ALGUNS INIMIGOS

Existem alguns tipos de inimigos, e nenhum deles é bom de se ter.

Existe o inimigo declarado, explícito, e que você sabe que terá de combater, caso não queira sucumbir.

Outro tipo é o escondido; é aquele que você não vê, mas sabe que está por ali em algum lugar. Esse é pior que o inimigo declarado.

O terceiro e último tipo que quero comentar é pior que os dois anteriores; é o inimigo camuflado.

É o que se finge de justo e correto, mas é nada parecido com isso. Esse tipo é mais traiçoeiro, insidioso, odiento e vingativo; é o que se passa por isento, mas tem um lado bem definido e sob o qual ficam subjugadas todas as suas atitudes.

Esse terceiro tipo, que age com artimanhas normalmente aparentando como se amigo fosse, muitas vezes é aquela mídia nojenta que mente e omite; a que deveria noticiar para que o leitor, o ouvinte, ou espectador formasse sua opinião.

É a que deveria entregar os ingredientes para que pudéssemos formar o prato ao nosso gosto, seja esse gosto qual fosse; mas não, o que faz é entregar um prato pronto e sempre carregado nos temperos que lhe aprazem, além de bem apimentados.

JOÃO DÓRIA – O DEUS

João Dória, governador do estado de São Paulo (lamentavelmente para nós, paulistas) também pertence ao terceiro tipo; ardiloso, inescrupuloso, arrogante e com as cores da megalomania.

O self-made man João Dória amealhou uma fortuna por volta dos 200 milhões de reais, aparentemente em função da sua capacidade profissional; mas na condição de político, não passa de um marqueteiro barato; e esse marqueteiro é aqui usado no aspecto mais negativo desse termo enquanto adjetivo.

Em março do ano passado, poucos dias após a OMS ter declarado estado de Pandemia da COVID-19 e em reunião dos governadores com o presidente da república, o governador Dória, certamente com o objetivo de ser considerado como líder dos governadores e de sair bonito na foto, resolveu tentar enquadrar o presidente da república em plena reunião. Bolsonaro é um sujeito sanguíneo e de formação militar e que parece não ter participado do curso “A Arte de Engolir Sapos”.

Não engoliu.

Retrucou e desancou o outrora e a contragosto parceiro da dupla “BolsoDória” em 2018.

Há um livro com o pomposo título “Sucesso com Estilo”. Seria de se imaginar que a pessoa que escreveu esse livro tivesse o estilo mencionado no título em vez de tentar cartadas intimidatórias em uma reunião com os ocupantes dos principais cargos executivos do país.

JOÃO DÓRIA – O BABACA E TRAIDOR

Dória não é neófito na função de traidor político; além de Bolsonaro teve outros “parceiros” transformados em desafetos, e não foram poucos, e dos que já receberam o seu apoio, há alguns tão opostos quanto o próprio Bolsonaro e Fernando Haddad.

A atuação política gera desafetos, coisa comum em atividade de fortes disputas, mas João Dória age com temperamento colérico e em sua luta fratricida manda a ética para as calendas.

Um exemplo é Geraldo Alckmin, o picolé de chuchu, que é conhecido no meio político pela postura equilibrada.

A exceção à essa regra foi a altercação com Dória, na qual esse último foi chamado de “traidor”, em alto e bom som, após vencer o pleito de 2018.

Mais um para o caderninho.

O MARQUETEIRO

Dória se elegeu prefeito de São Paulo logo no primeiro turno em 02/10/16 com a promessa, dentre outras, de cumprir o mandato; e essa promessa foi quebrada somente 15 meses depois, com a renúncia em 12/03/18.

As ações de marketing vieram desde o primeiro dia: São Paulo Cidade Linda; guerra aos pichadores; doações de veículos para segurança nas vias Marginais Tietê e Pinheiros, Corujão da Saúde (o programa de maior visibilidade para o mascate, digo, marqueteiro); muro de vidro separando parte da USP da marginal Pinheiros; jardins suspensos na Avenida 23 de Maio, etc.

Todas elas foram ações de impacto, mas que foram fenecendo e a maioria sumiu por completo.

O objetivo era somente para fixação da marca “João trabalhador” para o alcaide que se vestia de gari nos finais de semana e era flagrado de forma agendada (a incoerência foi proposital) e com tudo meticulosa e competentemente preparado para causar a boa impressão.

O marketing funcionou a ponto de esconder a renúncia à prefeitura.

Empresário competente que é, passou para muitos a impressão de que poderia atuar como um bom gestor aliando a função de captador de recursos.

O grande gestor Joaozinho tranca rua andou confundindo as coisas.

Quando se falava em vender o estado de São Paulo, isso era dito como uma metáfora para vender a imagem de investimento seguro; mas o governador parecia mais estar se utilizando do verbo vender no sentido literal; e o sonho maior talvez seja o de vender o Brasil.

TRAIDOR DA POPULAÇÃO

Pior ainda do que trair outrora parceiros políticos foi o ato de trair a população do estado onde foi eleito; e se o marketing funcionou para o pulo da prefeitura para o Palácio dos Bandeirantes, perdeu a eficácia e não terá força para ejetar o João Trabalhador até Brasília.

A Pandemia instalou no planeta dúvidas e quase que nenhuma certeza; os protocolos existentes se mostraram fracos e ineficazes, porém seria de se esperar que um gestor acima da média conseguisse criar ações que fossem pelo menos coerentes e coordenadas. Não é o que se vê.

O direito de decidir como melhor lhe conviesse foi dado pelo STF.

Os recursos para o combate à pandemia foram repassados pelo governo federal.

Então o governo do estado toma as medidas que quiser, recebe os recursos extras dos quais necessita, não consegue combater a epidemia (e nem estou falando dos números engordados desde o início), e então cria um novo paradoxo, tentando colar no presidente da república a total responsabilidade pela situação de hoje, que está pior do que há um ano.

NOVAS CAMISETAS

Na campanha da qual pretende participar em 2022 o protótipo de bom gestor precisa prever o gasto com novas camisetas, pois as do ”Bolsodória” perderam a validade pouco depois das eleições.

Tenho uma modesta sugestão, uma frase que identificasse o candidato e sem o nome de mais ninguém.

Que tal: João Traidor?

 

 

Reginaldo Brito, para Vida Destra, 19/03/2021.                                                                Sigam-me no Twitter! Vamos debater o assunto! @Reginaldoescri1

 

Crédito da Imagem: Luiz Augusto @LuizJacoby

 

Receba de forma ágil todo o nosso conteúdo, através do nosso canal no Telegram!

 

As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade de seus respectivos autores e não expressam necessariamente a opinião do Vida Destra. Para entrar em contato, envie um e-mail ao contato@vidadestra.org

 

Últimos posts por Reginaldo Belo de Brito (exibir todos)
Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Luiz Antonio Santa Ritta
6 meses atrás

Neste brilhante artigo de @Reginaldoescr1 em que enquadra João Dória como marqueteiro enganador e traidor, fico perplexo como o TRE-SP e TCE-SP não viram os malabarismos que fez na Embratur e na Prefeitura. Parece até com o filho do Lulinha saiu do Zoológico e ganhou a Mega Sena.