Após a ocorrência de um evento adverso grave (ou seja, neste caso, óbito )* no dia 29/10, a Anvisa determinou a interrupção do estudo clínico da vacina CoronaVac, segundo informe na segunda-feira (10/11).

O estudo está interrompido para avaliação dos dados observados até o momento e  nenhum voluntário poderá ser vacinado. Essa interrupção faz parte das Boas Práticas Clínicas, seguindo normas nacionais e internacionais.

Vale lembrar que o Dória afirma constantemente que a vacinação usando o CoronaVac, do laboratório chinês Sinovac, será obrigatória no Estado de São Paulo e o mesmo busca parcerias em mais estados, para colocar a mesma em nível nacional. Sempre repetindo o slogan: ” Coronavac, a vacina chinesa, é a vacina dos brasileiros”.

*De acordo com a RDC 9/2015, são considerados eventos adversos graves:

a) óbito;

b) evento adverso potencialmente fatal (aquele que, na opinião do notificante, coloca o indivíduo sob risco imediato de morte devido ao evento adverso ocorrido);

c) incapacidade/invalidez persistente ou significativa;

d) exige internação hospitalar do paciente ou prolonga a internação;

e) anomalia congênita ou defeito de nascimento;

f) qualquer suspeita de transmissão de agente infeccioso por meio de um dispositivo médico;

g) evento clinicamente significante.

 

Nunes, para Vida Destra, 10/11/2020
Vamos discutir o Tema. Sigam os perfis do Vida Destra no Twitter @vidadestra e o reserva @VidaDestra_Sup

Acompanhe me
Últimos posts por Nunes (exibir todos)
Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Laerte
11 meses atrás

É isso aí, caro amigo Nunes. O importante é alertar.

Luiz Antonio
11 meses atrás

No excelente art. de Nunes p/ s/anota da Anvisa sobre o Coronavac,só posso dizer que Doriana quer implantar a vacina a todo custo,desobedecendo a ag.reguladora. E ainda mais Lewandowski dá 48 hs. P/Anvisa. É o cúmulo!