Bolsonaro qualificou Paulo Freire como energúmeno. Para as esquerdas alucinadas, isso foi uma heresia devidamente denunciada na imprensa e nas redes sociais. Afinal, Paulo Freire é aclamado pelas esquerdas brasileiras e mundiais como um dos maiores pensadores modernos, possuidor de uma mente brilhante e criador de um método infalível de alfabetização e uma verdadeira revolução na pedagogia. Um ícone sagrado, cuja obra jamais pode ser questionada, quanto mais o autor.

Quem estaria certo, Bolsonaro ou os esquerdistas? Confesso que fiquei em dúvida, pois sempre ouvi que Paulo Freire é o patrono da Educação brasileira, um gênio que criou a pedagogia crítica, cuja principal promessa é a derradeira libertação das novas gerações de uma sociedade opressora.

Tratei de pesquisar. E comecei buscando o significado do termo energúmeno. Está lá, nos dicionários, além da definição, uma série de sinônimos para esse termo:

Definição:
substantivo masculino
1. [Antigo] Pessoa dominada pelo demônio. = POSSESSO
2. [Figurado] Pessoa que, dominada pela paixão, tem atitudes ou comportamentos excessivos.
3. [Figurado] Fanático intolerante.

“energúmeno”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013,

Sinônimos:

  1. imbecil, ignorante, idiota, pateta, tonto, boçal, inepto, estúpido, tapado, besta, burro .

2.Pessoa desequilibrada e fanática, descontrolado, desatinado, exaltado, furioso, louco, arrebatado.
3.Possuído pelo demônio, possesso, endemoniado, endiabrado.

Em qual desses sinônimos Paulo Freire se encaixaria? Não creio que tenha sido um endiabrado e nem um descontrolado. Seria então um imbecil ignorante? Fui pesquisar novamente, procurando identificar as virtudes da obra do mentor da educação brasileira.

A primeira coisa que descobri é que Paulo Freire foi adepto do marxismo e, nisso, estava alinhado ao pensamento de Theodor Adorno e Max Horkheimer, autores da Teoria Crítica e criadores, juntamente com outros, da Escola de Frankfurt, responsável pelo marxismo cultural, a contracultura, inspiradora do feminismo radical, da ideologia de gênero, defensora do aborto, da liberação do consumo de drogas e o combate às religiões.

Descobri que ele escreveu sobre a Pedagogia Crítica e influenciou fortemente a Henry Giroux que a definiu como uma filosofia educacional, mas mais como um “movimento educacional, guiado por paixão e princípio, para ajudar estudantes a desenvolverem consciência de liberdade, reconhecer tendências autoritárias, e conectar o conhecimento ao poder e à habilidade de tomar atitudes construtivas.”

Paixão e princípio? Hum! Isso pode soar para alguns – e foi assim que pareceu para mim – como característico do fanatismo político dos marxistas e também como uma forma de exaltação e arrebatamento. Certo? Nesse ponto, passei a dar razão a Bolsonaro.

Mas, isso ainda me parecia tênue para caracterizar Paulo Freire como energúmeno. Seria ele também um idiota, estúpido, tapado e burro? Continuei pesquisando e tive certeza que não. Explico:

Paulo Freire é reconhecido pelo seu método de alfabetização de adultos, amplamente explicado em a “Pedagogia do Oprimido”, seu livro mais famoso e que deu início à sua notoriedade como pensador. Foi então que descobri que todo o método de Paulo Freire foi plagiado do método do pastor protestante norte-americano Frank Laubach, desenvolvido em 1915 e implantado com sucesso nas Filipinas. Laubach esteve no Brasil, em Pernambuco, em 1943 onde, no dizer do historiador, David Gueiros Vieira, “As cartilhas de Laubach foram copiadas pelos marxistas em Pernambuco, dando ênfase à luta de classes. O autor dessas outras cartilhas era Paulo Freire, que emprestou seu nome à “nova metodologia” como se ela fosse de sua autoria”.

Como se vê, Paulo Freire não pode ser acusado de ser idiota ou burro. Aliás, ele foi esperto, pois teve certeza que a autoria do método que plagiou não seria contestada por Laubach. Isso faz de Paulo Freire apenas um desonesto plagiador, cuja principal contribuição ao método de Laubach foi dar o viés desatinado de fanatismo, fúria e arrebatamento característicos do marxismo. E, por isso, pode muito bem ser chamado de energúmeno.

Laerte A. Ferraz, para Vida Destra, 17/12/2019
Foto: O plagiado e o plagiador.

Laerte A. Ferraz
Acompanhe me
Últimos posts por Laerte A. Ferraz (exibir todos)

29 Comentários

    • Um energúmeno que destruiu várias gerações. Sinto profundo ódio por este ser e também pela esquerda. Não me deram chance para orientar minhas filhas…eles as doutrinaram de tal forma que chegam a ser ignorantes e agressivas. E o pior ainda aconteceu. Uma de minhas filhas se declarou lésbica…. Estou sem chão.

  1. fantasticamente perturbavel,resolvida mente inquestionável, kkkk quase me deixei levar pela paulice freiriana agora,um dos maiores problemas do ser humano sem conhecimento é que qualquer noticia bem falada se torna veridica,belíssima explicação sobre paulo freire o energumeno. ….

  2. Que texto maravilhoso! Os esquerdistas, principalmente os professores, não vão conhecer a verdadeira face desse farsante porque só vão ler a manchete!🙄 Continuam doutrinas!

  3. Parabéns pelo texto. Bolsonaro é extremamente preparado para guerra política e surpreendentemente, também para guerra cultural. Penso que o termo usado pela ele em referência à Paulo Freire, analisando seu texto, é perfeitamente adequado. Foi apenas mais um idiota útil, indiretamente doutrinado pela escola de Frankfurt. Idiota útil cabe perfeitamente como um energúmeno. Abraço!

  4. O presidente Bolsonaro sabe exatamente o efeito de todas as suas palavras. É um jogador incrível! E a vitória é a liberação de todo o povo brasileiro, a tanto tempo oprimido pela esquerda maldita.

  5. Acho que a maioria dos esquerdistas não tem conhecimento d quem de fato ele foi e como sempre papagaios repetem a mesma narrativa.

  6. Muito didático e esclarecedor seu texto. Infelizmente eu e muitas outras pessoas foram
    enganadas por essa ‘metologia’ de ensino.

  7. Sempre foi admiradora de Paulo Feire. Estudei muito sobre sua pedagogia na faculdade e procurei imitar seu método pedagógico. Mas nunca imaginei que ele fosse um plagiado. E muito menos que fosse comunista. Isso as unidades não nos ensinaram. Logo elas que abominam o plágio. Bando de energúmenos (no pior sentido).

  8. Sempre foi admiradora de Paulo Feire. Estudei muito sobre sua pedagogia na faculdade e procurei imitar seu método pedagógico. Mas nunca imaginei que ele fosse um plagiador. E muito menos que fosse comunista. Isso as unidades não nos ensinaram. Logo elas que abominam o plágio. Bando de energúmenos (no pior sentido).

  9. A obra de Paulo Freire tem seu valor, medidas as devidas proporções, porém foi utilizada pra atender as pretensões da esquerda e produziu um atraso avassalador na nossa educação, deixando o tradicional q dá resultado na rede particular que não utiliza o material de Paulo Freire.

  10. Ótimo texto. Agrege a tudo que falou, que Paulo Freire é o causador de toda a destruição da educação brasileira. Da falta de respeito em salas de aulas, da difusão das drogas nas escolas e escolas com partidos [comunistas lógico]. Não podemos esquecer nada do que foi por ele legado. Toda esta juventude perdida pode por na conta dele.

Sua participação é muito importante para nós do Vida Destra. Participe, comente e interaja! Seus comentários e participação são nossos combustíveis. Caso queira criar um avatar para o seu e-mail, use o site : https://br.gravatar.com/connect/?source=_signup e cadastre a sua foto ao e-mail correspondente.