“Todos os fatos, têm três versões; a minha, a sua e a verdadeira”.

Provérbio Chinês

 

Após vencermos as incertezas e a ansiedade diante de um novo governo que representa a ruptura de um sistema falido, sobrevivemos esperançosos para uma nova jornada.  O que apresento não é exercício de futurologia, mas para nos preparamos sobremaneira para as surpresas que virão, faz se necessário um estudo perfunctório dos movimentos políticos e suas consequências.

No legislativo, vencidas as pautas do governo, e com sentimento de vitória, esperamos uma navegação mais confiante. A votação do Fundão, a desidratação do Projeto Anticrime, o Juiz de Garantias, são comemorados, mas é sabido que nada mais é que uma vitória de Pirro, ou traduzindo para uma expressão genuinamente brasileira; “o molho está mais caro que o peixe”. As eleições municipais comprometerão os serviços do Congresso Nacional, pois seus atores, visando fortalecer suas respectivas bases, tanto nos pequenos centros, como nas principais capitais do país, subirão em palanques diversos. A oposição manterá seu discurso de perdedor, atacando desabridamente o executivo, bem como atrasando e/ou travando pautas importantes para o bom andamento dos projetos do governo.

No judiciário, o modorrento Ministro Dias Tofolli, envidará esforços para votação de pautas indigestas, já em um primeiro momento, contemplando a sua gestão de presidente da casa, que se encerrará em setembro próximo; a boa notícia, a ascensão do equilibrado Ministro Luiz Fux ao posto, para mandato de dois anos. Em novembro próximo, ao completar 75 anos, o Ministro Celso de Mello, se aposentará, oportunizando o Presidente Bolsonaro a fazer sua primeira indicação. Pode acontecer, de terminarmos o ano de 2020, com um ministro a menos no STF, pois o Presidente estudará cada movimento do jogo, usando o tempo a seu favor, com a proximidade do recesso do judiciário. Fiquemos atentos aos nomes, alguns já conhecidos do público, mas outros poderão ganhar força nos próximos meses.

No executivo, há especulação de reforma ministerial, que aqui vaticino que ocorrerá, mas não como a mesma dimensão propalada pela oposição. A estrela da companhia será o Ministro Tarcísio Gomes de Freitas, da Infraestrutura. No Ministério da Justiça e Segurança Pública, o Ministro Sérgio Moro dará continuidade ao combate ao crime organizado e à corrupção; continuará recebendo ataques infundados, mas já experimentado, após sua estreia na política, seguirá sem sobressaltos. Na economia, o ministro Paulo Guedes, no vácuo dos acontecimentos colaterais, dará forte sustentação ao Governo Federal, apresentando melhoras em todos os índices. Não vislumbro maiores avanços em outras áreas, mas veremos a continuação da fatigante guerra de narrativas, tendo como expoente, o bom e surpreendente Ministro da Educação, Abraham Weintraub, o que melhor representa a defesa da boa governança.

Diante de um cenário favorável, com contornos bem definidos, a estultícia do Presidente, somado ao trabalho hercúleo de sua equipe, terão importância substancial em 2020.

Nos Estados Unidos, o Presidente Trump, que ora se esquiva de processo de impeachment, ganha mais força para sua reeleição, porém, o desgaste, por menor que seja, poderá representar alguma perda no mercado internacional, favorecendo ao Brasil, que emerge de uma terrível crise sem precedentes. No Reino Unido, sob a batuta de Boris Johnson, o Brexit poderá acontecer a fórceps, ainda na primeira metade do ano, o que também poderá favorecer ao Brasil, que ressurgirá como parceiro comercial, reeditando a ótima relação, cultivada desde o Brasil Império.

Resta ao povo, confiar no Presidente e seus ministros, aliviar as tensões causadas pela tóxica polarização e manter-se vigilante.

Feliz ano novo!

Max Miguel para Vida Destra 01/01/2020

Max Miguel
Acompanhe me

Últimos posts por Max Miguel (exibir todos)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui