Todas as vidas importam!

Em 2013, nascia o movimento Black Lives Matter, que atualmente em todo o mundo grita em protesto pelo valor das vidas negras contra a violência e o racismo. Em 2013, que a escritora, professora e ativista Alicia Garza, após absolvição de George Zimmerman, assassino do jovem negro Trayvon Martin, morto a tiros aos 17 anos, escreveu uma postagem nas redes sociais: “Pessoas negras. Eu amo vocês. Eu nos amo. Nossas vidas importam. Vidas negras importam”, dizia. 

Vejamos alguns casos:

Milhares de manifestantes foram neste sábado às ruas de cidades da Europa, Austrália, Coreia do Sul e Japão em apoio aos protestos nos Estados Unidos pelo fim da brutalidade policial. […] Negro, ele George Floyd foi assassinado por um policial branco após ser imobilizado ao ter o pescoço pressionado pelo joelho do policial durante nove minutos.” (G1 06.06.20)

Mais de 2 milhões de pessoas assinaram uma petição online que pede às autoridades do Colorado, nos Estados Unidos, para reabrirem a investigação sobre a morte de Elijah McClain, homem negro de 23 anos que morreu em agosto do ano passado após ser enforcado por policiais de Aurora.” (UOL 24.06.2020)

O grande problema desses movimentos é que, em alguns casos, mesmo que genuínos, a esquerda se aproveita e transforma em luta de minorias, e assim, só  demonstra interesse quando atinge a grupos específicos, que lhe são convenientes.

Veja esse exemplo:

“O Black Live Matter, ainda não se manifestou sobre a morte de um policial negro por um homem branco nos Estados Unidos no último final de semana.(R7 03.09.2020)

Nenhuma dúvida, de que NÃO VÃO se manifestar.

Lembram da Marielle Franco? 

Como esquecer, né? Já que PT, PSOL, PCdoB e outros gritam “quem mandou matar Marielle”, desde 14.03.2018.  A vereadora do PSOL, da cidade do Rio, recebe homenagens todos os anos, assim como virou nome de ruas e praças em todo o Brasil e, até, no exterior. Mas quem se lembra de Anderson Gomes, ou da família dele? Normalmente, ele é só descrito como “seu motorista” (de Marielle).

Você por acaso viu homenagens, ou manifestações para a jovem mãe, Ana Cristina da Silva assassinada no Rio, no dia 27.08.2020? Claro que não! Pois, ela foi assassinada por traficantes e não por policiais.

Não muito diferente, em 08.08.2020, tivemos a notícia da menina K, violentada pelo tio, que se descobriu grávida.

No dia 17.08.2020 foi realizado o aborto, muito comemorado pela esquerda, como se fosse a conquista de um campeonato mundial de futebol.

O Presidente Jair Bolsonaro sancionou a portaria nº 2.282, de 27 DE AGOSTO DE 2020, através do Ministério da Saúde, que obriga a notificação à polícia, em caso de aborto por estupro.

Veja o que diz em seus Art. 1º e 2º:

Art. 1º É obrigatória a notificação à autoridade policial pelo médico, demais profissionais de saúde ou responsáveis pelo estabelecimento de saúde que acolheram a paciente dos casos em que houver indícios ou confirmação do crime de estupro.

Parágrafo único. Os profissionais mencionados no caput deverão preservar possíveis evidências materiais do crime de estupro a serem entregues imediatamente à autoridade policial, tais como fragmentos de embrião ou feto com vistas à realização de confrontos genéticos que poderão levar à identificação do respectivo autor do crime, nos termos da Lei Federal nº 12.654, de 2012.

Art. 2º O Procedimento de Justificação e Autorização da Interrupção da Gravidez nos casos previstos em lei compõe-se de quatro fases que deverão ser registradas no formato de termos, arquivados anexos ao prontuário médico, garantida a confidencialidade desses termos.”

Mas, para surpresa de ninguém, dez deputadas de partidos de esquerda querem sustar a Portaria 2.2842. E entraram com um Projeto de Decreto Legislativo de Sustação de Atos Normativos do Poder Executivo, a PDL 381/2020

São elas:

Jandira Feghali – PCdoB/RJ, Fernanda Melchionna – PSOL/RS, Perpétua Almeida – PCdoB/AC, Alice Portugal – PCdoB/BA, Sâmia Bomfim – PSOL/SP, Luiza Erundina – PSOL/SP Lídice da Mata – PSB/BA, Natália Bonavides – PT/RN, Áurea Carolina – PSOL/MG e Erika Kokay – PT/DF.

Note: todas, mulheres.

Além de mostrarem, claramente, que somente as vidas de determinadas pessoas importam, como a dos criminosos com as quais compactuam, numa clara demonstração de indiferença às outras mulheres (vítimas) e à vida embrionária.

E ainda temos, algumas mídias, e analistas políticos de claro viés ideológico, que apoiam, e dão voz a esses movimentos.

Como disse  Pedro Henrique Alves  em seu artigo para o Instituto Liberal:

“Juram que conseguirão apreço popular para a justa causa da luta contra o racismo, ateando fogo em propriedades alheias, espancando transeuntes de pele clara, ameaçando a polícia e opinadores divergentes. Se os analistas políticos refletissem de forma sincera, tirando de seus reflexos racionais as sanhas de defender ideologias, perceberiam, que tal protesto não passa de engodo midiático impulsionado por poderosos que querem retomar o poder político.” 

Ou seja, para políticos, mídias e analistas de esquerda, nem todas as vidas importam!

Mas nós precisamos mostrar para eles que, SIM!

TODAS AS VIDAS IMPORTAM!

 

Adilson Veiga, para Vida Destra, 15/09/2020
Vamos discutir o Tema. Sigam-me no Twitter @ajveiga2 e no Parler @AJVeiga

Adilson Veiga
Acompanhe me
Últimos posts por Adilson Veiga (exibir todos)
Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Sander Souza
Sander Souza
4 dias atrás

Parabéns pelo excelente artigo!
Concordo com você! Todas as vidas humanas importam!

Nunes
Admin
4 dias atrás

Bom dia meu amigo. Velha tática esquerdista: dividir para dominar e nivelar todo mundo por baixo.
Parabéns pelo artigo e realmente, todas as vida importam.

Davidson Oliveira
4 dias atrás

É a velha história de Lenin: “Usaremos o idiota útil na linha de frente”.
Esse bando de moleques está procurando um cidadão com um fuzil e um caminhão de munição para sair deitando um por um numa só rajada.
Mais um texto digno de respeito. Muito bem estruturado, como é de costume de Adilson Veiga.

Fábio Sahm Paggiaro
3 dias atrás

Perfeita abordagem, Veiga. A esquerdopatia é uma doença tão grave que eles defendem o assassinato em nome do direito à vida; o racismo para combater o racismo; o empobrecimento dos mais abastados para acabar com a pobreza; o roubo para haver justiça. Na realidade são criminosos, quer por ação, quer por apologia ao crime, quer por omissão. Esquerdopatas se empenham em legalizar o feticídio em nome do direito das mulheres. Não existe justificativa para isso. É o mais vil e covarde dos assassinatos, pois a própria mãe tira a vida do filho, que na condição de feto, é o mais… Read more »

Angelo
Editor
3 dias atrás

Parabéns, caro Veiga!
Mais uma vez, desmascarando a narrativa chinfrim da esquerdalha.
Para nós, conservadores, todas as vidas são valiosas, sim!

Luiz Antonio
3 dias atrás

No brilhante artigo de @ajveiga em que “todas as vidas importam”, temos que estar sempre atentos as manobras de esquerdopatas que querem aprovar o PDL 381/2020. A vida em primeiro lugar como está na CF.

Suzana Pereira Coakley
Suzana Pereira Coakley
2 dias atrás

BLM e um movimento marxista.