas estamos em lados opostos no que se refere à pandemia de Covid-19!

Este pequeno punhado de ilhas superpovoadas tinha tudo para ser um verdadeiro desastre de saúde publica, pois sabemos da alta transmissibilidade do coronavírus e como ele vitima principalmente os mais idosos. Apesar de todos os fatores contrários, o Japão está lidando bem com a pandemia: segundo dados divulgados em 20 de Julho, 25.791 pessoas contraíram a Covid-19 e 1001 pessoas morreram em decorrência da doença. Sem confinamento obrigatório ou medidas autoritárias. E ao contrário do que muitos pensam, o que fez a diferença aqui não foi a qualidade do sistema hospitalar, mas a atitude das pessoas, tanto as que estão no governo, como as da sociedade civil.

Espero que o Brasil volte a ter uma vida normal! E que aquilo que chamam de novo normal não venha prevalecer, ceifando definitivamente a liberdade das pessoas e implantando de forma definitiva uma cultura totalitária, onde os valores individuais são simplesmente suprimidos em favor de um suposto ganho da totalidade da sociedade; que as pessoas não permitam que, em plena era da informação, políticos e a mídia vendida lhes tape os olhos para a realidade, transportando-as para uma realidade alternativa, moldada segundo interesses escusos; que os brasileiros reajam, enquanto é tempo! Ou realmente passaremos a viver em mundos opostos!

 

Sander (ConexãoJapão), para Vida Destra, 21/7/2020.

Sigam-me no Twitter! Vamos conversar sobre o que acontece no Brasil! @srsjoejp

Sander Souza
Acompanhe me
Últimos posts por Sander Souza (exibir todos)
A partir de 1 de Fevereiro, não utilizaremos mais o Instagram e Whatsapp por causa da nova política do Face. Utilize nossos canais oficiais
📢 Canal Telegram 📢 t.me/vidadestra
👥Grupo Telegram 👥 t.me/VidaDestraGrupo
📰Canal Boletim Vida Destra 📰 t.me/BoletimVidaDestra
Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Davidson Oliveira
6 meses atrás

Como sempre, muito bom, Sander!

Sander Souza
Sander Souza
Reply to  Davidson José de Sousa Oliveira
6 meses atrás

Muito obrigado, meu amigo!

Livio Oliveira
6 meses atrás

Parabéns pelo esclarecedor artigo Sander!

Sander Souza
Sander Souza
Reply to  Livio Oliveira
6 meses atrás

Muito obrigado, Lívio!!

Nunes
Admin
6 meses atrás

Bom dia meu amigo. Como sempre, Conexão Japão tem uma ótima referência e comparativos de informações

Sander Souza
Sander Souza
Reply to  Nunes
6 meses atrás

Obrigado, meu amigo! Esse é o objetivo, mostrar os fatos de uma outra perspectiva, e neste caso específico, mostrar que existe solução e que só depende das nossas atitudes! Espero estar conseguindo transmitir as minhas observações!