Nosso colaborador ítalo-brasileiro Paulo Boccato, mostra em uma visão bem pessoal, sobre a importância de uma organização ideológica para os conservadores brasileiros. Façam uma boa leitura !!!


 

A esquerda a bem da verdade não teve apenas um só ideólogo de renome e prestígio ao longo da história (e me refiro ao italiano Antonio Gramsci, natural da Sardenha). Teve muitos outros, menos famosos que o italiano, mas todos igualmente ‘letais’, localmente em suas estratégias sociais, para a tomada do poder (grifem isto em suas mentes)! Mariatégui, um peruano foi um deles. Saul Alinsky, um norte-americano outro e a lista é longa, longa mesmo, mas, um que ficou famosão talvez tenha sido (eu assim pelo menos acho) o Sr. Wladimir Lenin, ah!, este, reconheçamos o valor do inimigo, amigos ‘direitosos’, tinha um computador entre as orelhas e um instinto ‘animal’, no entanto o ‘Oscar’ da estratégia de esquerda parece caber de fato ao italiano nascido na cidade de Ales que o conquistou mundialmente, até porque sua estratégia já veio parida para o mundo e não apenas para a Itália da época mas projetada para as futuras gerações em um longo prazo de um metódico processo de ocupação, minudente, dos extratos sociais via infiltração nas academias militares, universidades, escolas, mídia, igrejas,prefeituras, parlamentos, etc. Visando a transformação social ‘por dentro’ e sem derramamento de sangue .

Todos eles, estes estrategas, tiveram mais ou menos sucesso em seus países de militância (Lenin mais que todos) e em suas estratégias que eram – dito aqui em um simples resumo – locais, nacionais, ainda que o russo líder da Revolução Bolchevique tenha influenciado bastante internacionalmente até um certo período mas também ele, assim como os outros, esbarrou na (Graças a Deus!) resistência ARMADA de setores militares, civis e eclesiásticos (bons tempos) e na reação da alta burguesia passando pela classe média e até mesmo pela imensa maioria da população na base do extrato social que resistiram em armas ao avanço comunista (no caso de Lenin, este foi hábil em captar o ‘proletariado’) .

Mas e Gramsci , qual o seu sucesso nisto, o seu ‘gênio’ ? Já disse lá em cima, tomar o poder lentamente, sem uso de armas, abjurando o ‘guerrilhismo, mansa e pacificamente tal e qual a um vírus que após inoculado vai se replicando mais e mais…bem disse Mario Gramsci, o irmão fascista de primeira ordem de Gramsci ao próprio Benito Mussolini que seu ‘fratello’ era perigoso e que o melhor para o fascismo seria mata-lo e neste ponto a história não foi limpa com o Duce italiano, este recusou com asco tal ideia e ainda replicou ao sr. Mario ‘seu irmão é um intelectual, inteligentíssimo, não se pode matar homens assim!’…nem adiantaria mesmo gastar a bala porque naquela altura Antonio Gramsci já tinha escrito seu ” manual” ! Gramsci tinha um outro fator de sucesso em suas mãos,ele possui uma ideologia enquanto ‘barro’ para moldar !

E no Brasil ? ‘Bão’, por aqui, assim como no resto da América Latina, eles perderam todas as batalhas desde 1930 até a guerrilha do Araguaia, justamente porque esbarraram nas FFAA e em uma mídia ainda de não todo contaminada, mas que hoje é e está) além de uma população natural e religiosamente avessa ao comunismo em geral mais ainda o comunismo raivoso, tosco e tipicamente sul-americano, filocastrista lá dos anos 60. Quando se deram conta que na base do fuzil sempre perderiam, veio o gramscismo em seu auxílio. Abriram mão da infantilidade ‘guerrilhesca’ quando ao fazerem uma uma ‘reuniãozinha’ safada em São Paulo (lá hotel Danúbio), decidiram unificar por este método gramsciano em todo continente via Foro São Paulo e…deu certo! Lula tomou banho, escovou os dentes, fez a barba, vestiu um terno, gravata, modificou o discurso ficando mais palatável a classe média, deixou de assustar a todos com o seu sindicalismo radical, e virou o ‘lulinha paz e amor’ .Uma vez chegar ao poder, botou toda a máquina a serviço desta estratégia de poder perpétuo (para a casta política) e jamais de governo (para o povo) e o mesmo se replicou por toda a América Latina, feito um vírus! E foi precisamente um ‘vírus’ matou o “vírus”.

Mas o que deu errado aqui? ‘Bão’, olha gente, já falei um milhão de vezes que a direita ‘renascida’ deveria erguer uma estátua ao José Dirceu (risos) pois ele fez indiretamente mais por nós no curto período em que foi o “primeiro-ministro” do atual presidiário da PF em Curitiba do que até mesmo o grande e fabuloso Olavo de Carvalho e sua renomada obra e que hoje só tem a chance de ser aplicada por conta das ‘cagatte’ do Zé, o “guerreiro do povo brasileiro” ! E porquê ? Simples, com a sua ganância (comuna adora dinheiro, nunca se esqueçam disto ainda mais se for dos outros!!) Zé Dirceu ao instituir a corrupção generalizada de estado, ‘por dentro’, estando no sistema e sendo o ‘’capo’’ do sistema, fez apodrecer a estratégia do ‘zio’ Gramsci via mensalão…caíram um a um todos os esquemas, mas começou ‘graças’ ao seu José Dirceu (merece uma estátua) !

Ela simplesmente, a estratégia de Gramsci, não suportou outra coisinha que comuna odeia, a verdade ! Minou-se a áurea construída pela propaganda quanto a ‘pureza’ da esquerdalha e tudo ruiu…e chegamos nós !
Mas e nós ? Quem é o nosso Gramsci ?

Quem ainda até aqui não deletou este texto deve ter pensando ‘o Olavo’, mas não meus caros, lamento dizer que não me parece ser infelizmente ele, o maior filósofo brasileiro vivo que temos, temido pela “comunalha” a ponto de ter se auto exilado nos EUA por conta das ameaças de gente ‘pacífica’ como o tal Frei Beto , mas porque ? Olavo nunca almejou criar uma estratégia para ‘chegar ao poder e nele se manter’ até porque seria preciso o grande Olavo ter se alinhado ideologicamente a algo que não existe ainda, um credo, uma ideologia conservadora e sendo assim. Olavo é em essência um pensador (e que pensador!) conservador, e ‘só’. Olavo nunca foi um ideólogo, nunca criou “ideologia” . E assim, a isto, é fato que não temos no campo conservador , um ideólogo !

Ouso dizer do alto de minha ‘inguinoranssa’ que este é o desafio para não batermos cabeça neste momento precioso enquanto aproveitamos a ‘debacle’ da esquerda (atenção, atentos porque eles vão se reorganizar ainda mais se o Supremo Traste Federal soltar Lula) no Brasil e no continente como um todo (na Europa em um processo mais lento isto também está acontecendo) pois sem uma ideologia (sim! e eu quero uma prá chamar de minha no campo conservador!!) tal poder lamento dizer, será efêmero em algumas urnas a frente . É precisamente a ideologia, aquela, que está por trás de uma estratégia de poder (e que assim tem de ser senão para quê a estratégia ?) e que por sua vez norteia um partido –instrumento social de idéias, atos e realizações – que forme ‘quadros partidários’ e administre o poder com disciplina e método é o que necessitamos vide o que ocorre hoje com o tal PSL…serviu de ‘cavalo’ a Bolsonaro mas só! Nunca foi uma agremiação com perfil claro, definido de programa ideologicamente conservador e disciplina partidária. Estão certos os Bolsonaros em procurar por um ninho novo mas sem um ideologia inequívoca para o campo conservador, digo que novamente vai acabar em ‘brigaiada’ também.

Lamento ver tantos bons conservadores dizerem ‘não temos ideologia’…pois eu já digo, é bom formatarmos uma e bem rapidinho !

Sem isto, caros amigos, eles voltam…

Paulo Boccato, para Vida Destra, 17/10/2019.

Avatar
Últimos posts por Paulo Boccato (exibir todos)
Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Mary Alves
Mary Alves
11 meses atrás

Não tinha pensado nisto. E não é que é verdade!
Precisamos de um ideólogo.