O confinamento imposto devido ao risco de contaminação pelo coronavírus tem-nos causado experiências estranhas.

Um cotidiano parecido com o de séculos atrás, quando as famílias trabalhavam em suas propriedades e, muito raramente, se ausentavam. Pouco havia para se fazer fora de casa além de visitar um parente, comprar algum item muito específico ou ir à igreja.

De fato, é como se estivéssemos em outra época. Eu, particularmente, sinto-me como se tivesse voltado no tempo 520 anos, menos 1 mês! Sim, a 22 de abril de 1500!

Nesse cenário há um grupo de pessoas em terra e outro em caravelas. Um grupo carrega vírus que poderá ser mortal para o outro! E estamos assim: olhando uns para os outros à distância. Preocupados com a contaminação e as prováveis mortes. Os que estão nas caravelas, angustiados, anseiam por sair a campo, pisar na areia, entrar nos rios e sentirem-se novamente livres. Porém, estão também temerosos de contaminar o grupo da praia. A verdade é que a água doce, o alimento e todos os demais recursos das caravelas, que já eram escassos, estão agora em situação ainda mais crítica. Todos estão apreensivos!

E, aqui, me pergunto: que diferença faz desembarcar em 1500 ou em 2020?

Afinal, não importa quanto tempo passe, quando houver contato, haverá contágio. Torço para que logo abandonem os barcos e tomem a terra!

Estou tranquilo para dizer essas coisas e não posso ser acusado de egoísmo, já que muita gente no Brasil não sabe ao certo em que grupo está: se no das caravelas ou no da praia. Mas sei que somente quando o das caravelas desembarcar o Brasil será, de fato, uma nação.

Geovani GSo, para Vida destra, 22/04/2.020.

Sigam-me no Twitter! Vamos conversar, @GeovaniGSo

Avatar
Últimos posts por GeovaniGSo (exibir todos)
Subscribe
Notify of
guest
8 Comentários
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
jose cicero de olivera
jose cicero de olivera
2 meses atrás

Bom dia,ou seja não temos escolhas,ou morre ou vive.

Geovani Geo
Geovani Geo
Reply to  jose cicero de olivera
2 meses atrás

“Acho que a solução é simples. Se esforce para viver ou se esforce para morrer.”
— Um Sonho de Liberdade

Luiz Antonio de Sabta Ritta
2 meses atrás

‪Brilhante texto de Geovani que coloca em choque uma contextualização temporal de 1500 e hoje. Só critico atualmente algumas pessoas que se arvoram, sem nenhum Direito, contra outras pessoas.‬

Ede Isobel Maranho
Ede Isobel Maranho
2 meses atrás

Muito bom.

Gogol
2 meses atrás

Parabéns, amigo! Certamente não somos um povo preparado para as adversidades, que, no mundo real, surgem mesmo. Achar solução para os problemas sem histeria seria o esperado de pessoas conscientes. Mas o q vemos são ratos tentando tirar proveito da situação, tentando mostrar-se os salvadores da pátria, como os socialistas/comunistas adoram fazer. E, por outro lado, pessoas com medo até da sombra, ligadas 24 horas na mídia podre, sorvendo suas mentiras e sofrendo sem motivo. Imagine essas pessoas em campos de concentração; ou sob ataque de aviões, bombas caindo a poucos metros de distância; ou morrendo de fome sob a… Read more »

Geovani Geo
Geovani Geo
Reply to  Gogol
2 meses atrás

Olá, amigo. Impressiona-me a sua resposta por ser o resumo do que se tornou nossa sociedade.
E nisso tudo o que vejo é como o humanismo/materialismo prosperou. As pessoas perderam a noção completa da realidade. Resumem tudo ao que é visível e se esquecem da Verdade maior!

Que Deus tenha compaixão do nosso povo.

Fábio
Fábio
2 meses atrás

Parabéns pelo texto

celso alexandre ferraz franco
celso alexandre ferraz franco
2 meses atrás

a DIFERENÇA É QUE TEMOS A INTERNET PARA NOS MANIFESTARMOS E NÃO FICARMOS REFÉNS DO QUE ORDENAVA A CORÔA.