Quero deixar claro meu depoimento e posicionamento obre os recentes acontecimentos que foram noticiados na mídia nacional e que causaram polêmica em redes sociais, depois que o “Fantástico”, com objetivo de causar comoção social, entrevistou o transexual Suzi, quem de forma dramatúrgica, romântica, relatou suas dificuldades e desafios na prisão.

Curioso que Suzi ficou em silêncio a respeito dos crimes (estupro e homicídio de uma criança!) que cometeu. Lamentavelmente a mídia sequer fez menção a esses crimes e tenha certeza: foi proposital!!!

É possível perceber o dolo na conduta da mídia. Para isso, basta fazer uma busca rápida na mente, de todas as matérias que leu, assistiu a respeito de temas publicitados pela mídia que vão contra tudo aquilo nós, homens médios e cidadãos de bem, acreditamos.

Sabemos que nas redações jornalísticas há pessoas quem são defensoras dos “direitos humanos”, do “politicamente correto”, do aborto, além de pedir o fim da PM, a legalização das drogas, ou seja, fazem apologia de todas pautas da esquerda.

Especificamente, quero falar da conhecida “Ideologia de Gênero”, tão defendida entre os “progressistas”, entre a nata da imprensa atual. Melhor dizendo, é a Ideologia da Ausência de Sexo, é uma crença segundo a qual os dois sexos — masculino e feminino — são considerados construções culturais e sociais, e que por isso os chamados “papéis de gênero” (que incluem a maternidade, na mulher) decorrem das diferenças de sexos alegadamente “construídas cultural e socialmente” — e que por isso, então, não existem.

Por ser cidadão brasileiro, tenho de igual forma a você, leitor, a obrigação de
preocupar-me com a infância! Devido à boa educação que tive posso afirmar que tenho o dever e o imperativo moral de agir e questionar situações atuais que confrontam e escandalizam a minha consciência, a minha formação cristã e creio que o senso comum das pessoas normais, fundadas em princípios cristãos.

Movido por minha consciência, minha formação acadêmica e cristã, bem como minha obrigação social, escrevo essa breve reflexão, REFÚGIO DOS CANALHAS, com a finalidade de despertar em você leitor a mesma indignação na qual estou tomado!

Quem apoia a ideologia de gênero são as mesmas que querem destruir os valores cristãos, familiares e se contrapõe a aqueles que, assim como eu, não abaixa a cabeça e tem coragem de dizer: deixem nossas crianças em paz!

A sexualização da infância é algo asqueroso, que causa repúdio e nojo na maioria das pessoas, em especial nestes tempos atuais, quando a pedofilia torna-se um perigo muito evidente. No caso do estuprador e assassino, que fez terrível mal à família e indiscutivelmente àquela criança, agora vem se esconder atrás de um personagem denominado “SUZI”, que sofre imensamente na cadeia!

Na verdade é sujeito de personalidade criminosa, imoral e tem como base ideias iguais, semelhantes a da grande mídia nacional, que quer destruir os valores cristãos e a moralidade correta; querem destruir as famílias brasileiras!

Portanto, ser contra essa malfadada IDEOLOGIA DE GÊNERO é preservar a sanidade psicológica das crianças, sobretudo porque não se podem prever os maléficos efeitos e em qual dimensão viriam para cada um, haja vista que tais questões são as que mais geram
perturbações no futuro dos adolescentes e dos adultos que eles se tornarão. Essas crianças, na verdade, são submetidas a uma espécie de tortura, pela falta de condição para pensar sobre tais temas.

O que quero dizer: uma criança ainda não tem discernimento, e claramente sequer maturidade, para fazer escolhas tão profundas quanto mudança de sexo! A criança, assim, não se tornará livre e madura no futuro! Tal, futuro, quando adulto, ficará imerso em
perturbações, por que não conseguiu, durante a infância, vivenciar o crescimento físico e mental de forma adequada: brincando!

Ora, a criança tem que ser somente criança, e não se pode exigir dela tamanha para escolher qualquer coisa, mormente que sexo quer ser! Isso é cruel, é grotesco!

Certo é que quem educa são os pais, a Escola tem apenas a função de ensinar conteúdos e nunca doutrinar ou fazer as vezes da família. A infância é, na realidade, as “férias”
da alma! Tem que ser vivida livre de preocupações, ainda mais preocupações de adultos, tão desconfiados do próprio sexo, como a autora repugnante dessa teoria de gêneros! Estão descontando as próprias frustrações nas crianças?

Diante dessa situação, a qual eu, como muitos brasileiros, reputam extrema gravidade, por trás da “simples” matéria jornalística, achamos por bem deixar marcado meus protestos!

As pessoas, bem intencionadas, mandaram cartas para o presídio, para essa Suzi; essa é a
demonstração mais cristalina de que não existe cidadão preconceituoso, homofóbico, diante de matéria apresentada de forma dramatúrgica, romantizada. Muitos ficaram sensibilizados, claro. Sabemos da precariedade estrutural dos presídios brasileiros é inegável isso. Mas é inegável que a matéria foi omissiva, quanto à natureza dos crimes cometidos pela personagem entrevistada pelo famoso médico, que não é juiz. De nada, nem da própria, nem da moralidade alheia. aliás.

Conclamo os que respeitam a liberdade de expressão e de opinião e a liberdade religiosa, e que cultuem os valores cristãos, para se unirem nessa luta, onde a família é a preocupação principal e o motor de toda expressão e ação. A ideologia de gênero não é uma ideia vaga, mas se revela como uma agenda poderosa que agrada a setores radicais que se dizem “progressistas”, que têm voz na grande mídia e na academia, mas que querem incutir e incrementar a sexualização de nossas crianças, pelos caminhos dessa malsinada “ideologia de gênero”. Essa sexualização precoce é facilitar que criaturas ingênuas e indefesas sejam presas fáceis para a pedofilia!

A militância midiática pela defesa da ideologia de gênero em suas programações, a crítica constante desses meios à fé cristã e a agenda de destruição dos pilares da
sociedade, que são a família e os valores cristãos, não se apagam com um simples pedido de desculpa ou nota oficial! Sabemos realmente o que querem e do que são capazes…

Caro leitor: eles estão subestimando nossa inteligência ao se defenderem do indefensável!

Suzi está presa, justamente condenada e momentaneamente impossibilitada de
fazer qualquer mau às nossas crianças, mas a mídia nacional e os partidos de esquerda
continuam a agenda em favor da ideologia de gênero para que pessoas como essa condenada não sejam sequer criminalizadas!

Porque na distorcida concepção deles caso não houvesse “preconceito”, dogmas religiosos, educação moral e cívica, aquele menino de 9 anos facilmente teria “aceitado” se relacionar com Suzi. Dessa forma, extraem um “final feliz” de uma história monstruosa: assim o menino estaria vivo e Suzi não sofreria no sistema carcerário…

O grande escritor Jorge Scruton certa vez disse que o “O relativismo moral é o primeiro refúgio dos canalhas.” E, eu, concordo plenamente. Canalhas, canalhas, canalhas mil vezes são todos eles!

É como penso e escrevo.

Abraão Fernandes, para Vida Destra, 13/3/2.020.

Sigam-me no Twitter! Vamos conversar sobre o tema! @Abraaofer

Abraao Fernandes
Últimos posts por Abraao Fernandes (exibir todos)
Amigos e leitores, pessoas físicas/jurídicas! Colaborem com a Revista @vidadestra sem tirar dinheiro do seu bolso. Baixe o app LunesPay e ganhe 25 pontos de vantagens. Seremos remunerados por cada download a partir do nosso link. Contamos com a direita! https://bit.ly/BaixeLunesPay-0
Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Mauro Tagliari
Mauro Tagliari
8 meses atrás

Parabéns, linda resenha!

Tania Mara Pimentel Gomes
Tania Mara Pimentel Gomes
8 meses atrás

Perfeito! Uma visão objetiva e realista do que significou aquele apelativo quadro do Fantástico.

Sérgio Augusto Barizon
Sérgio Augusto Barizon
8 meses atrás

O texto reflete todo pensamento das pessoas de bem do nosso país, dificilmente detalhes como saber todo contexto do cárcere do entrevistado, se passaria por desapercebido por uma redação de jornal, ainda mais essa em horário nobre. Somente nos leva a crer, que ainda insistem em nos subestimar.

Berenice Souza Teixeira
Berenice Souza Teixeira
8 meses atrás

Texto perfeito. Retrata o q as pessoas q tiveram uma educação cristã, baseada nos valores da família, pensam. ????

Valeria Araújo
Valeria Araújo
8 meses atrás

Em defesa das crianças devem estar todos os cristãos e pessoas do bem.
Ideologia de Gênero é uma patologia que visa adoecer nossas crianças para facilitar a ação predatória dos pedófilos.
A quem interessa isso?
Aos defensores de pedófilos!
Simone de Beuavoir – musa das feministas – liderava a FLIP?Front de libération des Pédophiles – ela, juntamente com simpatizantes e seu amante Jean P. Sartre, explicaram claramente isso em 7abril de 1978 pela Radio France Culture.
Isso vem de longe!!!!
Acordemos!

Jorge Bechara David
Jorge Bechara David
2 meses atrás

Gostei muito do seu artigo. Boa noite.