Por Sander Souza

Twitter: @srsjoejp Instagram: @opiniao_de_um_palmeirense

 

Botafogo x Palmeiras – Brasileirão 2023

31 rodada

 

Pré-Jogo

 

Quando surge, amigos palestrinos!

Hoje teremos um grande jogo, que poderá definir os rumos do próprio Campeonato Brasileiro!

O Palmeiras está no Rio de Janeiro para enfrentar o Botafogo, no Estádio Nilton Santos (Engenhão), na partida válida pela 31ᵃ rodada do Brasileirão.

Estádio Nilton Santos (Engenhão) – Rio de Janeiro/RJ

Vindo da vitória por 1×0 sobre a equipe do Bahia na partida realizada no Allianz Parque na rodada anterior, o Palmeiras entrará em campo para enfrentar o líder Botafogo ocupando a vice-liderança da competição, com 53 pontos conquistados. Uma vitória diminuiria a distância para o líder, mas não podemos nos esquecer que o Red Bull Bragantino e o Flamengo, times que também têm chances de brigar pelo título ao lado do Palmeiras, têm jogos a menos, assim como o próprio Botafogo. Por esta razão temos que ter o cuidado de não criar falsas expectativas.

O Palmeiras entra em campo como o clube que mais venceu na história do Campeonato Brasileiro (702 contra 700 do São Paulo, segundo colocado) e com melhor média de gols marcados (1,47 gol por jogo contra 1,46 do São Paulo, segundo colocado).

Na era dos pontos corridos, além de também ter a melhor média de gols (1,46 por jogo contra 1,44 do Cruzeiro, segundo colocado), é o clube com mais rodadas ocupando o G-4 (524 contra 523 do São Paulo, segundo colocado).

Neste Brasileirão, o Palmeiras tem o segundo melhor ataque (48 gols contra 50 do Grêmio) e a terceira melhor defesa (24 gols sofridos contra 23 Atlético-MG e 19 do Botafogo), além de, segundo o Footstats, ser o líder em cruzamentos, o líder em cruzamentos certos, o líder em faltas recebidas, o vice-líder em finalizações, o vice-líder em finalizações certas e o vice-líder em escanteios a favor.

Histórico do Confronto

Último duelo como visitante terminou com vitória e recorde alviverde

O Palmeiras venceu os dois jogos contra o Botafogo na campanha do título brasileiro de 2022. No primeiro turno, no Allianz Parque, placar de 4 a 0 (gols de Rony, duas vezes, Gustavo Scarpa e Wesley). No segundo, no Estádio Nilton Santos, triunfo por 3 a 1 (gols de Gustavo Scarpa, Mayke e Dudu para o Verdão e Tiquinho Soares para o Glorioso).

Na ocasião, a vitória de virada no Rio de Janeiro foi a 17ª partida seguida sem derrota do Palmeiras atuando como visitante no Brasileirão, estabelecendo um novo recorde na era dos pontos corridos ao superar os 16 do próprio Palmeiras de 2018-19 – O Verdão ainda ampliaria o recorde para 20 jogos.

RETROSPECTO GERAL CONTRA O BOTAFOGO: 124 jogos, 50 vitórias, 38 empates, 36 derrotas, 185 gols marcados e 153 gols sofridos.

– Primeiro jogo: 03/05/1922 – Palestra Italia 1×0 Botafogo (gol de Caetano Imparato) – Parque Antarctica (São Paulo-SP) – Taça City.
– Último jogo: 25/06/2023 – Palmeiras 0x1 Botafogo – Allianz Parque (São Paulo-SP) – Campeonato Brasileiro.
– Última vitória: 03/10/2022 – Botafogo 1×3 Palmeiras (gols de Gustavo Scarpa, Mayke e Dudu) – Estádio Nilton Santos (Rio de Janeiro-RJ) – Campeonato Brasileiro.
– Maior goleada: 06/11/1999 – Palmeiras 6×0 Botafogo (gols de Asprilla, duas vezes, Cléber, Aguinaldo, Pena e Evair) – Estádio Palestra Itália (São Paulo-SP) – Campeonato Brasileiro.

> Retrospecto contra o Botafogo pelo Campeonato Brasileiro: 63 jogos, 28 vitórias, 19 empates, 16 derrotas, 87 gols marcados e 60 gols sofridos.

> Retrospecto contra o Botafogo como visitante: 54 jogos, 12 vitórias, 19 empates, 23 derrotas, 61 gols marcados e 81 gols sofridos.

> Retrospecto contra o Botafogo como visitante pelo Campeonato Brasileiro: 28 jogos, 7 vitórias, 11 empates, 10 derrotas, 27 gols marcados e 33 gols sofridos.

> Retrospecto contra o Botafogo no Estádio Nilton Santos: 10 jogos, 3 vitórias, 2 empates, 5 derrotas, 12 gols marcados e 15 gols sofridos.

> Retrospecto contra o Botafogo no Estádio Nilton Santos pelo Campeonato Brasileiro: 9 jogos, 3 vitórias, 2 empates, 4 derrotas, 11 gols marcados e 12 gols sofridos.

Preparação

Após a vitória sobre o Bahia na noite do sábado (28), no Allianz Parque, o elenco alviverde descansou no domingo (29) e se reapresentou na manhã da segunda-feira (30) na Academia de Futebol para dar início à sua preparação para esta importantíssima partida.

Os titulares na partida contra o Botafogo seguiram o cronograma de atividades regenerativas na parte interna do Centro de Excelência, com o uso de botas pneumáticas, piscina de água quente e massagem, entre outras estações.

No campo, o elenco, com a presença de Zé Rafael (suspenso contra o Bahia), realizou um trabalho de transições e enfrentamentos. Na sequência, houve atividades em dimensões reduzidas com poucos toques na bola por atleta. Atuesta treinou em tempo integral com o grupo e Dudu cumpriu seu cronograma com o Núcleo de Saúde e Performance.

Os jogadores Marcos Rocha e Vanderlan (D), da SE Palmeiras, durante treinamento, na Academia de Futebol. (Foto: Cesar Greco/Palmeiras/by Canon)

A preparação foi concluída na manhã da terça-feira (31) na Academia de Futebol. A comissão comandou um trabalho tático posicional de construção de jogo, seguido do tradicional recreativo (rachão) antes da viagem ao Rio de Janeiro.

Os jogadores Mayke e Gustavo Gómez (D), da SE Palmeiras, durante treinamento, na Academia de Futebol. (Foto: Cesar Greco/Palmeiras/by Canon)

O elenco alviverde almoçou no refeitório do Centro de Excelência e embarcou para a capital fluminense no fim da tarde desta terça-feira (31).

Escalação

Pendurados:   Weverton, Piquerez, Gustavo Gómez, Murilo, Fabinho, Gabriel Menino, Raphael Veiga, Rony, Kevin, Abel Ferreira (treinador) e Vitor Castanheira (auxiliar técnico).
Suspensos:     não há.
Retorno de suspensão:         Zé Rafael (terceiro cartão amarelo).
Desfalques:    Dudu (cirurgia no joelho direito) e Gabriel Menino (cirurgia no tornozelo direito).

Para esta importante partida o Professor Abel Ferreira terá todo o elenco à sua disposição, com exceção apenas dos lesionados que já não atuarão mais nesta temporada.

A nossa expectativa é que o Professor mantenha a formação com os três zagueiros de origem, apenas com o retorno de Zé Rafael como o diferencial em relação à partida anterior.

Por isso acredito que a provável escalação do Palmeiras para esta partida deverá ser: Weverton; Mayke, Gustavo Gómez, Luan, Murilo e Piquerez; Zé Rafael, Richard Ríos e Raphael Veiga; Endrick e Breno Lopes.

 

*Pré-Jogo concluído em 01/11/2023 às 15:30.

*Escalação confirmada em 01/11/2023 às 20:30.

 

O Palmeiras entrará em campo com a seguinte escalação: Weverton fechando o nosso gol; Mayke na lateral direita e Piquerez na lateral esquerda; Gustavo Gómez, Luan e Murilo na zaga; Zé Rafael, Richard Ríos e Raphael Veiga no meio-campo; Endrick e Breno Lopes na linha de frente. A formação tática inicial deverá ser a 3-5-2.

É o time esperado, aquele que vem fazendo boas partidas e vencendo jogos, e que colocou o Verdão novamente na rota das vitórias.

Não será uma partida fácil, afinal são líder e vice-líder da competição disputando três pontos, e dependendo de quem vencer a situação no topo da tabela do Brasileirão pode mudar.

Como falei com o meu amigo flamenguista Mateus Fernandes, do Canal Conexão Flanorte, creio que poderá acontecer um desses dois cenários: haverá um empate sem gols ou o Palmeiras vencerá de forma contundente.

Veremos o que vai ocorrer. Hoje não vou arriscar o placar.

O Jogo

A partida teve início com o Glorioso impondo um ritmo forte sobre o Verdão, que apresentou dificuldades para vencer a marcação botafoguense.

Aos 2 minutos, Piquerez tinha a posse de bola e errou o passe, com o Di Placido ficando com a bola e sendo parado por Zé Rafael com uma falta. No minuto seguinte, Veiga recebeu pressionado pelo meio e deu o passe para o Endrick, que não conseguiu dar sequência à jogada.

Aos 4 minutos, Tiquinho Soares tentou escapar pela esquerda, Gómez chegou na marcação e conseguiu lateral para o Palmeiras. No minuto seguinte, Zé Rafael lançou boa bola para Breno Lopes na corrida, mas a bola pegou no calcanhar do atacante.

Aos 7 minutos, Victor Sá conseguiu boa jogada pela esquerda, rolou para Tchê Tchê e ele finalizou de canhota, com a bola resvalando em Gómez e explodindo no travessão do gol do Weverton.

Aos 10 minutos, Mayke recebeu cartão amarelo depois de um puxão em Victor Sá. Marçal cobrou a falta pela ponta esquerda para dentro da área e Tiquinho se antecipou para tocar de cabeça, mas mandou a bola por cima do gol de Weverton.

Dois minutos depois, Mayke recebeu de Richard Ríos e na hora do cruzamento mandou a bola em cima do Marçal, conseguindo escanteio para o Verdão. Veiga cobrou o escanteio dentro da área e Adryelson afastou de cabeça.

Aos 15 minutos, Di Placido rolou para Tchê Tchê na intermediária e o meia arriscou a finalização, mas Weverton fez uma defesa tranquila.

Aos 20 minutos, Victor Sá recebeu lançamento longo na ponta esquerda, dominou e rolou para trás, Eduardo chegou batendo de primeira, a bola desviou em Murilo e foi parar no fundo do gol do Weverton. Placar aberto no Engenhão! Botafogo 1×0 Palmeiras.

Aos 24 minutos, Victor Sá tabelou com Marlon e soltou ótima bola para Marçal, que finalizou cruzado de primeira, com a bola passando à esquerda de Weverton com perigo.

Aos 28 minutos, Luan cometeu falta em Tiquinho na intermediária ofensiva. Eduardo cobrou a falta buscando a finalização direta, mas mandou a bola no meio da barreira.

Aos 29 minutos, em escanteio cobrado curto da esquerda, Tchê Tchê recebeu de Marçal e encheu o pé na finalização, Weverton até tocou na bola, mas ela entrou no ângulo direito do gol palmeirense. Placar ampliado no Engenhão! Botafogo 2×0 Palmeiras.

Aos 32 minutos, em mais uma escapada do Botafogo em velocidade, Junior Santos correu completamente livre, levou para a perna esquerda, mas não conseguiu tirar do goleiro Weverton e perdeu a chance de fazer o terceiro gol alvinegro.

No minuto seguinte, Victor Cuesta acertou o cotovelo no rosto do Endrick, cometendo falta e recebendo cartão amarelo. Raphael Veiga cobrou a falta no canto do goleiro e Perri fez linda defesa.

Aos 35 minutos, Ríos cobrou lateral completamente errado e o Botafogo saiu em contra-ataque veloz com Junior Santos, Tiquinho recebeu e bateu cruzado, Weverton espalmou e a bola sobrou para o próprio Junior Santos marcar e ampliar o placar no Nilton Santos. Botafogo 3×0 Palmeiras.

Aos 39 minutos, Eduardo foi acionado na ponta direita e rolou para trás, Victor Sá chegou batendo de primeira e a bola passou tirando tinta do travessão de Weverton.

Aos 43 minutos, Endrick carregou pelo meio, arriscou a finalização, mas a bola saiu pela linha de fundo.

Após 3 minutos de acréscimos terminou o primeiro tempo no Nilton Santos. Placar parcial: Botafogo 3×0 Palmeiras.

Foi um primeiro tempo terrível do Verdão. Enquanto o Fogão entrou em campo a 300 quilômetros por hora, o Verdão nem entrou em campo. O Palmeiras esteve apático dentro de campo, jogando com o freio de mão puxado e parecia não compreender a importância da partida que estava jogando e nem parecia ciente que estava disputando três pontos com o líder do Brasileirão.

Já o Glorioso jogou em alta rotação, criou muitas oportunidades e dominou a partida com facilidade e poderia ter feito mais que os três gols marcados.

Embora na primeira etapa a posse de bola não estivesse tão discrepante, com o Fogão tendo 46% e o Verdão tendo 54%, dentro de campo o Glorioso manteve uma supremacia incontestável. A pressão que o Botafogo impôs sobre o Palmeiras se traduziu nas estatísticas: o Botafogo finalizou 15 vezes, sendo sete a gol, marcando três vezes. Já o Palmeiras finalizou apenas duas vezes, sendo apenas uma a gol.

O Palmeiras precisava mudar a sua postura e o Professor Abel Ferreira precisava fazer mudanças no time ou sofreríamos uma derrota histórica.

Voltamos para a segunda etapa sem alterações no time. Embora o Palmeiras tenha voltado com os mesmos onze jogadores que fizeram um péssimo primeiro tempo, desde o apito inicial da segunda etapa o Verdão mostrou uma pegada e uma energia diferentes.

Aos 2 minutos, Gómez cruzou da ponta direita, a bola sobrou para Piquerez, ele encheu o pé e mandou a bola em cima de Di Placido. Logo em seguida, Gómez cruzou mais uma vez da direita e desta vez a bola ficou nas mãos de Perri.

Aos 4 minutos, Endrick pegou a bola perto do meio de campo, se livrou de quatro marcadores, invadiu a área alvinegra e finalizou com um chute cruzado rasteiro, Perri ainda tocou na bola, mas não conseguiu impedir que ela fosse parar no fundo do seu gol. O Palmeiras diminui com um golaço da sua Cria da Academia! Endrick fez o primeiro gol do Alviverde! Glorioso 3×1 Verdão!

O Verdão pressionou um Botafogo que apresentava sinais de desgaste e aos 8 minutos, Piquerez cruzou na área e Veiga finalizou de primeira, mas o goleiro Lucas Perri fez a defesa, cedendo escanteio ao Verdão! Veiga cobrou escanteio da esquerda e Eduardo afastou de cabeça no primeiro pau.

Aos 14 minutos, Mayke jogou a bola para dentro da área, Breno Lopes desviou para o fundo do gol, mas o auxiliar marcou impedimento no lance.

Aos 20 minutos, Piquerez recebeu de Veiga e tentou colocar na área, mas a bola explodiu em Junior Santos e saiu. Veiga cobrou escanteio cruzando a bola na área, Gómez subiu e desviou de cabeça, mas mandou a bola pra fora!

Aos 23 minutos, o Professor fez a nossa primeira substituição, com o Rony entrando em substituição ao Richard Ríos. Com esta substituição o Verdão aparentemente mudou a sua formação para 4-3-3, passando a atuar com três atacantes e com o Luan passando a atuar na volância.

Aos 24 minutos, Piquerez recebeu de Breno Lopes e cruzou rasteiro, Adryelson afastou o perigo pela linha de fundo. Veiga cobrou o escanteio para dentro da área, Luan subiu livre, mas cabeceou por cima do gol.

Cinco minutos depois, Breno Lopes ganhou na velocidade de Adryelson e o zagueiro cometeu falta para não correr o risco do gol. O árbitro inicialmente apenas marcou a falta, mas após ser chamado pelo VAR, deu cartão vermelho para o zagueiro botafoguense e o expulsou de campo. O Verdão, que já vinha pressionando o Fogão, passou a jogar com um homem a mais em campo.

Aos 35 minutos, Tchê Tchê avançou em contra-ataque veloz e tocou para Tiquinho, que foi parado pelo Rony com falta dentro da área! Rony recebeu um cartão amarelo e está fora da partida contra o Athletico-PR. Pênalti para o Botafogo. Tchê Tchê discutiu com Gómez e ambos são advertidos com cartão amarelo. O nosso xerife também está fora do próximo confronto, contra o Furacão.

Tiquinho Soares foi para a cobrança, chutou no canto inferior direito e Weverton defendeu! Essa defesa incrível do Weverton contribuiu para esfriar ainda mais o ânimo dos alvinegros.

Aos 39 minutos, no lance seguinte ao que gerou o pênalti, Veiga cobrou falta na área, Marçal tirou parcialmente e a bola sobrou pro Endrick, que limpou a marcação na entrada da área e finalizou, marcando mais um para o Verdão! Placar alterado no Engenhão! Botafogo 3×2 Palmeiras!

Aos 40 minutos, o Professor fez nova substituição com Flaco López entrando no lugar do Luan.

No minuto seguinte, Artur, que estava no banco, discutiu com o gandula e foi advertido com um cartão amarelo.

Aos 44 minutos, Endrick cruzou da ponta direita para a área, Gómez ajeitou de cabeça e Flaco López finalizou, empatando a partida no Nilton Santos! Botafogo 3×3 Palmeiras!

Já nos acréscimos, aos 47 minutos, o Verdão pressionava e a bola foi lançada na área do Botafogo, com a zaga afastando pela linha de fundo em escanteio. Veiga cobrou escanteio para dentro da área, a defesa afastou e Mayke pegou o rebote, mas finalizou mal demais.

Três minutos depois, Zé Rafael roubou a bola de Gabriel Pires e sofreu falta no campo de defesa do Palmeiras. Endrick colocou a bola para dentro da área de qualquer maneira, Rony dominou no peito, mas finalizou em cima da marcação.

Aos 53 minutos, Piquerez foi parado com falta dura de Di Placido, que recebeu cartão amarelo. Na cobrança da falta, no último lance da partida, Veiga cobrou escanteio da esquerda, levantou a bola na área e Murilo finalizou, marcando o gol da virada do Verdão no Engenhão! Botafogo 3×4 Palmeiras!

Na comemoração Murilo tirou a camisa e foi advertido com um cartão amarelo, ficando fora da próxima partida contra o Athletico-PR.

Após 9 minutos de acréscimos terminou a partida no estádio Nilton Santos. Placar final: Botafogo 3×4 Palmeiras.

Foi uma virada épica! Histórica! Uma partida emocionante!

A partida tinha tudo para terminar em catástrofe para o Palmeiras, com uma derrota por goleada, que seria uma vergonha histórica. Depois de um primeiro tempo de inequívoco domínio do Botafogo, que foi para o intervalo com a vantagem de três a zero no placar, que poderia ter sido ainda maior, na segunda etapa a história se inverteu, com o Palmeiras passando a impor uma forte pressão sobre o time da casa.

A pressão e qualidade vistas no Botafogo no primeiro tempo passaram a ser vistas no Palmeiras do segundo tempo, e da mesma forma que o Palmeiras não conseguiu segurar a pressão alvinegra na etapa inicial, o Botafogo também não conseguiu impedir o avanço alviverde na etapa final.

Os artilheiros Endrick, Flaco López e Murilo

O que chamou a atenção foi que a reação do Alviverde teve início com os mesmos jogadores que não conseguiram atuar bem nos primeiros 45 minutos de jogo. Abel Ferreira não precisou fazer substituições para que o Palmeiras mudasse de postura dentro de campo. Mais do que técnica e tática, o fator psicológico foi fundamental para a reação palmeirense. A virada começou fora de campo, ainda nos vestiários.

Reconheço a fantástica capacidade que Abel Ferreira tem de mudar cenários improváveis e de mexer com o psicológico, com o ego e o brio dos jogadores. Além de uma preleção que deve ter sido impressionante, a virada também ocorreu com mudanças táticas que o Professor fez, mantendo os jogadores, mas agora com eles atuando de forma diferente.

A minha única crítica é que eu acredito que certas alterações táticas poderiam ter sido feitas ainda no primeiro tempo e não precisaríamos desperdiçar todo o primeiro tempo e fazer as alterações apenas no intervalo. São instruções que poderiam ter sido passadas à beira de campo, como já ocorreu em incontáveis ocasiões.

Enfim, foi um jogo daqueles que testam a nossa resiliência enquanto palmeirenses, e também a nossa resistência cardíaca! (risos).

Depois dessa virada, o Campeonato Brasileiro ficou em aberto. As chances do Verdão se sagrar bicampeão brasileiro são baixas e depende do resultado combinado de outros times, incluindo derrapadas do próprio líder Botafogo. Entretanto é certo que o título já não está tão garantido assim para o Glorioso, que daqui pra frente sofrerá a maior pressão que já sofreu desde a sua fundação!

Eu desejo que o Palmeiras faça tudo o que estiver ao seu alcance para que esta pressão seja a maior possível. Mesmo que não consigamos o título, pois neste momento o nosso foco é conseguir a vaga direta para a próxima edição da Copa Libertadores da América.

O nosso próximo compromisso será no sábado (4) quando receberemos o Athletico-PR, na Arena Barueri, para a partida válida pela 32ᵃ rodada do Campeonato Brasileiro.

Até lá e #AvantiPalestra!

 

*Sander Souza é editor do Vida Destra Esportes.

 

Sigam Vida Destra Esportes no Twitter: @EsportesVD, no Instagram: @esportes_vd, no Canal do Telegram: https://t.me/EsportesVD e venham participar também do nosso grupo no WhatsApp!

 

As informações e opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade de seu(s) respectivo(s) autor(es), e não expressam necessariamente a opinião do Vida Destra Esportes. Para entrar em contato, envie um e-mail ao contato@vidadestra.org
Sander Souza
Sigam me
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments