Não há dúvidas de que o principal desejo da esquerda sempre foi, é, e sempre será ter o poder total e absoluto nas mãos. Em outras palavras: a esquerda quer se perpetuar eternamente no poder (e não sair nunca mais). Prova disso é o que acontece, por exemplo, em Cuba, onde a tirania comunista da família Castro já dura pouco mais de 60 anos.

Aqui no Brasil, a esquerda também trabalha pelo mesmo objetivo. Embora a esquerda não tenha permanecido muito tempo no governo, ela, mesmo assim, conseguiu montar sua estrutura de poder e influência dentro de algumas instituições. Ela, num primeiro momento, seguiu o ensinamento de Gramsci:

“Não tomem quartéis, tomem escolas, igrejas, universidades, e instituições; não ataquem blindados, ataquem idéias; não usem a força física, usem a palavra; não assaltem bancos, assaltem redações de jornais e meios de comunicação; não se mostrem violentos, mas sejam sempre dóceis e pacifistas”

Depois de ter cumprido esta etapa, a esquerda já estava se preparando para, caso voltasse ao governo, colocar em prática as diretrizes para instituir o poder total. Elas estão contidas numa cartilha específica (que seria uma espécie de plano de governo). Trata-se do “Decálogo” (escrito por Lênin em 1913).

Este mesma cartilha contém 10 ações táticas da esquerda para a tomada do poder (qualquer semelhança com a agenda do PT e de outros partidos esquerdistas nos dias de hoje não é mera coincidência! É pura realidade)!

Vejamos, na íntegra, o teor do tal “Decálogo”:

1 – Corrompa a juventude, e dê a ela total liberdade sexual;

2 – Procure se infiltrar nos meios de comunicação de massa, e depois controle todos eles;

3 – Divida a população em grupos antagônicos, incitando-os a promover discussões sobre assuntos sociais e de interesse comum;

4 – Destrua a confiança do povo em seus líderes. Faça com que eles fiquem com a imagem denegrida perante a opinião pública;

5 – Fale sempre sobre democracia e em Estado de Direito; mas assim que puder (e tão logo haja a primeira oportunidade), assuma o poder sem nenhum escrúpulo;

6 – Colabore para o esbanjamento do dinheiro público; coloque em descrédito a imagem do País (principalmente no exterior), e provoque o pânico e o caos na população por meio da inflação;

7 – Promova greves, mesmo ilegais, nas indústrias e setores vitais do País;

8 – Provoque distúrbios sociais, e contribua para que as autoridades constituídas não os proíbam;

9 – Contribua para a destruição dos valores morais, da honestidade e da crença nas promessas dos governantes. Nossos parlamentares infiltrados nos partidos democráticos devem acusar os não–comunistas, obrigando-os, sem pena de expô-los ao ridículo, a votar somente no que for de interesse da causa socialista;

10 – Procure catalogar todos aqueles que possuem armas de fogo, para que elas sejam confiscadas no momento oportuno, tornando, deste modo, que seja impossível oferecer qualquer resistência à nossa causa.

Vamos, agora, analisar todos estes itens (um por um), para vermos o quanto eles se aplicam à nossa realidade nos dias de hoje (e, principalmente, para vermos a semelhança com a agenda do PT e dos demais partidos de esquerda):

1 – Corrompa a juventude, e dê a ela total liberdade sexual;

Não é exatamente assim que o PT e os demais partidos de esquerda agem ao promoverem as nojentas “paradas gays”, além de estimularem o homossexualismo, o aborto, a pedofilia, o combate à homofobia, e outras imoralidades? Isso sem falar do apoio incondicional da mídia corrupta (leia-se Rede Globo) ao divulgar tudo isto para todo o público (principalmente através das novelas).

Não podemos também esquecer dos “kits gays” que estavam sendo apresentados nas escolas para as nossas crianças! E nem precisa falar do casamento gay que os homossexuais querem aprovar, e da adoção de crianças por duplas de gays (além de outras imoralidades)!

2 – Procure se infiltrar nos meios de comunicação de massa, e depois controle todos eles;

O maior exemplo disso são as pesquisas tendenciosas de opinião, sem contar a programação já preparada para alienar o povo (a Globo é a campeã disso). Quem tem a mídia na mão controla quem estiver sob o seu poder. Ou alguém vai dizer que não?

Vale lembrar que a esquerda desejava, a todo e qualquer custo, aprovar (se é que não já aprovou) o “Marco Civil da Internet” (para ter o controle total e absoluto da mídia). Em outras palavras: a esquerda sempre quis (e ainda quer) ter uma imprensa totalmente subserviente a ela. É ou não é uma censura (ainda que indireta)? E onde fica o nosso direito à liberdade de expressão (que é garantido pela Constituição)?

Não podemos esquecer, também, do desejo da esquerda de aprovar o PL 2630 (lei da censura)! A esquerda quer, a todo e qualquer custo, calar a voz do povo (principalmente a dos seus opositores)!

3 – Divida a população em grupos antagônicos, incitando-os a promover discussões sobre assuntos sociais e de interesse comum;

A esquerda, para dominar o povo, utiliza a tatica de “dividir para conquistar”: ela coloca brancos contra negros, ricos contra pobres, homens contra mulheres, cristãos contra ateus, heterossexuais contra homossexuais, e, mais recentemente, “nós” (da esquerda) contra “eles” (da direita).

Através da alienação da mídia (principalmente através das novelas), a esquerda consegue distrair o povo. Não é sem razão que, em virtude disso, são poucas as pessoas que têm interesse em discutir política, poucos sabem o que acontecem no cenário político nacional, o povo só quer saber de Carnaval, futebol, BBB (e outras futilidades). Com isso, a esquerda consegue controlar tudo e todos (sem que ninguém perceba). E com as distrações oferecidas, a esquerda tem liberdade total para maquinar seus planos perversos contra o povo (como, por exemplo, a criação de mais impostos). Ou alguém vai dizer que não?

4 – Destrua a confiança do povo em seus líderes. Faça com que eles fiquem com a imagem denegrida perante a opinião pública;

O livro “ASSASSINATO DE REPUTAÇÕES – UM CRIME DE ESTADO”, escrito por Romeu Tuma Júnior (filho do ex–policial federal Romeu Tuma), mostra como a esquerda agia (e ainda age) para se manter no poder a todo e qualquer custo. Vasculham a vida de seus adversários, e “queimam a imagem” deles em público (sem contar os “dossiês” que são fabricados contra possíveis oponentes). Isso para jogar a opinião pública contra quem está sendo investigado (ou chantageado).

5 – Fale sempre sobre democracia e em Estado de Direito; mas assim que puder (e tão logo haja a primeira oportunidade), assuma o poder sem nenhum escrúpulo;

É exatamente assim que a esquerda age: ela se finge de “vítima” (para enganar o povo), mas, nos bastidores, deseja o poder absoluto. Através do marxismo cultural, a esquerda consegue ir “moldando” aos poucos o povo ao seu jeito. Assim que todos já estiverem totalmente dominados, então virá, de surpresa, a tomada do poder. E aí já será tarde demais para reagir!

Como boa parte do povo não tem conscientização política, aí fica fácil para a esquerda se eternizar no governo. E este processo se torna muito mais rápido através de políticas populistas e assistencialistas (como o Bolsa Família). Alguém ainda tem alguma dúvida quanto a isso?

6 – Colabore para o esbanjamento do dinheiro público; coloque em descrédito a imagem do País (principalmente no exterior), e provoque o pânico e o caos na população por meio da inflação;

O melhor exemplo disso (desse mesmo esbanjamento de dinheiro público) foi o que aconteceu com a Petrobrás. A estatal perdeu muito dinheiro (e quase faliu) devido às falcatruas da sua diretoria (composta, em grande parte, por gente do PT). Isso comprometeu a imagem da empresa perante a opinião pública.

Muitos investidores ficaram receosos de investir no Brasil, principalmente quando Dilma foi reeleita. O melhor exemplo disso foi quando o banco Santander publicou uma nota dizendo que uma possível reeleição de Dilma seria prejudicial ao mercado financeiro. Vejam alguns detalhes aqui .

7 – Promova greves, mesmo ilegais, nas indústrias e setores vitais do País;

Nos estados governados pelo PT, houve greves em vários setores (inclusive nos que são considerados essenciais para o público): polícia, professores, motoristas, médicos. Quem garante que não foram agentes do próprio governo que incitaram estas mesmas greves? E sem contar que muitas das centrais sindicais (que, quase sempre, incitam essas mesmas greves) são quase todas filiadas aos partidos de esquerda (principalmente o PT)!

8 – Provoque distúrbios sociais, e contribua para que as autoridades constituídas não os proíbam;

As passeatas dos “Black Blocs” e de outros grupos semelhantes são a prova mais do que evidente desses mesmos distúrbios. São verdadeiros anarquistas, que querem se subverter contra a lei, a ordem, o respeito às instituições, e o direito à propriedade privada (haja vista os inúmeros casos de depredação de patrimônio público e privado).

Isso sem contar os casos de morte nessas manifestações (como a do cinegrafista Santiago Andrade, da Band). E também não podemos esquecer dos manifestantes que são aliciados (ou financiados) por gente do próprio governo (como o MST e o MTST)!

9 – Contribua para a destruição dos valores morais, da honestidade e da crença nas promessas dos governantes. Nossos parlamentares infiltrados nos partidos democráticos devem acusar os não–comunistas, obrigando-os, sem pena de expô-los ao ridículo, a votar somente no que for de interesse da causa socialista;

Os valores morais da nossa nação estão sendo destruídos de forma conjunta: políticas demoníacas da esquerda (através da divulgação de tudo que é imoralidade e depravação), contando com o apoio da TV do inferno (que é a Globo). Honestidade no nosso país é uma verdadeira raridade (principalmente na politica). Aliás, pode-se dizer que achar alguém honesto na nossa política como um todo é como tentar achar uma agulha num palheiro.

10 – Procure catalogar todos aqueles que possuem armas de fogo, para que elas sejam confiscadas no momento oportuno, tornando, deste modo, que seja impossível oferecer qualquer resistência à nossa causa.

É com base neste item que foi elaborado o “ESTATUTO DO DESARMAMENTO”. A esquerda sabe que, se cada cidadão tiver sua própria arma, poderá se defender dos possíveis ataques contra a sua família (e contra as suas propriedades). Para dar uma aparência “legal” à idéia proposta (do desarmamento), a esquerda alegou que as armas nas mãos dos cidadãos de bem contribuem para o aumento da violência. Ainda segundo a esquerda, só pode usar armas quem é responsável pela segurança do público (no caso, a polícia).

Mas nem sempre a polícia está presente quando mais se precisa dela (sem contar os casos de policiais corruptos). Além disso, o que dizer dos criminosos (principalmente traficantes) que têm armas pesadas (que nem a polícia tem)? Será que a esquerda teria coragem de desarmar estes mesmos indivíduos?


 

Anexo ao mesmo “Decálogo”, tem mais um outro documento intitulado “OS 10 PRINCÍPIOS DA ESQUERDA” (que, na verdade, nada mais é do que uma continuação do “Decálogo”). Vejamos quais são estes mesmos princípios (com alguns comentários após eles):

1 – Os esquerdistas crêem que não existe moral. Na verdade, os esquerdistas crêem apenas na moral que for favorável a eles mesmos, isto é, “não roubar” vale somente para os outros (mas os esquerdistas podem roubar à vontade para si próprios e também para aqueles que os ajudam);

Daí a razão de todo e qualquer crime cometido pela esquerda (ou por seus comparsas) quase sempre ficar impune. É a famosa justiça de “2 pesos e 2 medidas”: aos amigos, tudo; aos inimigos, a lei. Não é o que acontece hoje?

2 – Os esquerdistas promovem o anti–convencional, violentam os costumes, e preferem a descontinuidade. Não gostam de seguir regras diferentes das que eles mesmos criam;

É por isso que a esquerda deseja criar leis que sempre a beneficiem (em detrimento das leis já existentes). Tudo que for contra os seus interesses é taxado de “intolerância”, “ódio”, “exploração”, “ditadura” (e outros termos semelhantes).

3 – Os esquerdistas derrubam tudo que seja pré–estabelecido. São, por natureza, contra todo e qualquer sistema padronizado (que contém princípios já determinados há muito tempo);

Um exemplo disso é a tentativa de instituir outros tipos de família (como 2 homens ou 2 mulheres), para serem “alternativas” à família tradicional (composta por 1 homem e 1 mulher). Isso mostra que a esquerda quer agir contra o padrão já determinado por Deus desde a criação.

4 – Os esquerdistas agem com imprudência e irresponsabilidade, não importando quais prejuízos venham a causar aos que estão sob seu comando;

No governo do PT (mais precisamente na gestão de Dilma), a compra da refinaria de Pasadena foi o maior exemplo disso. O prejuízo para a Petrobrás foi terrível, sem contar o dano que isso causou em outros setores (principalmente na economia).

5 – Os esquerdistas desejam a uniformidade universal: todo mundo igual (exceto eles, quando estão no poder usufruindo de tudo que é privilégio);

É exatamente isso o que acontece em Cuba e na Venezuela (e também em outros países comunistas). O povo inteiro sofre com a fome e a miséria, enquanto seus dirigentes esbanjam (e ostentam) luxo e riqueza!

6 – Os esquerdistas não se impõem limites, e acreditam que podem melhorar, aperfeiçoar, e acabar com as imperfeições de tudo (inclusive do próprio ser humano). Para fazer uma omelete, é preciso quebrar os ovos (mas eles partem para quebrar todos os ovos, mesmo que não consigam fazer omelete alguma);

Para a esquerda, o Estado é o supremo provedor, ou melhor, todos são obrigados a ser totalmente dependentes do Estado. Como disse Lênin, “comerão das migalhas que caírem das nossas mesas. O Estado será Deus”

7 – Os esquerdistas são contra a liberdade e a propriedade privada. Preferem a escravidão, embora a chamem, de maneira sutil, por outros nomes: igualdade, responsabilidade social, justiça social, senso de coletividade, etc;

Daí a razão da esquerda querer sobretaxar as grandes fortunas (e também as heranças), bem como obrigar todos a dividirem o que têm com os mais necessitados (em nome de uma suposta “justiça social”).

8 – Os esquerdistas impõem coletivismo forçado. Tudo deve ser de todos (mas desde que seja sob o controle total do Estado);

É como disse Mussolini: “Nada acima do Estado, nada fora do Estado, e nada contra o Estado”. Para a esquerda, somente o Estado é o único que pode determinar o destino de tudo e todos. Em outras palavras: somente o Estado tem capacidade para decidir o que é melhor para o povo.

9 – Os esquerdistas desejam o poder desmedido e a liberação de todas as paixões humanas (marxismo clássico e marxismo cultural);

Não é sem razão que a esquerda deseja tomar o poder de um país, bem como permanecer eternamente nele.

10 – Os esquerdistas não querem estabilidade: pregam a revolução perpétua. Dizem promover a paz, mas são os maiores incentivadores de todas as guerras, manifestações, protestos, passeatas, arruaças, e lutas armadas.

A esquerda incentiva todas essas revoluções não só para tomar o poder, como também para combater (e eliminar) os eventuais opositores

Diante de todos os comentários sobre todos os itens do “Decálogo” e dos “10 princípios da esquerda”, eu pergunto: não é exatamente assim que o PT age (juntamente com os demais partidos de esquerda)?

Que todos, com esta mensagem, saibam quais são as verdadeiras intenções da esquerda, a fim de livrar o Brasil do perigo do comunismo!

“Há um caminho (como o do comunismo) que ao homem parece ser direito, mas o fim dele são os caminhos da morte” (Provérbios 14:12, o parêntese é meu)

 

Justiceiro Solitário, para Vida Destra, 11/7/2020.
Sigam-me no Twitter! Vamos debater meu artigo! @JUSTICEIROSOLI2

Justiceiro Solitário
Acompanhe me
Últimos posts por Justiceiro Solitário (exibir todos)
Subscribe
Notify of
guest
5 Comentários
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Sander Souza
Sander Souza
1 mês atrás

Parabéns por mais um excelente artigo!
Precisamos divulgar estas informações maciçamente, afim de alertar e instruir o maior número possível de pessoas!
Lido e compartilhado!

Luiz Antonio
1 mês atrás

No brilhante art. de Justiceiro Solitário s/a cartilha esquerdista, devemos considerar que houve um teatro das tesouras entre PSDB e PT, o que torna o período considerável. Alem disso, @opropriolavo conhece mais o Manifesto Comunista de que, a época Eduardo Jorge, que interrogado não sabia da inexistência da palavra “democracia”.

Nunes
Admin
1 mês atrás

Artigo brilhante!

Moises
Moises
30 dias atrás

Excelente!!!!

Marcelo Vieira
Marcelo Vieira
19 dias atrás

Muito bom mesmo! Não tem como não entender o que acontece por aqui nos últimos anos.