O futuro do Brasil neste cenário

Já não é necessário teorizar sobre a revolução de Antônio Gramsci. Os acontecimentos atuais são a prova de que a tomada da cultura, das escolas, das igrejas e dos meios de comunicação está dando os resultados previstos. Gramsci nunca disse que seria um processo curto. Ele previu, nos seus famosos Cadernos do Cárcere, que a revolução seria lenta e gradativa.

O atual mapa político da América Latina está absolutamente favorável para a realização dos intentos dos revolucionários socialistas. Sim, a América Latina reúne povos em situação de miséria intelectual e econômica perfeitas para que ainda haja “gentes” que acreditem no tal comunismo. O latino-americano sofre de um grave complexo de vira-lata. Ainda existem seres humanos, por exemplo, no Brasil, que acreditam nos partidos comunistas que, desde os anos 1980, lhes prometem igualdade e distribuição de renda. Sim, os mesmos pobres e oprimidos dos anos 1980 ainda são pobres e oprimidos depois de três décadas de governos socialistas. Os milhões de pobres que foram tirados da pobreza pelo ‘pai’ Lula são a principal prova de que o ex-presidiário e sua quadrilha não tiraram ninguém da miséria; ao contrário, lançaram milhões para a posição abaixo da linha da pobreza.

Gustavo Petro é um Boric cruzado com Lula da Colômbia. Um ex-guerrilheiro que dissemina crenças em políticas globalistas, como Boric, e que já frequentou a cadeia, condenado por seus crimes, como Lula. Não bastasse essa resumida ficha, em seu discurso logo após a vitória, um de seus primeiros atos foi conclamar o judiciário do país a soltar os jovens encarcerados, julgando que estes estão no lugar errado depois de cometerem crimes. Alguma semelhança com alguém?

Em que pese Gustavo Petro ter vencido a eleição na Colômbia sob a desculpa de conservadores de que a abstenção é a culpada, é importante chamar a atenção para a divisão (ou as pirraças) dos pseudoconservadores do país, assim como no Brasil. O número de abstenções ainda é incerto. Há vários divulgados nas redes sociais, aos quais prefiro não dar credibilidade. Porém, sabe-se que a divisão da direita colombiana é a principal causa da derrota. É a velha máxima: se você deixar de votar, será governado por aqueles que foram eleitos pelos que não deixam de votar nunca; a saber, a esquerda fiel e apaixonada.

O mapa da América Latina aponta o Brasil como o último país a cair para o socialismo. Só resta esta grande nação sofrer o golpe para, definitivamente, o Foro de São Paulo consolidar seu projeto da Grande Pátria Latino-americana (URSAL). Por isso, sinto-me confortável em alertar o povo brasileiro, sobretudo aqueles que não votam no PT de forma nenhuma, que desviar o voto para candidatos e partidos nanicos e insignificantes somente para sustentar seu ego ferido é uma autorização para a esquerda socialista arrasar este maravilhoso país, cujo governo impediu a implosão de sua economia por conta das políticas cretinas do “fique em casa, a economia a gente vê depois”.

É necessária uma ação urgente para frear os fatores que não dependem dos eleitores. TSE e STF estão em franco movimento suspeito para uma ação externa de manipulação das eleições no Brasil. Isso não é uma referência a alguma intervenção militar. Raciocine: veja a adesão das pessoas aos movimentos do Presidente Bolsonaro Brasil afora. Ele tem o povo, em esmagadora maioria, ao seu lado. Uma votação extremamente expressiva seria a única forma de conter a fraude, visto que as pesquisas compradas e pagas por aliados da esquerda estão apontando o ladrão como líder absoluto, o que não se reflete em suas vergonhosas aparições em eventos controlados e direcionados exclusivamente para a militância. Com um número de votos esmagador, seria muito constrangedor e deixaria muitos rastros, caso o TSE insista em uma fraude.

Assim, o Brasil, como última força de resistência ao domínio globalista na América Latina, conseguiria dar continuidade ao processo de desenvolvimento iniciado pelo atual governo. Inclusive, não creio que o Brasil seria afetado por ser, talvez, o único país a não tombar ao comunismo no subcontinente. Nosso país caminha para ser a grande potência mundial do agronegócio. A tendência é de que, com a segunda vitória do Presidente Bolsonaro, o Brasil seja o maior exportador de alimentos do planeta, sem que haja qualquer interferência das circunvizinhas republiquetas venezuelescas, visto que o socialismo só trará miséria e fome a estas antes chamadas nações. Entenda-se: países miseráveis só geram imigrantes fugitivos. Esse seria o único (e grande) problema para o Brasil – a quantidade de fugitivos, a exemplo da Venezuela, que escolheriam o Brasil como destino para fugir do flagelo.

 

 

Davidson Oliveira, para Vida Destra, 23/06/2022.
Sigam-me no Twitter! Vamos conversar sobre o meu artigo! ! @DavidsonDestra

 

Receba de forma ágil todo o nosso conteúdo através do nosso canal no Telegram!

 

As informações e opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade de seu(s) respectivo(s) autor(es), e não expressam necessariamente a opinião do Vida Destra. Para entrar em contato, envie um e-mail ao [email protected]
Últimos posts por Davidson Oliveira (exibir todos)
Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Luiz Carlos de Oliveira Arantes
Luiz Carlos de Oliveira Arantes
5 dias atrás

Perfeito.

WELTON REIS DOS SANTOS
5 dias atrás

Pois é, muitos que não acreditam deveriam reconsiderar seus conceitos. Pregaram por muitos anos e até solidificaram o funcionalismo público como meio para alcançar o estado socialista. A maioria que não acredita são justamente os que dependem do estado para a sua sobrevivência. Incharam as prefeituras do país de funcionários CLT, efetivos ou comissionados para por cabestro e guiar o voto a candidato populista e socialista. Sem falar que não existe no Brasil nenhum partido que defenda o liberalismo/capitalismo. E o voto continua obrigatório como Gramsci sempre pregou!