Após algum tempo de confinamento por conta da peste vermelha, o que estamos vemos na TV, na extrema imprensa e nas redes? O que a turma do contra tem feito?

Eles estão torcendo pelo vírus!

A ideia de “eliminar” os que não comungam da mesma ideologia torna-se a regra. Essa era a regra de Marx: desumanizar os inimigos e eliminá-los.

O que chama a atenção é que em sua sanha assassina, eles querem que o vírus “faça o trabalho” sem terem que sujar as mãos.

Causa indignação a matéria do ESTRADÃO sobre o médico e pesquisador francês, Didier Raoult, que publicou em caráter de emergência um estudo em que usou a cloroquina. A própria matéria cita o trecho em que o médico explica sua manifestação:

“Por razões éticas em razão de resultado tão significativo e evidentes” [é que decidi publicá-lo para que fosse avaliado pelo comunidade médica, dado a urgente necessidade de achar uma droga efetiva contra o Sars-Cov-2.] Nosso estudo tem limitações.” (grifei)

No entanto, o panfleto militante prefere atacar a reputação do médico para que não haja interesse em se investigar uma possível linha de cura ou não lhe dêem crédito:

“Virou caso de polícia.” (Na abertura do texto já se percebe sua visão militante.)

“O professor de Marselha parece um gaulês de história em quadrinho. Tem cabelos longos e barba e carrega um anel de motociclista na mão direita. O professor tem um olhar que perscruta o interlocutor. Parece querer cortar a cabeça de quem o contesta só para mostrar que no interior do crânio do oponente não há cérebro.”

“Estudo teve poucos pacientes.”

“O pesquisador é próximo de políticos de direita e de extrema-direita, como o Rassemblement National (RN, extrema-direita), de Marine Le Pen.”

Ora, é claro que o estudo teve poucos pacientes, pois era uma emergência, mas como teve bons resultados era preciso alertar a comunidade científica para investigar mais e SALVAR VIDAS, como a turma do contra tanto alardeia sem dizer que esta salvação é seletiva aos militantes.

E como se comportou a turminha do contra nas Redes?

Colhendo alguns tweets aleatoriamente, entre centenas, vislumbramos esta seletividade e forte  torcida para que o vírus MATE – quem não é esquerdista, claro!

Curioso que não crêem em Deus, mas se põe a orar para que o vírus mate os indesejados direitistas e conservadores. Nenhuma surpresa entre o “povão” da turma do contra.

E os intelectuais? E a nata pensante da turma do contra? Como reagiram?

Novamente, ler matérias e artigos dessa turma causa asco.

Fernanda Torres, filha de famosa atriz, escreveu um artigo para a Folha de S. Bernardo, que é um primor de cinismo:

“A aliança entre o ultraliberalismo econômico e o populismo de extrema direita enfrenta seu primeiro desafio com uma crise que mais parece lição divina. Jair governa para o próprio gueto. Se reinasse na Europa do século 14, pregaria o Apocalipse e incitaria o autoflagelo em cortejos suicidas.”

“Torço para que o centro ressurja dessa emergência. E que o coronavírus, a exemplo da peste negra na Europa do século 14, venha abreviar o obscurantismo medieval travestido de liberal em que nos metemos.”

“Talvez esse vírus seja mesmo o recado de Deus. Deus natureza cansado do ódio, da ignorância. Um Deus farto das trevas e ansioso por um Renascimento.”

Como é curioso que a intelectual ateia cita Deus várias vezes, para no fim, dizer que torce para que esta força divina (que, para ela, não existe) mate apenas aqueles que ela desconsidera.

Destaque para a frase cortada por um ponto que, sendo remontada, deixa clara sua posição:   “Torço para que o centro ressurja E que o corona venha abreviar o obscurantismo liberal” – em outras palavras: “Corona, mate a Direita, PELO AMOR DE DEUS!”

O único a rir desta “piada” é o próprio satanás, com Marx esfregando as mãos ao seu lado.

Felizmente, a melhor reflexão destes dias não é da turma do contra, mas do Papa Francisco que, falando da passagem na qual Jesus acalma a tempestade (Mc 4,35-40) e diz a seus discípulos “Por que tendes medo? Ainda não tendes fé?”:

“(O Senhor) chama-nos a aproveitar este tempo de prova como um tempo de decisão.  E podemos ver tantos que, no medo, reagiram oferecendo a própria vida. É a força operante do Espírito derramada em entregas corajosas e generosas.

É a vida do Espírito sustentadas por pessoas comuns (habitualmente esquecidas), que não aparecem nas manchetes dos jornais e revistas, nem nas grandes passarelas, no último espetáculo, mas que hoje estão, sem dúvida, escrevendo os acontecimentos decisivos da nossa história: médicos, enfermeiros, trabalhadores dos supermercados, da limpeza, transportadores, policiais, voluntários, sacerdotes, religiosas e muitos – mas muitos – outros que compreenderam que ninguém se salva sozinho.”

Entre o medo dos que sonham em casa, com a morte de seus inimigos reais ou imaginários, e a esperança de que juntos poderemos vencer este mal, fico com a Esperança.

PS: Avaliada a pesquisa do Dr. Didier Raoult pela FDA (Food and Drug Administration/EUA – Agência sanitária americana) e Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), ambas autorizaram o uso da Cloroquina como meio seguro de tratamento, ainda que possam surgir medicamentos melhores no futuro.

PS2: Apesar da boa notícia a turma do contra já faz campanha de ódio contra o remédio e a cura, da qual temos vários testemunhos no mundo. Alguma surpresa?

 

Ângelo, para Vida Destra, 01/04/2020

Sigam-me no Twitter! Vamos conversar! @PlenaeVitae

Angelo
Acompanhe me
Últimos posts por Angelo (exibir todos)
Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Cícero de Oliveira
Cícero de Oliveira
2 meses atrás

Baseada em quantos baseados Fernanda Torres destilou tanto ódio?

Gogol
2 meses atrás

Amigo, vamos dar uma colher de chá pra esses falsos artistas: eles estão vendo bilhões de reais indo para saúde e para o socorro de milhões de brasileiros, com reais necessidades, em vez de ir para os seus bolsos, por meio da lei ruaneles. É de partir o coração! 😂😂😂😂😂