A decisão do Partido dos Trabalhadores de não divulgar o seu Plano de Governo detalhado antes do primeiro turno das eleições provocou grande repercussão na imprensa e nas mídias sociais, tanto entre apoiadores como entre os opositores dos petistas.

A princípio a decisão petista causa espanto, pois a divulgação do Plano de Governo de um candidato a uma eleição faz parte do processo eleitoral que culminará com a escolha do eleitor no dia das eleições. Além disso, é uma decisão sem sentido se considerarmos que os petistas estão sonegando informações vitais para que o eleitor possa decidir em quem votar. Apesar dessas impressões iniciais, podemos concluir que só alguém que viveu em Nárnia nas últimas duas décadas ficou surpreso com tal decisão.

Até porque, se estivéssemos falando de um candidato que nunca tivesse atuado na política, até poderia haver um interesse genuíno dos eleitores em querer conhecer as suas propostas. Porém, falamos de um candidato que governou o país por oito anos, tendo sido eleito duas vezes para o cargo máximo da nação, e seu partido esteve no poder por mais de 14 anos. Ou seja, sabemos muito bem o que esperar dessa gente caso vençam (ou tomem) as eleições, pois sabemos o que fizeram nos verões passados.

Se analisarmos os discursos e declarações recentes de Lula, ficará evidente o porquê da legenda esquerdista ter tomado esta decisão em relação a não divulgação de um plano de governo detalhado. Regulação da mídia e das redes sociais, defesa do aborto, ameaças a religiosos, combate ao crime fora das prioridades, flerte com governos ditatoriais, loteamento de ministérios e estatais, etc. Tudo isso esteve presente nas declarações feitas pelo líder petista nos últimos meses, declarações que geraram muito desconforto dentro da própria militância petista.

Vimos de perto o que o governo petista fez com o país enquanto esteve no poder. Vimos como o compadrio e a corrupção drenaram os cofres públicos, e quase quebraram estatais, como a Petrobrás, enquanto o povo recebia migalhas. Os amigos do rei tinham acesso fácil aos recursos oriundos dos impostos pagos pela população, que em troca de uma carga tributária abusiva recebia serviços públicos precários.

Se o PT tivesse interesse, mesmo que remoto, de fazer um governo diferente daqueles que já fez, por que não mostrar isso em um plano de governo? Vale lembrar que o PT nunca reconheceu os seus erros e tampouco pediu perdão ao povo brasileiro pelo sofrimento causado. Lula e seus partidários querem que o povo simplesmente se esqueça do que aconteceu.

A meu ver duas coisas ficaram bem evidentes: primeiro, o PT não pretende mudar as suas práticas e, caso volte ao poder, tornará a fazer o que já fazia antes e talvez de forma ainda pior. Segundo: o PT não tem confiança na sua vitória, apesar das pesquisas de intenção de voto insistirem em apresentar o candidato petista com uma vantagem que não encontra amparo na realidade. Eles sabem que a maioria esmagadora da sociedade brasileira repudia as pautas defendidas por eles e este é um dos motivos que levou o partido a decidir não publicar um plano de governo detalhado.

Posso afirmar sem medo de errar que o PT tem medo da população. O PT sabe que as suas pautas não serão aceitas de bom grado pelos brasileiros, ao contrário, as pessoas já mostraram que possuem valores morais que batem de frente com as pautas defendidas não apenas pelo PT mas pela esquerda como um todo, e também que estão dispostas a defender estes valores com unhas e dentes.

Não há narrativa midiática, não há anulação de processos, não há inquéritos ilegais, não há perseguições e cerceamentos de liberdades e direitos, não há duplo padrão da Justiça Eleitoral que consiga fazer com que o povo brasileiro esqueça tudo o que foi feito ao longo dos catorze anos de governos petistas. Também não há como esconder das pessoas as situações de países vizinhos que são governados por políticos alinhados com o PT e que defendem as mesmas pautas. Enfim, embora tentem, não dá mais pra fazer o brasileiro de otário.

O desespero petista é cada vez mais escancarado. Os movimentos do establishment mostram que estão em alerta máximo pois a rejeição popular é evidente. Muitos podem não gostar do presidente Jair Bolsonaro mas não podem acusá-lo das mesmas práticas cometidas pelo PT. Tentaram atacar o governo de todas as formas mas quando as pessoas fazem comparações simples, acabam por concluir que, por mais que possam não gostar do presidente, é difícil não constatar a diferença brutal no trabalho realizado e nos valores morais defendidos. Aliás, ao se comparar os valores defendidos pelo atual governo e pelo PT, facilmente se concluirá que a grande diferença está no fato do PT não possuir valores morais. E para a população, isso faz toda a diferença.

Está na hora do PT sair da sua bolha e encarar a realidade. O povo não quer o PT de volta ao poder. Se os petistas quiserem continuar se enganando com as pesquisas encomendadas por eles mesmos, fiquem à vontade. A hora da verdade está chegando e tudo indica que em breve a realidade baterá na porta petista e não adiantará se recusar a abri-la, pois a realidade vai se impor no final.

 

 

Sander Souza (Conexão Japão), para Vida Destra, 23/09/2022.
Vamos discutir o Tema! Sigam-me no Twitter @srsjoejp ou no Gettr @srsjoejp                Acessem também o meu blog: Blog do Sander

 

Receba de forma ágil todo o nosso conteúdo através do nosso canal no Telegram!

 

As informações e opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade de seu(s) respectivo(s) autor(es), e não expressam necessariamente a opinião do Vida Destra. Para entrar em contato, envie um e-mail ao [email protected]
Sander R. Souza
Acompanhe me
Últimos posts por Sander R. Souza (exibir todos)
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments