Agora, todas as máscaras caíram, e está muito claro, para qualquer um que tenha contato com a realidade, que estamos vendo um golpe em andamento, contra um Governo honesto, eficiente, atuante e legitimamente eleito.

A esquerda, rancorosa e sedenta de “vingança”, perdeu nas urnas, mas não consegue engolir isso, de modo algum. Para não admitir sua derrota, e sua franca decadência, criou uma série de mentiras e calúnias contra o atual Governo, seus participantes e os membros da família Bolsonaro, tentando, por qualquer meio, desacreditá-los e, com isso, inviabilizar os avanços que estão acontecendo.

Tentaram uma fileira de calúnias, como os ataques à Flávio Bolsonaro, as tentativas de conectar a família do Presidente às milícias do Rio de Janeiro, etc. Deu errado. Quando são contrariados, esses birutas colocam a culpa em tudo e todos em volta deles. Se a Polícia Federal investigou o caso, e não encontrou indícios quaisquer de ilícitos, a culpa é da Polícia, mas jamais irão admitir que estão acusando uma pessoa inocente – mesmo que não haja provas, supõem que as narrativas falsas e calúnias que inventaram sejam suficiente!

Tentaram uma CPMI de araque, que acabou explodindo na cara deles, e mostrou para o Brasil todo que estão acusando os outros das condutas que eles tiveram. Querem imputar ao Governo atual uma fraude que eles cometeram nas eleições! Quando desmascarados, ficam realmente histéricos, hidrofóbicos, e ao invés de demonstrar um mínimo de vergonha e decência, repetem a mentira, inventam outras e ainda têm o desplante de dizer que, se cometeram as condutas criminosas para apuração das quais a CPMI foi criada, “foi de forma legal”. Ou seja, como já vimos muitas e muitas vezes, para eles TUDO é justificável!

Atacaram sem dó nem piedade, tentando demolir a figura e manchar a probidade do magistrado que é o símbolo do combate à corrupção, politizando uma questão que deveria ser jurídica. Mas sobre isso nem tem o que falar, é um absurdo completo, uma inversão da realidade e dos valores que devem nortear uma sociedade! Idolatrar um presidiário corrupto e sub-letrado, em detrimento de um juiz probo e atuante é um retrato do que muitos, neste país, são: CÚMPLICES! E como tais devem ser tratados.

Os corruptos, dependentes do dinheiro público, estão engrossando esse coro demoníaco. Afinal de contas, está no Governo um paladino do combate à corrupção, que é Sérgio Moro. Uma boa parte do nosso Congresso é composta por políticos que devem esclarecimentos à Justiça e à população, a começar pelo Presidente da Câmara, um “reizinho” auto-declarado, secundado por um Presidente do Senado cujos inquéritos foram “arquivados” pela cúpula do Judiciário, que parece manter uma simbiose de ocasião com esse Legislativo.

As evidências disso estão nas condutas dos “nobres parlamentares”. Era preciso votar a Reforma da Previdência, questão mais urgente que se pôs ao início do Governo. O fizeram com muita má-vontade, tentando “desidratar” essa reforma no que fosse possível e, inclusive, declarando que não entregariam a reforma necessária para o país, porque isso levaria à reeleição do atual presidente. Ainda é preciso uma Reforma Administrativa e uma Reforma Tributária, que eles NÃO votam. Impõe-se a questão da prisão em 2ª instância, que eles recusam peremptoriamente por em pauta! Por que, perguntem-se? Porque essas reformas não interessam a eles, que veriam a “fonte” do abundante dinheirinho dos contribuintes secar. Porque poderia até moralizar o serviço público, vejam que absurdo! Pergunto: com prisão em 2ª instância, muitos “nobres parlamentares” poderiam ser presos? Acho que todos sabem a resposta…

Não obstante, em sentido contrário à vontade da maioria da população, foram especialmente céleres em votar a Emenda Constitucional 105/19, que lhes garantiu acesso ao dinheiro público através das “emendas individuais” (escrevi sobre isso à época e fui amplamente atacado, até por um senador), votaram rapidamente a famigerada “Lei de Abuso de Autoridade”, uma monstruosidade jurídica que tem a finalidade evidente de dificultar a ação da Polícia, nas investigações policiais e na ação do Judiciário, criaram uma figura esdrúxula, de “juiz de garantias”, que não se coaduna com nosso processo penal, e que somente traria mais gastos públicos e mais lentidão aos trâmites investigatórios e judiciais. Ou seja, fica óbvio, para todos, que esse Congresso só vota as pautas que interessam a eles, “nobres parlamentares”, mas que não interessam, nada, à maioria do povo! Mas que “casa do povo” é essa? Merecem apenas nosso repúdio!

A imprensa, moribunda, vendo sua credibilidade despencar, também está gritando contra o Governo por tudo e por nada, com indignação seletiva, endossando mentiras e calúnias, especialmente porque, sem dinheiro público, essas empresas não vão sobreviver. Ou por questões ideológicas mesmo, porque se agarram ao ódio que o socialismo incute na cabeça obliterada dos acólitos dessa doutrina nefasta.

Daí uma “jornalista” militante cria um factoide, logo após as eleições, acusando o atual Governo de uma fraude. Que o atual presidente teria sido eleito por conta de “conteúdo impulsionado” no Whatsapp e em outras redes sociais.

Pois bem. Primeiro, o próprio Whatsapp desmentiu. Depois, o TSE julgou improcedente a ação que imputava essa fraude à campanha vitoriosa nas eleições, ação esta intentada pelos partidos de esquerda que foram derrotados, destaque-se.

Não satisfeitos com o resultado da ação, criaram uma CPMI de araque. E nela, dois depoentes declararam, em alto e bom som, de forma firme e metálica, que a “jornalista” mentiu! E ainda por cima, quem fez amplo uso de conteúdo impulsionado na internet foram justamente os partidos de esquerda e os do “centrão”.

Então, o que os demais “jornalistas” fazem? Repudiam a tentativa, malfadada, dessa “jornalista”, de atentar contra a estabilidade institucional do país, com uma calúnia? Não! Consideram que essa “jornalista” foi “injustamente atacada”, e tentam ir à forra de uma falsidade que esta criou! Mas é de tal forma surreal que causa tontura! A esses “indignados”, somaram-se o Presidente da Câmara, o Presidente do Senado, os governadores, o presidiário sub-letrado e até um animador de auditório! Um óbvio e ululante complô, para desestabilizar o Brasil.

Mas a “cerejinha do sunday” foi um senador da República, socialista, tomar de uma retroescavadeira e investir contra grevistas e seus familiares! Não interessa que isso tenha sido tentativa de homicídio coletivo, não é? Não interessa que tenha causado lesões corporais em um monte de pessoas. A “causa” dele era justa, afinal, estava investindo contra “bandidos”, não é? Ah, mas é demais…

Duas coisas erradas não fazem uma certa! Se a greve é ou não ilegal, se as condutas dos grevistas e dos policiais têm que ser apuradas, tudo bem, há o foro adequado para isso. Mas NUNCA tomar a justiça nas próprias mãos e cometer crimes contra a vida e contra a incolumidade alheia! NÃO HÁ JUSTIFICATIVA PARA A BARBÁRIE!

E diante de mais essa, o que a imprensa diz? Que esse é o “jeitão” do famigerado senador… que os grevistas são criminosos, que mereciam isso! Mas será uma loucura coletiva, mesmo? Avançar para cima de outrem com uma retroescavadeira é uma conduta justificável para essa imprensa doente!

O mesmo disseram os “nobres parlamentares”. Ora, o Senado manifestou apoio ao violento tentador de homicídios múltiplos! Estarrecedor!

E é fácil constatar isso como são seletivos na indignação e loucos por sangue e destruição alheios: vamos supor que fosse o Presidente Bolsonaro dirigindo essa maldita retroescavadeira. Alguém tem dúvida do que iria acontecer?

Daí, não dá mais, mesmo! Essas pessoas, que se agarram ao ódio como se isso fosse um prêmio, que só fazem tentar destruir e não criam nada que se aproveite, merecem nosso amplo, declarado e destacado repúdio! Nossa profunda repugnância!

Dia 15 de março, todos às ruas! Quem puder ir à Brasília, o faça! Vamos mostrar nossas caras, vamos deixar clara nossa indignação com tudo isso!

Fábio Talhari, para Vida Destra, 21/02/2.020.

Sigam-me no Twitter! Vamos debater o assunto! @FabioTalhari

Fábio Talhari
Últimos posts por Fábio Talhari (exibir todos)
Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Luiz Felipe Fernandes
Luiz Felipe Fernandes
4 meses atrás

Parabéns!

Gustav Lutz Filho
Gustav Lutz Filho
4 meses atrás

É isso, Fábio! Uma síntese pedagógica de tudo que temos analisado no TT. Todos os “fragmentos” de nossas postagens aqui estão – falta nada! Sem reparos. Parabéns!

Celina Limeira
Celina Limeira
Reply to  Gustav Lutz Filho
4 meses atrás

Excelente texto. Verdadeiro

Ruy Monteiro
Ruy Monteiro
4 meses atrás

Beleza de análise, Fábio!

María Valarini
María Valarini
4 meses atrás

Clarito como el agua limpia, felicitaciones.

Mauro Tagliari
Mauro Tagliari
4 meses atrás

Brilhante como sempre caríssimo primo. Um abraço.

Cristina
Cristina
4 meses atrás

Fábio, boa tarde! Espero que esse teatro dos irmãos cangaçeiros não vire pizza. Eles se acham donos do estado e quiçá do país. Vamos as ruas sim! Brilhante texto!!!

Marcia Gomes
Marcia Gomes
4 meses atrás

Parabéns Fábio! excelente artigo .???

Maria Cristina Torrano
Maria Cristina Torrano
4 meses atrás

Que maravilha!!!! Estou extasiada com esta análise. Clara e cristalina! A minha vontade é imprimir esse texto e distribuir nas ruas!Perfeito! Parabéns Fábio.?????
#Dia15EuVou

Gulka
Gulka
4 meses atrás

Parabéns! Brilhante!

Roberto
Roberto
4 meses atrás

Brilhante comentário, retratando a realidade nua e crua, em todas as nuances.

Alexandre Schunck
Alexandre Schunck
4 meses atrás

Excelente análise Professor.

Penso que já está mais do que na hora de repudiarmos com veemência as chantagens desse Congresso, sob pena de um prejuízo ainda maior, se não o fizermos.

O Presidente tem nosso apoio desde antes das eleições gerais, além do reforço deste, as manifestações devem deixar claro que não apoiamos a maneira como o Congresso e STF estão conduzindo suas funções.

O desrespeito às instituições parte deles, quando não deixam o chefe do executivo, através de manobras, exercer sua principal função que é Governar.

Obrigado por esse maravilhoso texto.

Sucesso.