Analisar um fato e extrair dele o máximo de informações, não é uma tarefa das mais fáceis. Requer conhecimento, boa bagagem cultural e, acima de tudo, uma mente ágil para identificar as informações que estão nas entrelinhas, que muitas vezes são as que realmente importam.

Em tempos onde a guerra cultural e a imposição de temas ideológicos estão ocorrendo com força total, é mais importante que nunca estarmos atentos aos fatos e principalmente, à maneira como tais fatos estão sendo transmitidos para nós. Todos sabemos o quanto as notícias têm sido distorcidas, para que uma falsa realidade seja construída junto à opinião pública, corroborando narrativas criadas para satisfazer interesses distintos dos nossos, cidadãos comuns.

Temos muitos exemplos que ilustram o quanto somos influenciados e o quanto tais distorções na interpretação dos fatos podem nos distrair em relação a temas importantes, nos mantendo presos a narrativas enquanto os inimigos avançam com suas pautas.

O caso envolvendo o jogador de vôlei Maurício Souza mostra isto de forma clara. Enquanto muitos discutem se um personagem de histórias em quadrinhos deve beijar homens ou mulheres, poucos estão percebendo o que realmente importa, que é o avanço da censura envolvendo a pauta de gênero, e o exemplo que o cancelamento do jogador deixou para outros atletas, que deverão pensar muito daqui para frente, antes de emitir quaisquer opiniões nas redes sociais. Poucos também atacaram a pressão feita pelas grandes empresas patrocinadoras do time de vôlei ao qual o jogador pertencia até este episódio. O crescimento do engajamento do atleta nas redes sociais não pode mascarar o perigoso precedente que o caso abriu nos esportes. E devemos nos unir aos atletas conservadores para impedir que a lacração continue avançando sobre o esporte.

E há ainda a comemoração de muitos pela decisão do TSE, que considerou improcedentes as acusações feitas contra a chapa Bolsonaro-Mourão, no caso envolvendo disparos em massa no período eleitoral de 2018. Embora seja uma decisão importante, o que realmente importa é o entendimento que foi fixado pela corte eleitoral, que considerará crime  punível com a inelegibilidades,  o uso das redes sociais para a divulgação de fake news, embora não haja uma definição legal deste crime em nosso código penal.

E como terceiro exemplo, podemos citar as questões ambientais, que serão tema de discussões na COP-26, que se iniciará em breve. Embora as questões ambientais mereçam ser discutidas e muitas ações sejam necessárias nesta área, muitos ignoram que a pauta ambiental está sendo manipulada para que uma agenda globalista seja implementada, avançando sobre a soberania dos países e atacando as liberdades individuais em nome da preservação do meio ambiente. Nossas liberdade e direitos fundamentais não são motivo de degradação ambiental, mas querem nos fazer crer que somos todos culpados pela destruição ambiental, que na verdade vem sendo promovida pelos países ricos europeus, desde a Revolução Industrial, e segue em curso atualmente com a China na liderança dos maiores poluidores do planeta. Mas não vemos Greta Thunberg fazendo discursos histéricos contra a China, e para os ambientalistas a Amazônia é a grande questão ambiental da humanidade.

Trazemos estes três exemplos para mostrar a todos que a análise de fatos é necessária e deve ser feita com cuidado. Nem sempre as coisas são como nos são apresentadas. Temos que estar atentos aos fatos, analisar todos os aspectos referentes ao assunto, e devemos nos abster de fazer análises apressadas e superficiais, pois estas deixam de lado aquilo que de fato importa. Não podemos permitir que nos enganem e nos manipulem.

Somos bem instruídos, e não podemos permitir que a emoção se sobreponha à nossa razão!

 

 

Vamos discutir o Tema. Sigam o perfil do Vida Destra no Twitter @vidadestra 

 

Receba de forma ágil todo o nosso conteúdo, através do nosso canal no Telegram!

Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments