Quanto mais a gente (sic) rala, mais a gente cresce (…) A vida me ensinou a nunca desistir/ nem ganhar, nem perder, mas procurar evoluir.” (Chorão/ Charlie Brown Jr.)

 

Começo essa crônica pedindo licença – poética – aos leitores do site Vida Destra. Em praticamente todos os meus artigos, eu sempre falo de política e da minha visão sobre o cotidiano. Hoje, porém, eu quero falar também um pouco da minha paixão, praticamente pública, por esportes – mais especificamente de um que eu acompanho há muito tempo: o futebol.

Meu pai, já falecido, não gostava que eu assistisse aos jogos; não queria sequer que eu acompanhasse. Mesmo assim, comecei a me interessar pelos campeonatos, mesmo regionais e, por tabela, a entender um pouco das regras. Paralelo a isso, nasceu a paixão pelo São Paulo Futebol Clube. E para mim, clubismo à parte, o time tem a camisa mais linda e imponente do mundo.

Assim como a minha paixão nasceu no momento da dor – no dia 16 de dezembro de 1990, data em que o São Paulo perdeu o título do Campeonato Brasileiro para o Corinthians em pleno Morumbi – eu vi, por várias vezes, o clube perder campeonatos em casa. A derrota mais doída, para mim, foi na final da Taça Libertadores de 1994. Lembro-me de, aos 16 anos, chorar feito criança.

Também vieram os títulos, claro. E foram muitos. Como torcedora, confesso, não esperava que o meu tricolor passasse tanto tempo na fila. Não só do Paulistão, conquistado depois de longos 16 anos, mas de qualquer outro campeonato. Quem é torcedor sabe o quão é difícil amargar uma fila. Porém, o são paulino – que é “mal-acostumado” por natureza – sofreu um pouco mais.

No último domingo, 23 de maio de 2021, 89º aniversário da Revolução Constitucionalista de 1932, o São Paulo renasceu – devolvendo não só pra mim, mas também à sua imensa e apaixonada torcida, o doce sabor de ser campeã. Se os dias de luta foram sofridos, os de glória finalmente chegaram.

(Desculpe o “desabafo”, caro leitor, mas antes de ser jornalista, sou são paulina. É a minha vez de comemorar!).

 

 

 

Lucia Maroni, para Vida Destra, 28/05/2021.                                                              Sigam-me no Twitter, vamos debater o tema! @rosadenovembroo

 

Crédito da Imagem: Luiz Jacoby @LuizJacoby

 

Receba de forma ágil todo o nosso conteúdo, através do nosso canal no Telegram!

 

As informações e opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade de seu(s) respectivo(s) autor(es), e não expressam necessariamente a opinião do Vida Destra. Para entrar em contato, envie um e-mail ao [email protected]
Acompanhe me
Últimos posts por Lúcia Maroni (exibir todos)
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments