No meu primeiro artigo para o Vida Destra, escrevi sobre como a histeria se tornou lugar comum nos dias de hoje, onde tudo é ganhado no grito. Pois bem. Eis que hoje navegando por uma conhecida rede social, me deparo com uma matéria escrita pela Forbes, de 10 anos atrás, intitulada “Por que a OMS fingiu uma pandemia?” e assinada por Michael Fumento.

O vírus em questão, à época, era o H1N1 – conhecido por gripe suína – e gerou inclusive, uma investigação feita pela PACE (Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa). A Organização Mundial de Saúde foi acusada de manipular informações à sua conveniência.

Uma década depois, o que aconteceu? Um novo surto de uma gripe desconhecida, que tem uma baixa letalidade e que pode ser combatida com um remédio extremamente barato e que está há pelo menos 90 anos em uso. Mas a OMS, globalista em sua essência, resolveu dar novamente seu “jeitinho”.

Trancafiou, com a ajuda da imprensa (quiçá comprada) e também de governantes sedentos por autoritarismo, a população em suas casas. Obrigou as pessoas a se afastarem, cerceou a liberdade de ir e vir, restringiu – e muito – direitos religiosos, jogou famílias inteiras na miséria. Isso sem contar que ela escondeu do mundo, por semanas, que esse vírus – nascido e criado em solo chinês – estava se espalhando rapidamente. Os governos que tentavam conter o avanço da doença, fechando suas fronteiras – caso do Brasil – era rotulado de alarmista.

Enquanto o cidadão médio, apavorado, lutou para manter sua sanidade e seu emprego, a elite tratou, simplesmente, de desdenhar as recomendações que ela própria impôs. Pergunto a você, caro leitor, se chegou a ver alguém mais abastado se privar de aglomerações e festinhas? Ou mesmo usando a malfadada máscara?

Isso sem contar que esses privilegiados, em sua maioria, tiveram tratamento precoce – sem contar os que desdenharam dele por conta de uma ideologia burra.

Em tempos em que ainda existem pessoas presas em casa pelo pavor de serem contaminadas, retomar as rédeas da própria vida pode ser um ato de extrema coragem – ou quando vemos uma minoria querendo ditar regras na nossa vida – ou rebeldia. Assuma seu lado!

 

 

Lucia Maroni, para Vida Destra, 12/01/2021.                                                              Sigam-me no Twitter, vamos debater o tema! @rosadenovembroo

 

Crédito da Imagem: Luiz Augusto @LuizJacoby

 

As opiniões expressas nesse artigo são de responsabilidade de seus respectivos autores e não expressam necessariamente a opinião do Vida Destra. Para entrar em contato, envie um e-mail ao [email protected]
Lúcia Maroni
Acompanhe me
Últimos posts por Lúcia Maroni (exibir todos)
A partir de 1 de Fevereiro, não utilizaremos mais o Instagram e Whatsapp por causa da nova política do Face. Utilize nossos canais oficiais
📢 Canal Telegram 📢 t.me/vidadestra
👥Grupo Telegram 👥 t.me/VidaDestraGrupo
📰Canal Boletim Vida Destra 📰 t.me/BoletimVidaDestra
Subscribe
Notify of
guest
4 Comentários
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Reginaldo Belo de Brito
13 dias atrás

Poisé, Lúcia. A OMS já tem histórico de carregar nas cores da disseminação do medo, ao tempo em que se esquece de denunciar origem do vírus bem como toma o caminho inverso ao de combater com medicamento barato e eficaz. Parabens!

Nunes
Admin
13 dias atrás

As coisas estão da forma que estão, pois a maioria fala AMÉM para os governantes

Luiz Antonio
13 dias atrás

No primoroso artigo de @rosadenovembroo sobre manda quem pode, obedece quem tem juízo, chegou a hora da desobediência civil como aconteceu em Búzios. Caso contrário, iremos para o matadouro, quer dizer a vacina!

Moises
Moises
12 dias atrás

Muito bom