Não, este artigo não tratará da Educação acadêmica, aquela que está a cargo do Estado e é ensinada nas escolas e universidades, sob a responsabilidade do ministro Abraham Weintraub. Obviamente ela é importante, ainda mais depois de anos de doutrinação esquerdista, que nos trouxe os péssimos resultados mostrados pelo PISA. Mas não é sobre isto que pretendo escrever hoje, eu já tratei da Educação em um artigo anterior e o Vida Destra possui pelo menos dois podcasts a respeito deste tema! Hoje quero tratar da questão da Educação de forma mais abrangente!

O Brasil precisa de Educação. Isto é incontestável. Mas vejo que estamos focando nossos esforços na Educação acadêmica, aquela que é (ou deveria ser) provida pelas nossas escolas. Claro que concordo que precisamos urgentemente investir na Educação das nossas crianças e dos nossos jovens, mas não podemos nos esquecer, enquanto sociedade, que a Educação é muito mais abrangente, não ficando restrita aos conteúdos ensinados em sala de aula. E se realmente queremos que o Brasil progrida, precisamos dar a atenção devida aos outros aspectos que envolvem a Educação.

Para começar, certos valores e conceitos são ensinados em casa, pelos pais e pela família, não sendo responsabilidade da escola ou do Estado. Os primeiros conceitos que temos a respeito do convívio em sociedade, vem da família. E os valores morais também! São os pais que ensinam (ou deveriam ensinar) aos filhos o respeito ao próximo, o respeito à propriedade alheia, conceitos de certo e errado, e o respeito à hierarquia estabelecida e cabe aos pais impor limites, ensinando seus filhos que eles não podem fazer o que querem porque vivem em sociedade, com outras pessoas, com regras estabelecidas, e tudo o que fizerem terá consequências, que poderão ser boas ou más para eles mesmos. Os pais precisam ensinar seus filhos a fazer escolhas, e a refletir antes de agir. É em casa que se aprende as primeiras noções de meritocracia. Os pais devem incentivar as boas atitudes de seus filhos e repreender as más. E os pais não devem poupar seus filhos das consequências ruins das suas atitudes, salvo em situações extremas. Estas coisas que citei não se aprendem na escola.

Eu acredito que quando a criança ingressa na escola, ela colocará em prática tudo isto que citei acima. A maneira como a criança se relaciona com as outras, a maneira como reage às situações do dia a dia, o respeito ao patrimônio escolar e ao professor será reflexo da educação recebida previamente em seu lar. Os pais não podem acreditar que caberá à escola ensinar estas coisas! Se os pais acreditarem que cabe à escola ensinar estes valores, então anos da infância serão perdidos sem que a criança receba a educação mínima necessária ao convívio social.

Nós precisamos focar na Educação que forma indivíduos capazes de desenvolver o seu potencial. Infelizmente o Brasil é um país onde muitos talentos se perdem, num verdadeiro desperdício intelectual. Uma boa base moral, aprendida no lar, permitirá que as pessoas tenham uma outra visão de mundo e uma outra maneira de lidar com as situações do dia a dia. Precisamos educar as pessoas para que se tornem cidadãs, que é mais que apenas ser moradoras de uma cidade. Um cidadão se preocupa com o ambiente onde vive, e por isso não joga lixo em qualquer lugar, respeita as regras de trânsito, respeita as regras de barulho, tem consciência que a sua liberdade termina quando começa a liberdade do seu próximo. Ser cidadão é viver dentro de regras de civilidade. Nenhuma sociedade se desenvolve plenamente , se não estiver sujeita a regras. A falta de regras produz o caos, e o caos não produz progresso nem desenvolvimento.

Precisamos educar as pessoas quanto às questões ambientais, ensinando-as a ter um modo de vida mais sustentável, economizando água e energia, separando corretamente o lixo para reciclagem, jogando o lixo nos locais adequados e evitando uma atitude consumista. Isto ajudará a melhorar a vida nas cidades. Precisamos dar às pessoas uma educação financeira, ensinando-as princípios de empreendedorismo, para que entendam que podem fazer as coisas por si mesmas, sem ficar esperando que o Estado faça por elas.

Uma Educação cívica é necessária, e aqui não me refiro àquela disciplina que já foi ensinada nas escolas. Civismo, civilidade, isto influencia diretamente na maneira como as pessoas lidam com o patrimônio público. Ao contrário do que vemos hoje, o patrimônio publico não é algo que não pertence a ninguém mas, ao contrário, é algo que pertence a todos e portanto cada pessoa tem a sua cota de responsabilidade na conservação deste patrimônio. E aqui incluo a necessária educação política, que visa ensinar às pessoas o funcionamento da política e o papel delas no processo político, permitindo o amadurecimento da nossa política, o combate às mazelas que a afetam e permitindo também que a política deixe de ser uma atividade que só atrai pessoas de péssimo caráter, mas que passe a atrair o cidadão de bem, cerrando as carreiras políticas para quem não tem uma vida correta!

Temos muita coisa a aprender! Grande parte da sociedade padece sem a educação acadêmica, e também sem esta base educacional e cultural que não é fornecida pelo sistema de ensino. E antes que alguém venha com a ideia, não cabe ao Estado ensinar valores morais e valores cívicos básicos. A responsabilidade de ensinar estes valores pertence à família. Foi por isso que a família tradicional foi tão atacada pelos governos esquerdistas e ainda é atacada hoje por aqueles que defendem as nefastas ideologias esquerdistas. Ao atacar as famílias, que são a base da sociedade, a esquerda fez com que todos os valores que regem a nossa nação ficassem enfraquecidos e vulneráveis, permitindo a sua substituição por outros valores. Enquanto os valores tradicionais da família visam formar pessoas de boa índole, capazes de um convívio civilizado em sociedade, os governos de esquerda trabalharam para substituir estes valores tradicionais por valores que formam pessoas aptas a atuar em nome de uma causa que só interessa a um pequeno grupo de líderes políticos. A esquerda não se preocupa em formar pessoas capazes de desenvolver o seu potencial, mas se preocupa apenas em formar militantes capazes de lutar cegamente pelas ideologias defendidas pelos partidos esquerdistas.

É só olhar ao nosso redor para constatar a falta que o ensino amplo de valores morais e cívicos está fazendo à nossa sociedade. Vemos a falta desta educação afetando o dia a dia das nossas cidades em várias áreas, afetando negativamente a qualidade de vida de milhões de brasileiros. Precisamos arregaçar as mangas e trabalhar arduamente para educar as pessoas e tirá-las da mediocridade onde muitas ainda se encontram. Precisamos trabalhar intensamente para abrir os olhos das pessoas e para mostrá-las que o mundo é muito mais amplo e as oportunidades são muito maiores do que elas imaginam, mas que só aqueles que investem em seu próprio aprimoramento e crescimento pessoal conseguem usufruir. Sem o resgate dos valores familiares tradicionais e conservadores, e sem este investimento maciço na Educação ampla e irrestrita da nossa população, não se restringindo às escolas e universidades, nunca seremos um país desenvolvido de verdade! Este será o maior desafio brasileiro pelas próximas décadas!

Sander Souza, direto do Japão para Vida Destra, 15/01/2020

Sander Souza
Acompanhe me

Últimos posts por Sander Souza (exibir todos)

3 Comentários

  1. Concordo plenamente, mas como resgatar essa juventude ou geração dos 20 aos 45 que foram influenciados e cooptados pela esquerda? Essa geração, se não tiver consciência de que são massa de manobra, ainda vão causar muito estrago para o país!

  2. Ótimo texto! Eu concordo plenamente com tudo e acredito que mesmo com todo o estrago que os governos de esquerda tentaram fazer em nossas famílias, muitos conseguiram ensinar valores morais e cívicos para seus filhos. Acredito que precisamos de uma interação maior da escola com a família para resgatar a educação que vem de casa.

Sua participação é muito importante para nós do Vida Destra. Participe, comente e interaja!