Uma única atitude que possa caracterizar os que se dizem modernos, atuais e politicamente corretos é a presunção de que aos olhos dos outros eles detém a certeza moral.

Todos nós que questionamos o pensamento único, aos olhos destes atores que envolvem a Justiça, políticos, artistas, celebridades e sub, jornalistas, cronistas, etc., somos homofóbicos, membros de uma nova seita nazista, prontos a alicerçar o mundo com o terror, o medo e a perseguição.

Não podemos deixar de citar que durante quarenta anos ou mais, estes que se dizem defensores da Liberdade, sempre estiveram determinados a varrer a verdade da historia.

Sempre fizeram uso da cultura e da educação em todos os governos dos quais participaram, para estabelecer uma verdade hegemônica e única.

Agora, chegou a vez de acabar com o livre arbítrio, com a autoridade individual que cada ser humano tem para definir e decidir seus atos.

É como diz Ben Shapiro (editor chefe do Daily Wire): este tipo de demanda por certezas absolutas, está derrubando a civilização e mostrando que alguns homens adoram comandar pela força e não pelo convencimento dos argumentos.

Ao longo dos séculos, a custa de muito sangue e lagrimas, aprendemos que não existe verdade absoluta, pois, depois de tantas Cruzadas, o que vemos atualmente em Jerusalém?

Também tivemos em nossa historia fases monstruosas e hostis ao livre pensamento, quando lembramos outro período negro da historia, um dos mais horripilantes que é a Inquisição.

O Ocidente teve que ultrapassar estas tentativas enlouquecidas do homem em tentar impor uma verdade por séculos, para chegarmos ao tempo dos fundamentos judaico-cristãos, fundamentos estes que fizeram com que a Ciência pudesse florescer.

A partir destes fundamentos, toda e qualquer descoberta cientifica não era vista como perigosa, era sim publicada e discutida em palcos científicos e se apresentava à sociedade como um desafio ao pensamento, a reflexão para posterior decisão.

Mas vamos prosseguir nesta reflexão que faço com vocês, caros leitores.

A ascensão da ciência também deu destaque aos liberais, ou seja, a liberdade humana se tornou marca deste movimento chamado Liberalismo.

Quem se diz liberal, age com a prepotência dos déspotas?
Quem é liberal impõe regras a revelia dos fatos?

Vejo com profunda tristeza que a sabedoria recebida por séculos foi jogada na lata do lixo pela maioria da sociedade.

Rejeitar como absolutamente falso tudo aquilo em que pudesse imaginar a menor dúvida, se tornou atualmente perigoso.

É proibido usar do ceticismo, característica que unia liberais e conservadores. Vivemos séculos de descobertas e evoluções; e estas descobertas foram frutos da dúvida, da reflexão oriunda por ler e ouvir mentes brilhantes, e o homem era livre o suficiente para pensar e decidir seu presente e o seu futuro; enfim, sua vida em função destas características que trouxeram luz à civilização.

Quero aqui lembrar Nicolau Maquiavel (1469 – 1527), que olhava com ceticismo os disfarces ao comportamento opressor exercido pelo próprio homem.

Em seu livro intitulado O Príncipe, ele zomba de movimentos representados por homens que se dizem acessíveis, virtuosos, dispostos a governar um Estado ouvindo seus súditos. Na verdade eles são déspotas que mentem por conveniência.

Segundo Maquiavel, os seres humanos quando estão no poder, não são movidos pela razão, rejeitam tacitamente as virtudes sempre ditas como essenciais por Platão para que a Republica não sucumba.

Agem por soberba, pela cegueira provocada pelo ego, pela centralização de Poder e assim o fazem pois acreditam que não serão alcançados pela verdade.

Para que possamos controlar o ímpeto de homens que possuem uma verdade única, devemos pressupor que eles são maus e que usarão de sua malignidade toda a vez que tiverem oportunidade.

É o que vemos atualmente, através das decisões da Justiça.

Se as vacinas não são experimentais, por que aceitar que os laboratórios se eximam de responsabilidade por efeitos adversos ou ate mesmo o óbito?

Os defensores da verdade única, dizem que raramente povos livres não podem decidir, pois, em algum dado momento, será necessária a opressão disfarçada de liberdade para decidirem suas vidas, e as exprimem com a docilidade dos canalhas.

Os Deuses do Olimpo estão dizendo a vocês, caros leitores, que estão a usurpar seu direito de decidir, mas que vocês são livres.

Entretanto, afirmam que se você não fizer o que eles querem, você não terá direito a ir e vir, a ter saúde, educação, segurança, enfim, você é livre para decidir!!!!

Você é livre para ficar preso dentro de sua casa. Como eu gosto de quem se diz liberal!!!

Estes Deuses afirmam categoricamente que a autoridade do Estado não deriva da autoridade do povo.

Vocês não percebem que a razão foi rebaixada pela opressão do pensamento único?

Milhões, repito, milhões de pessoas concordam com este tipo de comportamento doentio e sombrio.

Eu vivo isto atualmente entre amigos, colegas de trabalho e família.

Quando ouço de pessoas que muito respeito que é necessária a vacinação obrigatória e que os cidadãos que não quiserem tomar vacinas, devem sim ser excluídos, tenho algumas certezas: a primeira, é que se estas pessoas, que se dizem cristãs, não leram na Bíblia a passagem de Cristo nos leprosários e não entenderam ate hoje o que o testemunho dos apóstolos quis demonstrar em relação às atitudes e comportamentos de Cristo.

A soberania popular foi extinta. Os mandamentos de Cristo, jogados no lixo por quem se diz cristão. A Fé foi tomada pelo medo.

Mas terá gente que dirá que eu sou um negacionista, pois estou a falar contra as vacinas. O que não é verdade.

Minha filha tem a melhor carteira de vacinação que uma criança poderia ter. Porém, somente autorizo as vacinas que tem ampla comprovação de não letalidade, e de efeitos adversos leves. Que pai faria diferente?

Acompanhem comigo um raciocínio simples: se as mascaras funcionam, por que necessitamos ficar a dois metros de distancia? Se esta distancia é segura, por que a necessidade de mascaras? Se ambos os quesitos funcionam, por que tivemos lockdowns?
E se os três quesitos funcionam, por que temos que aceitar tomar vacinas onde as clausulas de responsabilidade foram excluídas?

Existem infelizmente pessoas incautas com o experimento sociológico e cientifico a que estão sendo submetidas. Mas aqui faço um apelo antes de me despedir: seus filhos são insubstituíveis. Exijam que esta situação seja debatida à exaustão!

Caso queiram colocar mais uma vacina no calendário anual, não sou contra desde que possamos ter acesso aos documentos que os laboratórios enviaram a FDA nos EUA, solicitando 55 anos de confidencialidade.

Por que pedir 55 anos de confidencialidade para vacinas tão seguras?

Sugiro a quebra das patentes destas vacinas e investigar a fundo esta historia.

Afinal, caros leitores, vocês não se importam com a tentativa de esconderem dados de vocês? Não se importam em questionar? Obedecem mansamente?

Triste deles, mas como eu ainda tenho voz e raciocínio, sou cético e me atrevo a ler e a ouvir todos os pontos de vista para então decidir.

Mas falta combinar isto com os russos certo?

 

 

Paulo Costa, para Vida Destra, 03/01/2022.                                                            Vamos debater o meu artigo! Sigam me no Twitter: @PauloCostaOfic2

 

Receba de forma ágil todo o nosso conteúdo, através do nosso canal no Telegram!

 

As informações e opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade de seu(s) respectivo(s) autor(es), e não expressam necessariamente a opinião do Vida Destra. Para entrar em contato, envie um e-mail ao [email protected]
Últimos posts por Paulo Costa (exibir todos)
Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Lia Crespo
7 meses atrás

Parabéns pelo artigo, Paulo!

Vera Luca
Vera Luca
7 meses atrás

Estamos vivendo na expectativa de que um dia seremos forçados a tomar essa injeç@o letal… espero apenas que demore