A troca de cúpula das Forças Armadas havida nesta terça-feira (30) é procedimento normal decorrente da regra de antiguidade.

Diferente do que vem sendo desinformado, a ordenação nas FFAA é feita por meio de postos ou graduações; dentro de um mesmo posto ou graduação se faz pela ANTIGUIDADE no posto ou na graduação.

Logo, não se trata de “Troca geral no comando por ordem do Presidente”, apenas, devido à nomeação do Gen. Braga Netto, seus comandados não costumam ser mais antigos do que ele nas forças armadas, conforme artigo 14 parágrafo 1º do  Estatuto dos Militares, assim disposto:

A hierarquia militar é a ordenação da autoridade, em níveis diferentes, dentro da estrutura das Forças Armadas. A ordenação se faz por postos ou graduações; dentro de um mesmo posto ou graduação se faz pela ANTIGUIDADE no posto ou na graduação.

Internautas veem com naturalidade a movimentação

Para o jornalista Paulo Figueiredo: “Teria me surpreendido imensamente se o Gen. Pujol ficasse como Comandante do Exército subordinado ao Gen. Braga Netto (mais moderno) Min. da Defesa”, avalia.

Carlos Barros, professor e influencer: “Não se pode chamar de interferência o exercício Constitucional da Presidência da República”.

Já para Renato Gomes, ex-oficial da Marinha do Brasil e Mestre em Direito Público:

O militar que, com referência ao caos atual, abre a boca para falar que ‘as FFAA não devem se prestar a aventuras’, merece, no mínimo, 10 dias de prisão administrativa rigorosa. Pela desonestidade intelectual e covardia frente ao politicamente correto, se possível, deveria perder a patente”, afirma.

 

*Por Renata Araújo (@Renata_AFVA)

*Esta notícia pode ser atualizada a qualquer momento.

 

Receba de forma ágil todo o nosso conteúdo, através do nosso canal no Telegram!

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments