A revista digital Vida destra vem por meio desta nota, repudiar veementemente a recente exclusão sumária de uma de nossas postagens em nossa conta na rede social Facebook, sob a alegação de conter informações falsas.

Trata-se da tradução de uma matéria publicada por um veículo de mídia estrangeira, e que abordava os resultados de um estudo realizado em Stanford a respeito do uso de máscaras como forma de evitar a transmissão da covid-19, que trouxemos aos nossos leitores por acreditarmos que as pessoas merecem acesso às informações, e por acreditarmos que os nossos leitores são perfeitamente capazes de ler as informações e formular suas próprias opiniões.

Tal suposta verificação da veracidade do conteúdo foi feita pela Aos Fatos, que já mostrou em diversas ocasiões que não possui a isenção e a imparcialidade necessárias para querer atuar no papel de árbitro da Liberdade de Imprensa no Brasil.

Acreditamos que as Liberdades de Imprensa e de Expressão são  fundamentais para o funcionamento de um regime verdadeiramente democrático, e mais uma vez, registramos o nosso repúdio contra essa decisão arbitrária, e que prejudica o convívio democrático entre os veículos de mídia.

As pessoas tem o direito de avaliar por conta própria as informações que recebem. Não precisam de tutores ou de quem lhes mostre fatos como sendo verdadeiros, sem que lhes seja dada também a oportunidade do questionamento.

 

Sander Souza – Diretor de Jornalismo

 

Vamos discutir o Tema. Sigam o perfil do Vida Destra no Twitter @vidadestra 

 

Vida Destra
Últimos posts por Vida Destra (exibir todos)
Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Renata Araujo
15 dias atrás

Processem já essa censora odiosa.

Bruno Monteiro
Bruno Monteiro
15 dias atrás

Não fiquem só na nota, processem esses censores!

Welton Reis
15 dias atrás

Leio artigos científicos há anos, portanto existem artigos com pucos dados de média cultura e de profundidade no assunto a qual se debruça a pesquisa. Nessa tradução vi um artigo leve e nem por isso desprezível ou baseado em dados falsos, já que não houve comparação com inúmeras versões de máscaras. As agências de checagem tratam o leitor como coitado, ignorante ou apedeuta sem juízo crítico e o informante como marginal. É preciso um basta aos censores de plantão!