Neste domingo (o artigo está sendo redigido no domingo à noite para publicação na terça-feira), milhões de brasileiros honrados e cansados da tirania de governadores e prefeitos, saíram às ruas em massa por todo o Brasil.

Mesmo diante do medo imposto pelo terrorismo psicológico implantado pelos veículos de comunicação tradicionais, e as administrações estaduais e municipais nos mais diversos cantos do país, os brasileiros não se curvaram e ecoaram por todos os confins do Brasil, um retumbante NÃO ao fascismo sanitário que vem esmagando liberdades e destruindo direitos constitucionais.

De grandes capitais a diversas cidades do interior, todas as unidades federativas tiveram adesão maciça aos protestos contra as absurdas medidas de restrição de liberdades, mais conhecidas como “Lockdowns”, que tem sido decretadas por todo o território nacional. Essas medidas vêm destruindo empregos, causando um aumento alarmante nos suicídios e aproximando perigosamente milhões de brasileiros da miséria.

Além da luta pela liberdade, da batalha contra o autoritarismo assombroso de gestores públicos ineptos, as manifestações também demonstraram, em todo o Brasil, um imenso e incontestável apoio ao atual Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, uma das poucas figuras públicas que tem lutado bravamente pela defesa das Liberdades Individuais e da preservação democrática através do respeito à nossa Constituição Federal.

Bolsonaro se tornou uma ilha de retidão moral e compromisso com o povo, em meio a políticos inescrupulosos que preocupam-se apenas com a próxima eleição. Sua atuação em defesa do clamor popular é um exemplo jamais visto em toda a história da república. A voz do povo é por ele ouvida como jamais fora por qualquer outro político brasileiro.

A recompensa por tamanho amor e devoção a seu povo, é um apoio maciço e inabalável, que movimenta multidões em qualquer lugar do Brasil.

É preciso, todavia, que o brasileiro compreenda que o Presidente da República tem poderes limitados. Poderes estes, ainda mais reduzidos no texto da Constituição Federal de 1988. Portanto, entender que a tripartição do poder confere diferentes atribuições a cada poder constituído é fundamental para que se saiba como – e de quem – cobrar cada demanda.

Saber escolher seu Deputado Federal, seu Deputado Estadual, seu Senador, seu Vereador, é tão importante quanto escolher o seu Prefeito, Governador ou Presidente. Afinal, sem harmonia entre os poderes, o povo será sempre o maior prejudicado.

Muitos questionam o Presidente da República sobre a atitude de Governadores e Prefeitos, mas não compreendem que quem tem a incumbência de fiscalizá-los são suas respectivas casas legislativas, as Assembleias Legislativas nos estados e as Câmaras Municipais nos municípios.

É no Poder Legislativo que reside a força para frear autoritarismos que partam do respectivo Poder Executivo. Conhecer o funcionamento das nossas instituições é fundamental para o conhecimento profundo da relação de poderes e do histórico das decisões políticas no Brasil, levando assim à possibilidade de uma ação muito mais efetiva no momento presente, visando o estabelecimento de um futuro promissor.

É assim que se transforma um país, com conhecimento e acesso à informação. Nada será conquistado através de revoluções, a não ser a destruição e o caos.

Isto posto, é fácil entender como devem caminhar os protestos daqui pra frente. Sempre pautados pelo respeito inquestionável à Constituição e à democracia, com pautas que nos levem a cobrar os direitos constitucionais que estão sendo violentados de forma covarde e vil por governadores e prefeitos.

Não cabe, dentro de manifestações democráticas – como sempre foram e sempre serão todas as manifestações da direita – pautas que peçam qualquer rompimento institucional. Caso percebam alguma pessoa com este tipo de demanda em uma manifestação, afaste e isole, não se pode aceitar extremismos que apenas levam a resultados nocivos à sociedade.

Felizmente, nas ruas, isto não tem sido visto. As demandas radicais e muitas vezes inconstitucionais, aparecem muito mais nas redes sociais, através de revolucionários travestidos de conservadores, que infiltram os movimentos populares com a intenção de promover agendas políticas pessoais. De pessoas assim, sempre escolha a distância. Somos fiéis devotos da democracia popular e é o povo quem pode salvar um país.

Finalizando, é mister que as manifestações continuem. Apenas um dia de protestos e manifestações jamais será o suficiente para fazer com que políticos autoritários respeitem a democracia. O povo precisa se fazer ouvir todos os dias e para isso, a paciência e a retidão na missão patriótica são fundamentais.

Mudanças jamais acontecerão do dia para a noite. Tudo aquilo que precisamos transformar leva tempo e, portanto, demanda uma energia constante dos envolvidos.

Em breve alusão ao esporte, não estamos participando de uma competição de 100m rasos, estamos participando de uma dura e longa maratona e é preciso saber direcionar nossa energia e nossos esforços, para que os resultados sejam justamente aqueles almejados. Liberdade e respeito pela democracia brasileira.

O dia 14 de março de 2021 pode entrar para a história do Brasil, como um ponto de inflexão na participação democrática popular, mas para isso, o povo brasileiro precisa continuar demonstrando nas ruas que finalmente acordou para seu papel de protagonista de sua própria história e não mais um mero coadjuvante nas mãos de nefastos “gestores públicos”.

 

 

Lucas Jeha, para Vida Destra, 16/03/2021.                                                              Sigam-me no Twitter! Vamos conversar sobre o artigo! @LucasJeha

 

As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade de seus respectivos autores e não expressam necessariamente a opinião do Vida Destra. Para entrar em contato, envie um e-mail ao contato@vidadestra.org
Lucas Jeha
Acompanhe me
Últimos posts por Lucas Jeha (exibir todos)
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments