Por Sander Souza

Twitter: @srsjoejp Instagram: @sander_r_s

 

Atlético-MG x Palmeiras – Libertadores 2022

Quartas de Final – Jogo de Ida

 

Pré Jogo

Quando surge, meus irmãos alviverdes!

Momento de virar a chave! Após algum tempo, voltamos as nossas atenções novamente para a Copa Libertadores da América e chegou o momento de ir a Belo Horizonte para enfrentar o Atlético-MG no Mineirão, no jogo de ida das quartas de final da competição continental.

Vindo da vitória por 2×1 sobre o Ceará em partida válida pela 20ª rodada do Brasileirão, o Palmeiras pode completar 20 jogos de invencibilidade como visitante na Libertadores. Na vitória por 3 a 0 sobre o Cerro Porteño, no Paraguai, pela ida das oitavas de final, o Verdão chegou a 19 partidas sem derrota jogando na casa do adversário (14 vitórias e cinco empates), número recorde na competição. Somando as vitórias sobre Santos e Flamengo nas finais de 2020 e 2021, disputadas em campo neutro, já são 21 partidas de invencibilidade atuando fora de casa. E pode chegar a 10 vitórias consecutivas na Libertadores. Na goleada por 5 a 0 sobre o Cerro Porteño-PAR, no Allianz Parque, pela volta das oitavas de final, o Verdão chegou a nove triunfos seguidos e registrou o recorde da competição.

O Palmeiras ostenta sua maior série invicta na história da competição: 16 jogos, um a menos que Flamengo (2020-2021) e Sporting Cristal (década de 60) e a dois do recorde geral do torneio, justamente do Atlético-MG, com 18 confrontos seguidos sem derrota (2019-2022).

O Verdão pode também igualar a sua maior série invicta jogando no Brasil pela Libertadores. Atualmente com dez jogos sem perder neste cenário (sete vitórias e três empates), está atrás apenas da marca de 11 embates de invencibilidade (9 vitórias e 2 empates) alcançada entre 11 de maio de 1961 (justamente a data de seu primeiro duelo disputado no Brasil pela competição) e 7 de maio de 1968.

O Alviverde não perde para equipes do Brasil na Libertadores há seis partidas: vitória contra o Santos (final de 2020), empate e vitória contra o São Paulo (quartas de final de 2021), dois empates com o Atlético-MG (semifinal de 2021) e vitória contra o Flamengo (final de 2021).

O Palmeiras saiu vencedor em quatro dos cinco duelos eliminatórios disputados contra o Atlético-MG ao longo da história: levou a melhor em 1996 (oitavas de final da Copa do Brasil), 2000 (semifinal da Copa Mercosul), 2010 (quartas da Copa Sul-Americana) e 2021 (semifinal da Libertadores) e só foi superado em 2014 (oitavas da Copa do Brasil).

Preparação

Após o confronto com o Ceará na tarde de sábado (30), em Fortaleza, o Verdão retornou a São Paulo e se reapresentou na Academia de Futebol na manhã do domingo (31) para iniciar a sua preparação para a partida de hoje.

Como sempre é feito, os titulares que atuaram por mais de 45 minutos no Castelão fizeram atividades regenerativas na área interna do Centro de Excelência. Os demais fizeram atividades técnicas no campo – trabalharam passes sob pressão em campo reduzido e um treino de quatro contra quatro dentro de um octógono com objetivos definidos pela comissão técnica para finalizarem.

Os jogadores Miguel Merentiel e Wesley (D), da SE Palmeiras, durante treinamento, na Academia de Futebol. (Foto: Cesar Greco)

O Verdão deu prosseguimento à sua preparação na manhã de segunda-feira (1) na Academia de Futebol. Recuperado de uma lesão na coxa esquerda, o atacante Rony iniciou o período de transição física e foi a novidade do dia.

O camisa 10 alviverde, que sentiu contra o Fortaleza e foi desfalque diante de São Paulo, Cuiabá, América-MG, Internacional e Ceará, trabalhou com o elenco em grande parte das atividades técnicas, mas saiu antes para cumprir cronograma com o Núcleo de Saúde e Performance.

No gramado, após movimentações de aquecimento, a comissão técnica de Abel Ferreira começou com um trabalho com três times em dimensões reduzidas com objetivos específicos. Na sequência, com duas equipes e com os goleiros presentes, o intuito também foi atingir missões propostas. Por fim, os atletas aprimoraram ainda criações de jogadas e finalizações.

Os jogadores Garcia e Rony (D), da SE Palmeiras, durante treinamento, na Academia de Futebol. (Foto: Cesar Greco)

O Maior Campeão do Brasil encerrou asua preparação na manhã de terça-feira (2). A manhã de sol teve atividades técnicas, táticas e recreativas. Após o aquecimento, os jogadores foram divididos em dois grupos para um trabalho de linha de fundo com cruzamentos e finalizações. Depois, em campo reduzido, participaram de um animado recreativo. Para fechar, o Professor Abel Ferreira passou orientações táticas de posicionamento e o time ensaiou jogadas de bola parada defensivas e ofensivas.

Os jogadores Gabriel Menino e Gustavo Scarpa (D), da SE Palmeiras, durante treinamento, na Academia de Futebol. (Foto: Cesar Greco)

O elenco alviverde embarcou para a capital mineira durante a tarde e Rony não fez parte da comitiva que viajou para Minas Gerais, portanto estando fora deste primeiro confronto.

Escalação

Pendurados: não há
Suspensos: não há
Desfalques: Rony (transição física) e Jailson (lesão no joelho direito)

Sem ter Rony à disposição, é esperado que o Professor Abel Ferreira mande a campo o mesmo time que entrou em campo contra o Ceará no último sábado (30). Desta forma a provável escalação deve ter Weverton fechando o nosso gol; Marcos Rocha na lateral direita e Piquerez na lateral esquerda; Murilo e Gustavo Gómez na zaga; Danilo, Raphael Veiga e Zé Rafael no meio-campo; Gustavo Scarpa, Flaco López e Dudu na linha de ataque. Este elenco pode ser organizado num esquema tático 4-2-3-1 ou 4-3-3, a ver.

A título de comparação, na partida de ida da semifinal da Libertadores disputada em setembro do ano passado contra o mesmo Atlético-MG, o Palmeiras entrou em campo com a seguinte formação: Weverton, fechando o nosso gol; Piquerez na lateral esquerda e Marcos Rocha na lateral direita; Gustavo Gómez e Luan na zaga;  Dudu, Zé Rafael, Felipe Melo e Raphael Veiga, no meio campo; Luiz Adriano e Rony, no ataque.

Daquele time que entrou em campo contra o Galo apenas Felipe Melo e Luiz Adriano não estão mais no elenco. Luan perdeu a titularidade para o Murilo mas continua como parte do elenco, no banco de reservas. Scarpa não entrou como titular, bem como o Danilo, e temos hoje os acréscimos de Flaco López e Merentiel no ataque.

*Pré-Jogo concluído em 02/08/2022 às 23:00.

*Escalação confirmada em 03/08/2022 às 20:30

Escalação confirmada: Weverton; Marcos Rocha, Murilo, Gustavo Gómez, Piquerez; Danilo, Raphael Veiga, Gustavo Scarpa e Zé Rafael; Dudu e Flaco López. è a formação esperada, a mesma que entrou em campo contra o Ceará. Formação tática inicial 4-2-3-1.

O Jogo

Os dois times iniciaram a partida se estudando bastante e coube ao Atlético-MG a iniciativa inicial do jogo. Com a vantagem de jogar em casa empurrado pela torcida, o Galo foi gradativamente aumentando o seu jogo passando a ditar o ritmo da partida.

Já aos  cinco minutos a equipe alvinegra estava dentro da área alviverde trazendo perigo, com o Keno recebendo dentro da área e tentando jogada individual sobre Gómez mas acabando por ceder um tiro de meta ao Verdão. A facilidade com que os jogadores do Galo começaram a chegar no campo defensivo palmeirense foi ficando cada vez mais evidente.

Nossa primeira boa oportunidade veio numa jogada de bola parada aos 10 minutos, com o Scarpa cobrando com um foguete que obrigou o goleiro Everson a fazer a defesa! Ambos os times apostavam num jogo com forte marcação, o que deixou a partida relativamente equilibrada nos minutos iniciais.

Porém o domínio do Galo foi aumentando e aos 15 minutos de jogo já tinha maior posse de bola (54%) e quatro finalizações. Felizmente para nós o Galo pecava nas finalizações!

O Galo teve pleno domínio das ações ao longo do primeiro tempo, impondo muita dificuldade ao Verdão, que até tentava criar o seu jogo mas esbarrava na marcação efetiva do alvinegro mineiro.

Tivemos boa oportunidade aos 38 minutos em outro lance de bola parada, com o Scarpa cobrando escanteio e levantando a bola na área com a zaga adversária conseguindo afastar. Aos 41 minutos Dudu arrancou pelo meio e tocou para Marcos Rocha que estava aberto na direita. Rocha rolou rasteiro para a área, a defesa do Galo não conseguiu cortar e Piquerez aproveitou a oportunidade para mandar para o gol e abrir o placar no Mineirão. Infelizmente o auxiliar assinalou o impedimento de Scarpa na jogada e o gol foi anulado.

Dois minutos depois Marcos Rocha cometeu um pênalti infeliz em Jair. Hulk cobra e converte para o Galo. Placar aberto no Mineirão! Galo 1×0 Porco. Após 2 minutos de acréscimos terminou o primeiro tempo em BH. Placar parcial: Atlético-MG 1×0 Palmeiras.

Foi um primeiro tempo bastante difícil para o Palmeiras, que teve muita dificuldade de jogar diante da efetiva marcação alvinegra. Muitos jogadores palmeirenses estavam atuando muito abaixo do que podem oferecer e o Verdão copeiro que costumamos ver parecia que não tinha entrado em campo. O contra-ataque, uma das principais armas alviverdes, não funcionou e nossas poucas chances vieram de outra das nossas maiores armas: as bolas paradas. Mas a história da partida ainda estava sendo escrita!

Voltamos para a segunda etapa sem alterações no time, apenas com alterações nas funções em campo, com Dudu e Scarpa invertendo os lados, com o Dudu passando a atuar pela esquerda e Scarpa pela direita.

No primeiro minuto de jogo Flaco López encontrou Scarpa livre na direita, que cortou o marcador e finalizou para fora!

Ainda aos dois minutos de jogo, Keno tabelou na entrada da área alviverde e foi à linha de fundo, de onde tocou para o meio para Hulk. Murilo subiu para tentar afastar e acabou marcando um gol contra! Placar ampliado no Mineirão! Galo 2×0 Porco!

A situação estava preocupante e parecia que tudo estava perdido mas aí entrou em cena a mentalidade “cabeça fria, coração quente”, e o Palmeiras mostrou a casca que criou nos últimos anos e a frieza que só um bicampeão continental consegue ostentar.

Aos cinco minutos boa oportunidade em outro lance de bola parada, com o Scarpa cobrando falta e mandando a bola por cima da meta!

Apesar do resultado desfavorável, no segundo tempo o Verdão conseguiu inverter a situação e passou a ter maior posse de bola e aos 10 minutos já tinha empatado as finalizações com o Galo, com duas de cada lado. Porém o Galo ainda impunha muita dificuldade ao Verdão.

Aos 13 minutos, nova jogada com bola parada: Scarpa cobrou falta e com um forte chute mandou a bola no travessão, no rebote Murilo mandou para o fundo da rede e se redimiu, marcando o primeiro gol válido do Verdão no Mineirão! Placar alterado em BH! Galo 2×1 Porco!

O gol afetou o ânimo da torcida mineira e também o time dentro de campo, que mostrou sentir o golpe. Aos 20 minutos o Verdão possuía maior posse de bola (54%) e já tinha mais finalizações (4 contra 3).

Aos 23 minutos o Professor Abel Ferreira fez a nossa primeira substituição com o Gabriel Menino entrando em substituição ao Raphael Veiga.

Mais animado, o Verdão passou a pressionar o cansado Galo e aos 32 minutos Danilo arriscou de fora da área e mandou a bola por cima da meta! No minuto seguinte Dudu, em jogada individual dentro da área, tentou a finalização e mandou a bola pra fora!

Aos 36 minutos o Professor fez novas substituições, com Mayke e Navarro entrando em substituição a López e Marcos Rocha. Aos 38 minutos, Mayke lançou Scarpa na linha de fundo, que rapidamente tocou para Dudu no meio da área. Nosso camisa 7 estava sozinho e de frente pro gol e inacreditavelmente chutou para fora, desperdiçando a chance de igualar o placar no Mineirão!

Já nos acréscimos, aos 46 minutos, Scarpa cobrou escanteio no segundo pau, Dudu escorou de cabeça para o meio e Danilo guardou no fundo do gol alvinegro! Placar igual no Mineirão! Após 5 minutos de acréscimos, terminou a partida em Belo Horizonte. Placar final: Atlético-MG 2×2 Palmeiras.

Um empate com sabor de vitória. Depois de ficar atrás no placar com dois gols de diferença, o Palmeiras mostrou que não venceu a Libertadores duas vezes no mesmo ano à toa! O Verdão é de fato um time copeiro e criou uma casca que lhe dá a frieza necessária para buscar o resultado mesmo diante dos mais improváveis cenários.

Frieza e resiliência, estas são as palavras que definiram o Palmeiras nesta partida. Controle mental fez a diferença. Buscar um empate na casa adversária e diante da torcida inflamada do adversário não é pra qualquer time, e mostra a todos que o Palmeiras não pode ser subestimado.

A classificação está em aberto, com as equipes tendo chances iguais. A decisão será em casa, diante da nossa torcida! Aqui o papo é outro! O jogo de volta acontece na próxima quarta-feira (10) no Allianz Parque.

Depois de tudo o que aconteceu neste jogo, nem vou me estender mais nesta resenha! Bora comemorar este resultado e nos preparar para o jogo de volta!

Antes do jogo de volta teremos um compromisso pelo Brasileirão no próximo domingo (7) às 16:00 horas, quando receberemos o Goiás no Allianz Parque em partida válida pela 21ª rodada da competição.

Até lá e #AvantiPalestra

 

*Sander Souza é editor do Vida Destra Esportes.

 

Sigam Vida Destra Esportes no Twitter: @EsportesVD, no Instagram: @esportes_vd, no Canal do Telegram: https://t.me/EsportesVD e venham participar também do nosso grupo de debates de esportes: https://t.me/BotecoVDE

 

As informações e opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade de seu(s) respectivo(s) autor(es), e não expressam necessariamente a opinião do Vida Destra Esportes. Para entrar em contato, envie um e-mail ao [email protected]
Sander Souza
Sigam me
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments