Um passado nobre 

A Argentina no final do século XIX era o país mais rico e poderoso do mundo, em termos econômicos, muito acima da Alemanha, Japão, Reino Unido, EUA e demais potências atuais.  No início do século XX, ela estava entre as 12 nações mais ricas do mundo, pelo quesito de renda per capita, além de ser extremamente liberal.

País economicamente pujante e sólido, altamente industrial e exportador, a Argentina tinha um plano bem sucedido de inclusão de migrantes: judeus, alemães, italianos, espanhóis, portugueses e outros atraídos por altos salários, qualidade de vida, exploração de terras,ferrovias, indústrias ou serviços. Vários deles com  alto poder de capital e giro  de investimento. Entre 1870-1920, mais de 70% do investimento estrangeiro na região, foi para a Argentina. Era um país rico, moderno, inserido em um mundo globalizado e ainda o líder no mercado essencial de alimentos e alimentos caros, ávido exportador e importador.

Basicamente, a Argentina era um “país europeu” em continente americano. Mas essa situação mudaria  a partir da Grande Depressão Americana. De 1930 até 1980 houve uma sequência de governos populistas e juntas militares que se revezavam no poder. Ou seja, o argentino soube “trabalhar bem” (estou sendo sarcástico); destruiu um projeto de riqueza e prosperidade em basicamente 100 anos de populismo, estatismo e crises políticas internas e altos índices de corrupção.

DNA Peronista

Em outra ocasião, farei um artigo sobre a história do Peronismo e do Partido Justicialista. Mas tudo que você precisa saber AGORA é: Cristina Kirchner e Alberto Fernández que são peronistas, são membros ativos do Foro de SP, organização que tem o apoio/participação de Evo Morales, Nicolás Maduro, Rafael Correa, Fernando Henrique Cardoso, Lula e Dirceu e outras pessoas da pior espécie.

Além disso, Alberto Fernández é um dos fundadores do Grupo de  Puebla, ao lado de Lula.

Página de Fundadores do Grupo de Puebla
https://www.grupodepuebla.org/fundadores/

Sun Tzu em A arte da Guerra fala:  “Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se… conheces a ti mesmo, mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Caso não conheça nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas”

Grande parte da população argentina e dos partidos políticos, seguem a cartilha : 20 verdades peronistas. Então vamos conhecer essa cartilha:

1ª) A verdadeira democracia é aquela em que o governo faz o que o povo quer e defende um único interesse: o do povo.
2º) O peronismo é essencialmente popular. Todo círculo político é antipopular e, portanto, não peronista.
3º) O peronista trabalha para o MOVIMENTO. Aquele que em seu nome serve a um círculo ou a um líder; é apenas no nome.
4º) Para o peronismo, não há mais do que uma única classe de homens: os que trabalham.
5º) Na NOVA ARGENTINA trabalhar é um direito e é um dever, porque é justo que todos produzam pelo menos o que consomem.
6º) Para um peronista não pode haver nada melhor do que outro peronista.
7º) Nenhum peronista deve sentir mais do que é ou menos do que deveria ser. Quando um peronista começa a sentir mais do que é, começa a se tornar um oligarca.
8º) Na ação política a escala de valores de todo peronista é a seguinte: primeiro a Pátria, depois o Movimento e depois os homens.
9º) A política não é um fim para nós, mas apenas um meio para o bem da Pátria, que é a felicidade dos seus filhos e a grandeza nacional.
10º) Os dois braços do peronismo são a justiça social e a ajuda social. Com eles damos ao povo um abraço de justiça e amor.
11º) O peronismo anseia pela unidade nacional e não pela luta. Ele quer heróis, mas não mártires.
12º) Na NOVA ARGENTINA, os únicos privilegiados são as crianças.
13º) Um governo sem doutrina é um corpo sem alma. É por isso que o peronismo tem uma doutrina política, econômica e social: o justicialismo.
14º) O justicialismo é uma nova filosofia de vida, simples, prática, popular, profundamente cristã e profundamente humanista.
15º) Como doutrina política, o justicialismo equilibra o direito do indivíduo com o da comunidade.
16º) Como doutrina econômica, o Justicialismo realiza a economia social, colocando o capital a serviço da economia e esta a serviço do bem-estar social.
17º) Como doutrina social, o Justicialismo realiza a justiça social, que dá a cada pessoa o seu direito na função social.
18º) Queremos uma Argentina socialmente justa, economicamente livre e politicamente soberana.
19) Constituímos um governo centralizado, um estado organizado e um povo livre.
20º) Nesta terra o melhor que temos são as pessoas.

 

Leu todos os 20 pontos? Se sim, vai entender que  lembra muito bem o PT, PSOL e demais partidos socialistas aqui do Brasil e mundo. Ser corrupto, estatizador e mentiroso, faz parte do DNA peronista para angariar a “massa”.

Veja a quantidade de vezes que os peronistas estiveram no poder:

 

Ciclo Vicioso 

O termo Default é utilizado no mercado financeiro para especificar quando países não conseguem pagar suas dívidas (tanto externa quanto interna). Embora em português, o termo mais utilizado seja o “calote”, no jargão do mercado financeiro o termo utilizado é o Default.  Mas o Default não significa que o país não pagará suas dívidas. Em algumas situações específicas ou o descumprimento temporário do pagamento, geram o Default, que pode ser feito depois com juros ou renegociação.

A Argentina se acostumou a viver um ciclo vicioso de calotes  após a Independência da Argentina (realizada em 1816) :

 

Análise da Situação Atual

Veremos graficamente alguns dados, histórico e como a situação econômica atual da Argentina está péssima. Lembrando que os dados são analisados após o fechamento do mercado financeiro, no dia 23 de Agosto (domingo). Em sua variação diária, a situação nesta segunda (e nos próximos dias ) poderá ser diferente:

  • Câmbio

O peso argentino em poucos anos perdeu totalmente seu poder de compra, totalmente desvalorizado. O dólar é usado massivamente pela população argentina como forma de proteção cambial.

  • Argentina Stock Market (MERVAL)

O Índice Merval computa os dados das ações das principais empresas negociadas na bolsa de valores de Buenos Aires, na Argentina. Como sempre, o setor privado segura o rojão.

  • Taxa de Crescimento anual (PIB)

Ao olhar o gráfico, percebe-se que a Argentina é um país muito irregular, sempre está em recessão.

 

  • Taxa de Desemprego

Taxa de desemprego acima de 10 por cento

  • Taxa de Inflação 

Atualmente, a taxa de inflação está acima de 40 %

 

  • Dívida Governamental

A Argentina registrou uma dívida governamental equivalente a 89,40% do Produto Interno Bruto do país em 2019. Segundo projeções econômicas, projeta-se uma tendência de cerca de 95 % em 2021 e 93% em 2022

 

 

Alberto Fernández – Apagando fogo com gasolina

Em junho deste ano, Fernández resolveu estatizar a maior empresa de cereais e agroexportador da Argentina, o Grupo Vicentin.

Na noite do dia 21 de agosto (sexta-feira), após o fechamento do mercado financeiro, o presidente peronista Alberto Fernández resolveu interferir/congelar os preços dos  serviços de telefonia e televisão do país, em uma anúncio feito por uma thread no Twitter. Segue a tradução:

“Decidimos declarar serviços públicos de telefones celulares, serviços de internet e televisão por assinatura. Desta forma, garantimos o acesso a eles para todos.
Também organizamos o congelamento das tarifas de telefone, internet e TV paga até 31 de dezembro. Dadas as restrições que a pandemia nos impõe, ninguém deve abrir mão de parte de sua renda para fazer frente aos aumentos nos preços desses serviços.
Dessa forma, estamos recuperando instrumentos regulatórios que o governo anterior tirou do Estado. O direito dos usuários e consumidores é um direito reconhecido constitucionalmente. Doravante, não poderá haver aumento sem a aprovação prévia do Estado.
Educação, acesso ao conhecimento, cultura e comunicação são direitos básicos que devemos preservar. Por isso, ordenamos que a partir de agora haja planos inclusivos de benefícios básicos, universais e obrigatórios para quem tem menos.”

Grave isso, não?  Isso lembra os anos 80 aqui no Brasil?

Algumas empresas como Saint-Gobain Sekurit, Basf, Axalta, Honda, MWM, Kimberly-Clark e diversas outras, estão demitindo e mudando a planta/produção para o Brasil.

Com o Coronavírus e o “lockdown forçado”, a situação só piorou.

 

Conclusão

Concordo com as palavras abaixo do meu amigo GVBA5:

 

 

Depois de analisar o passado e presente, quero deixar com você, querido leitor, que tenha uma conclusão sobre a situação Argentina. Caso queira comentar mais sobre o assunto, terei o prazer de responder aqui nos comentários ou no meu Twitter pessoal.

 

Nunes, para Vida Destra, 24/08/2020
Vamos discutir o Tema. Sigam-me no Twitter @nunesinc e no Parler @nunesinc

Avatar
Acompanhe me
Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Adilson Veiga
26 dias atrás

Parabéns Nunes! Texto muito claro e um minucioso trabalho de pesquisa,

Sander Souza
Sander Souza
26 dias atrás

Ótimo artigo, meu amigo! Muito bom voltar a ler um artigo seu!
Pena que seja sobre algo tão triste, pois não é por falta de aviso que a Argentina se encontra nesta situação! Que nos sirva de lição!

Elisangela
Elisangela
25 dias atrás

Análise perfeita de fácil entendimento. Quase chorei de emoção ao ler as 20 verdades peronistas, falando de abraço e justiça social. Lembrei o quanto na escola os professores romantizaram os peronistas. Um ponto que percebo é que os defensores de Amoêdo e partidos de centro no Brasil, flertam com modelos socialistas, enquanto fingem liberalismo na economia. Aguardo ansiosamente, em um próximo artigo, descobrir mais sobre o peronismo e justicialismo. Abraços, Nunes e amigos do Vida Destra. – Gogol, se ler o comentário, sinto sua falta no twitter ; ) – (No celular, não consegui abrir o anexo do GVBA, mas… Read more »

Elisangela
Elisangela
Reply to  Nunes
25 dias atrás

Grata pela atenção.
Agora deu certo, no celular.

Fábio
Fábio
25 dias atrás

Parabéns pelo texto !! Bem explicado !!

Conclusão fora esquerda

Luiz Antonio
25 dias atrás

Num artigo saudosista Nunes nos trás a situação econômica da Argentina que adotou congelamento de preços e estatização de empresa. Indago o autor qual foi papel de Yan Wanming quando esteve por lá? A lembrança é devida “Mi Buenos Aires Querido” e o tango.

Livio Oliveira
24 dias atrás

Parabéns pelo artigo Nunes!