A jovem “ativista” Greta Thunberg nunca me despertou o menor, o ínfimo interesse. Sinceramente, não estamos diante de um Mozart, que aos cinco anos de idade compôs um concerto para cravo. Estamos diante de uma adolescente como várias outras quaisquer, que achou por bem, ou teve influência dos adultos próximos, tentar chamar a atenção do mundo para um tema que já é largamente discutido por cientistas, medíocres ou não, sem ainda uma solução brilhante, viável ou satisfatória.
Sempre vi com estupefação o fato de alguém, em sã consciência, frequentar eventos, às vezes até badalados, para ouvir Greta Thunberg fazer todo aquele teatro, com caras e bocas, tipoestou muito brava com vocês destruidores dos meus sonhos, ou, nas palavras dela: “Pessoas estão sofrendo, pessoas estão morrendo, ecossistemas inteiros estão entrando em colapso”. Pessoas sempre morreram, pessoas sempre sofreram. Colapso em ecossistemas inteiros? Isso é um tantinho exagerado, mocinha! Se fosse colapso cerebral em quem ouve tanta baboseira, seria mais fácil de se acreditar. Mas, brincadeiras a parte, o mais incrível disso tudo é que esses ouvintes atentos (será?) são pessoas supostamente esclarecidas, prontas para agir com o propósito de obter resultados práticos, reais para a melhoria do nosso habitat. Ao ver tais cenas, podemos questionar: o que significa tudo isso? Espero muito que não seja somente o nefasto desejo incontrolável de “lacrar”, porque, se for isso, onde vai parar a humanidade?
Vamos lá, vamos raciocinar friamente sobre esse assunto, com calma. Alguns andaram afirmando por aí que essa garota pode ser, sim, o símbolo da luta em favor do ecossistema e coisa e tal. Que ela é perseguida somente por lutar pela defesa da preservação do meio ambiente. Muito bem, ela poderia fazer isso e muito mais, se sustentasse um discurso mais sábio, mais consciente, que revelasse a preocupação com o nosso planeta e com os que vivem nele, de forma razoável, com dedicação a estudos sérios sobre o assunto e com a visão ampla que essa matéria requer: verificar todas as consequências, equilibrar os fatores positivos e negativos das ações, examinar o que se é possível mudar e o que ainda não se pode mexer. Dito isso, alguém pode questionar mas ela é só uma criança, não podemos exigir tudo isso dela! Então, que ela volte para escola e aprenda sobre o que ela quer defender, dedique a sua vida a isso, como muitos apaixonados pelo tema o fazem.
Por outro lado, eu, pelo menos, não vou fazer nenhuma afirmação sobre quem está financiando esse desvario, ou se isso começou com uma “lacração” comum dos nossos adolescentes e foi captado como uma grande sacada pelos os oportunistas de plantão, ou se todo o circo já foi minuciosamente planejado e executado por aqueles que formam as ditas sociedades secretas, ou outros disparates mais. É que eu não tenho provas, não tenho base factual para dedicar tempo e energia tentando provar tais coisas. A vida real já tem bastantes aventuras, podem crer.
Agora, como se essa esquisitice toda já não fosse o suficiente para estarrecer os mais centrados, como se as mentes brilhantes da nossa mídia tradicional já não tivessem, há muito, ultrapassado todas as barreiras do ridículo em seu mais alto grau, jornais e revistas resolveram jogar, como uma grande cartada, as manchetes “Eduardo Bolsonaro publica imagem falsa em ataque a Greta Thunberg”, “Foto de crianças africanas feita em 2007 foi usada em montagem contra Greta Thunberg; veja” e outras mais. Como assim? Era um meme, pessoal! Por favor, sei que não se importam em fazer feio, mas isso já foi longe demais. Estão chamando seus ouvintes e leitores de completos tapados? É isso mesmo? Inacreditável!
Olha, diante de tanta coisa bizarra para se ver nesse universo psicodélico da imprensa nacional e internacional, eu pergunto, qual é o público-alvo desse povo, Santo Deus do Céu? Eu e vocês, queridos leitores, é que não somos. Então, quem? A quem esses lunáticos pensam que estão enganando? Resta apenas o velho e bom humor, aquele que é contrário ao humor primitivo, para lidar com tamanha insensatez. Afinal, rir, contar piada, divertir-se, brincar é característica própria do ser humano, e, pela mãe do guarda, não podemos perder a nossa humanidade.
Gogol, para Vida Destra, 01/10/2019.
Gogol

Últimos posts por Gogol (exibir todos)

7 Comentários

  1. Apoiadíssimo, Gogol ! Penso igual a vc. Não só o discurso dela é ensaiado como a imagem dela. Pela primeira vez vejo alguém se referindo a ela como adolescente. A imprensa a trata como menina. Usa tranças, roupas modestas e xadrez para parecer mais jovem e mais humilde. Não me comovo c uma frase sequer. Uma ecochata!

  2. Direcionados aos eleitores da “sinistra” no mundo todo, pessoas adestradas há muitos anos com informações rasas,incoerentes, muito triste tudo isso.

    • Sim, o mais impressionante é como esses discursos rasos, como vc disse, Armando, podem ganhar a atenção de alguém. Não é preciso que se faça uma análise profunda das falas desses ditos ativistas, para se verificar que todo aquele emaranhado de palavras não quer dizer absolutamente nada. Muitos políticos e jornalistas também estão usando esse método de falar, falar e não dizer nada.

  3. Não conhecia esta revista mas li e gostei muito.
    Texto simples e direto de fácil compreensão por parte do leitor.
    Muito bom!

Sua participação é muito importante para nós do Vida Destra. Participe, comente e interaja!