MOSCOU (AP) – Manifestantes na maior cidade do Cazaquistão invadiram a residência presidencial e o gabinete do prefeito nesta quarta-feira (5) e incendiaram ambos os prédios, de acordo com novos relatórios, conforme as manifestações provocadas pelo aumento nos preços dos combustíveis no país da Ásia Central aumentaram drasticamente.

A polícia disparou contra alguns manifestantes no palácio presidencial antes de fugir. Eles entraram em confronto repetidamente com os manifestantes nos últimos dias, usando canhões com jatos de água no clima gélido, gás lacrimogêneo e bombas de efeito moral.

O governo renunciou em resposta aos distúrbios e o presidente prometeu tomar medidas severas para reprimi-los. Possivelmente no primeiro desses esforços, os sites de notícias do Cazaquistão ficaram inacessíveis no final do dia, e a organização global de vigilância Netblocks disse que o país estava passando por um apagão generalizado da Internet.

Embora os protestos tenham começado porque os preços de um tipo de gás liquefeito que é amplamente utilizado como combustível para veículos praticamente dobraram, o tamanho e a rápida propagação da agitação sugerem que eles refletem um descontentamento mais amplo no país, que está sob o domínio do mesmo partido político desde a independência da União Soviética em 1991.

O Cazaquistão, o nono maior país do mundo, faz fronteira com a Rússia ao norte e a China a leste e possui extensas reservas de petróleo, que o tornam estratégica e economicamente importante. Apesar dessas reservas e riqueza mineral, o descontentamento com as más condições de vida é forte em algumas partes do país. Muitos cazaques também se irritam com o domínio do partido no poder, que detém mais de 80% dos assentos no parlamento.

Horas depois que milhares de manifestantes se reuniram em frente à residência presidencial em Almaty, a agência de notícias russa Tass informou que o local estava pegando fogo e que os manifestantes, alguns empunhando armas de fogo, tentavam arrombá-lo. A polícia fugiu da residência depois de atirar contra os manifestantes, de acordo com o relatório, que foi feito no Cazaquistão.

Muitos dos manifestantes que convergiram para a prefeitura carregavam porretes e escudos, de acordo com relatos anteriores da mídia cazaque. Mais tarde, a agência Tass informou que o prédio estava em chamas.

Os manifestantes também invadiram o escritório de Almaty da companhia russa de rádio e televisão Mir e destruíram alguns equipamentos, disse a emissora. Mais tarde, ela relatou que uma multidão invadiu o edifício da emissora nacional do Cazaquistão, também em Almaty.

Os protestos começaram no domingo (2) em Zhanaozen, uma cidade no oeste, onde o ressentimento contra o governo era forte depois da greve dos petroleiros em 2011, na qual a polícia matou a tiros pelo menos 15 pessoas. Eles se espalharam por todo o país nos dias seguintes e na terça-feira (4) estouraram grandes manifestações na capital, Nur-Sultan, e em Almaty, a maior cidade e antiga capital do país.

Os protestos parecem não ter um líder ou reivindicações identificáveis.

Em uma declaração à nação transmitida pela televisão nesta quarta-feira (5), o presidente Kassym-Jomart Tokayev disse que “pretendemos agir com o máximo de severidade em relação aos infratores”.

Tokayev disse que policiais morreram em confrontos com os manifestantes, mas não apresentou números de vítimas imediatas para policiais ou civis.

No comunicado, ele também prometeu fazer reformas políticas e anunciou que assumirá a liderança do conselho de segurança nacional. Este último é potencialmente significativo porque o conselho foi chefiado por Nursultan Nazarbayev, que foi presidente de 1991 até sua renúncia em 2019.

Nazarbayev dominou a política do Cazaquistão e seu governo foi marcado por um culto  à sua personalidade. Os críticos dizem que ele efetivamente instituiu um sistema de clãs no governo.

Depois que as manifestações se espalharam por Almaty e a capital, o governo anunciou sua renúncia, mas Tokayev disse que os ministros permaneceriam em seus cargos até que um novo Gabinete seja formado, tornando incerto se a renúncia terá um efeito significativo.

Tokayev declarou estado de emergência de duas semanas para a capital e Almaty, impondo um toque de recolher durante a noite e restringindo o movimento para dentro e ao redor das cidades.

No início do ano, os preços do gás chamado GLP (gás liquefeito de petróleo) praticamente dobraram quando o governo se afastou dos controles de preços – parte dos esforços de transição para uma economia de mercado.

 

*Esta notícia pode ser atualizada a qualquer momento

*Fonte: Associated Press

 

Receba de forma ágil todo o nosso conteúdo, através do nosso canal no Telegram!

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments