Os brasileiros já devem estar fartos de ler e ouvir a respeito de supostos ataques antidemocráticos que nossas instituições de Estado estariam sofrendo, supostamente perpetrados pelo presidente da República, seus apoiadores e qualquer um que tenha discernimento político para perceber os movimentos da oposição.

Qualquer pessoa que tenha discernimento mínimo percebe facilmente que se trata de uma falácia. Os supostos ataques antidemocráticos nada mais são, em sua maioria, que simples críticas. E não são críticas às nossas instituições, mas críticas às pessoas que, com suas atitudes arbitrárias e sem qualquer respaldo legal, minam a credibilidade e prejudicam o funcionamento das nossas instituições.

São estas pessoas, que se apossaram das nossas mais altas instituições de Estado, que promovem os verdadeiros ataques à nossa democracia, ao ignorar a vontade popular mesmo com a nossa Constituição determinando expressamente que todo o poder emana do povo brasileiro. O povo, fonte de todo o poder destas pessoas e motivo da existência das instituições e do próprio Estado brasileiro, é ignorado e tratado com migalhas.

Estas pessoas insistem o tempo todo no discurso de que nossa democracia está em risco, mas atribuem este risco àquele que tem feito o que pode para tentar trazer nossas instituições de volta aos seus devidos lugares: o Presidente Jair Bolsonaro.

Estes agentes antidemocráticos que atacam de forma descarada o estado brasileiro agem em nome de seus próprios interesses e, principalmente, em nome de um projeto de poder que cooptou pessoas nos mais diversos níveis da administração pública. Mesmo que nossa Presidência da República seja atualmente ocupada por um homem de direita e que defende valores conservadores, o restante da estrutura estatal ainda permanece sob controle dos opositores, que ao longo de décadas foram aparelhando o Estado, tornando o processo de desaparelhamento complexo e lento.

Não podemos fechar os olhos e ignorar os verdadeiros agentes que agem contra a democracia brasileira. Supremo Tribunal Federal, Senado Federal, imprensa, classe artística, parlamentares e outros políticos, e empresários, agem de forma coordenada para que a falsa narrativa que diz que o Brasil está sob um governo de extrema-direita que planeja um golpe contra a democracia, seja espalhada não só dentro do nosso país mas também no exterior. Os autodeclarados defensores da democracia são justamente aqueles que planejam um golpe contra nossa democracia.

Lembramos que nossa democracia é golpeada toda vez que a vontade popular manifestada nas urnas é ignorada e todas as vezes que o presidente eleito pelos votos diretos dos eleitores é atacado e impedido de forma arbitrária e sem fundamentos legais de exercer suas prerrogativas e implementar a agenda política que venceu nas urnas. A vontade popular não é respeitada.

Se perguntarmos a qualquer um destes agentes que propagam desinformação quais os atos do governo e do Presidente Bolsonaro que se caracterizam como medidas antidemocráticas, muitos não serão capazes de responder e de defender com argumentos sólidos e lógicos a narrativa que ajudam a propagar. Aqueles que fizerem tais questionamentos certamente ouvirão uma enxurrada de chavões e frases de efeito repetitivas, antes de serem classificados como agentes da desinformação e incluídos no rol de pessoas que perpetram ataques contra as nossas instituições.

Graças a estes agentes antidemocráticos, a democracia  brasileira se tornou a única democracia conhecida que não permite que questionamentos sejam feitos e que os membros das instituições de estado sejam criticados e inquiridos acerca de suas decisões enquanto agentes públicos.

Não podemos nos calar e permitir que estas mentiras ditas por estes agentes que agem contra nossas instituições e contra os interesses nacionais sejam repetidas até que sejam aceitas como verdades. Devemos mostrar as mentiras como elas são, e mostrar os fatos como eles são. A verdade é perfeitamente clara e não é necessário grande esforço para a sua defesa.

E é este o papel da mídia independente: mostrar os fatos e levar às pessoas a verdade por trás das narrativas. Nossa missão é não permitir que as pessoas sejam enganadas por aqueles que agem para a implantação de um projeto de poder que beneficiará apenas um seleto grupo de escolhidos, enquanto os interesses da maioria serão ignorados e os críticos e opositores esmagados sem piedade. Este não é o país que queremos e lutaremos com todas as forças para impedir que estes agentes antidemocráticos sejam bem sucedidos em seus intentos.

 

 

Vamos discutir o Tema. Sigam o perfil do Vida Destra no Twitter @vidadestra 

 

Receba de forma ágil todo o nosso conteúdo através do nosso canal no Telegram!

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Alvaro
Alvaro
1 mês atrás

É exatamente esse o medo dos meios de comunicação comprometidos com o caos e a volta ao poder de quem destruiu o Brasil, em um país sério, com um Congresso forte isso nunca iria acontecer. É preciso, urgentemente uma reforma no regimento interno do Congresso e identificar todos parlamentares com “suspeição de voto” a não participarem de decisões onde deveriam se colocar como impedidos. Hoje acredito que 60% dos senadores tenham processos contundentes e robusto no STF, e assim se tornam reféns de seis votos pois não tem o caráter e ética para ir contra decisões inconstitucionais. É preciso, urgentemente,… Read more »

WELTON REIS DOS SANTOS
1 mês atrás

Uma forte contradição dos que se dizem democráticos foi o plebiscito a favor da comercialização de armas. Fizeram tanta propaganda para dificultar que até hoje temos dificuldade para comprar pelas exigências descabidas dos falsos democratas. Uma superior a todas contradições é o VOTO OBRIGATÓRIO! Os tais “democratas” não querem o voto livre, por que? Excelente artigo!