Sou convicto, caros leitores, que cabe ao povo deste país decidir, levando-se em conta o exemplo, a conduta e postura, se somos uma sociedade composta por pilares exemplares de Justiça ou de Despotismo.

Somos capazes de não somente elegermos um bom governo, mas darmos guarida a ele, através da reflexão que é oportuna fazer há tempos, sobre comportamentos inapropriados que são “protegidos” por uma estrutura política que não foi constituída por acaso?

Por imposição de oligarcas que usam estas marionetes instaladas no Poder, tanto no Legislativo como no Judiciário, se vocês considerarem haver alguma verdade no que digo, a crise que foi inoculada em nossa sociedade pelo Mecanismo, é na verdade uma excelente oportunidade para nós. Nas crises surgem os melhores exemplos de coragem e de zelo pela Democracia.

Oportunidade para tomarmos uma decisão que deve refletir o fim do grande infortúnio para todos nos, pois escolhas equivocadas feitas para os mais altos cargos em nosso Judiciário e Legislativo geram em todos nos um sentimento patriótico, uma motivação patriótica para combater uma sanha imoderada, apaixonada pelo pensamento único.

Falar em Pátria é sempre desdenhado por quem tem asco pela Liberdade de opinar e decidir levar a vida com autonomia. A melhor hora para guiarmos nossas escolhas é agora, já que temos que ponderar quais são nossos interesses; fazendo uma avaliação calcada e isenta.

As reflexões e considerações que estejam vinculadas ao bem publico são as que devem imperar a uma sociedade que tem interesse no crescimento do país como nação que deve obrigatoriamente ser soberana e democrática. Mais uma vez os algozes da democracia desdenharão das palavras soberania e democracia. Tudo bem, já me acostumei à falta de compreensão. O jogo é sujo.

Mas voltemos ao tema principal. Não podemos esperar cair dos céus as mudanças que a maioria da sociedade quer. Somente desejar ardentemente não ajudará em nada a causa. A verdade inequívoca é que necessitamos de uma nova Constituição e os maiores obstáculos estão nestes dois Poderes por mim citados.

O que vemos é que existe um obvio interesse particular destes personagens que participam e decidem nossas vidas. É uma casta de pessoas que não aceitam e não querem a diminuição de poder, de importância, de remuneração, de benefícios ou de influencia. Este comportamento se tornou uma ambição depravada e rasa.

O conceito que habita as mentes destas pessoas está fundamentado no caos e confusão que geram em instituições publicas, invadindo competências, se omitindo em questões cruciais, seja por covardia ou rabo preso, enfim, más intenções não faltam. Percebam que estes entes públicos se locupletam pela desordem que eles mesmo provocam.

Não é desonesto afirmar que estas pessoas representam o que há de pior em nossa sociedade, pois tanto no campo da política ou da religião, eles querem conquistar adeptos a qualquer custo, mesmo que para isso seja necessário calar pessoas, veículos de comunicação, etc. Está no sangue ser despótico!!

Paixões raivosas e malignas, discursos ferozes que tentam criar leis e penas, acusações infundadas para manchar reputações. Este é o método desta casta. Existe entre nós um temor que não é nada excessivo sobre o direito das pessoas, do ser humano. Não somente aqui, mas no mundo.

Entretanto, está em nossas mãos não deixar se repetir aqui, fatos que transformaram o ser humano em um experimento, no campo da Ciência, da Política e da Justiça, eliminando os direitos, ate os mais comezinhos.

Estão testando nossos limites.

Nossa Justiça distorceu a Constituição, as leis, os julgamentos; e creem que não serão contestados, pois agem com coação, terror, exploram o medo das pessoas da forma mais covarde. Não aceitam o debate,  o contraditório é crime atualmente.

Mas se nós fizermos como faz Augusto Nunes, teremos a chance de mostrar que a ambição desmedida, a avareza para com o bem geral da nação, a oposição partidária fruto da ideologia política, praticada por gente despreparada e mal intencionada terá fim.

Precisamos dar um basta a estes experimentos ditatoriais.

O que digo caros leitores é que este espirito intolerante à democracia, à liberdade, à opinião, é um comportamento que leva ao engodo, à fácil simpatia de que tudo é pela vida, por vocês, pois justificam suas tiranias para obterem alguma popularidade.

Mas fracassam em seus métodos. Tudo há de ter limite. O bom senso, a moderação e o profundo conhecimento são letras mortas para os “Donos do Poder”. Devemos apoiar este governo que é consciente dos limites de autoridade e eficiência, práticas que há tempos foram esquecidas por membros dos dois outros Poderes.

Busco humildemente alertá-los de que Augusto Nunes tem entre outras qualidades a sinceridade, a coragem de dizer a nós que alguns entes públicos estão destruindo nossas liberdades. Sejamos tão sinceros quanto o Augusto: sabemos que estas pessoas sempre foram servis ao Mecanismo mas nunca ao povo.

Assim sendo, peço que apoiem pessoas como Augusto Nunes e termino pedindo a vocês: precisamos nos unir para ajudar pessoas que querem unicamente a prosperidade política, baseada em bons costumes, em respeito às Leis e à Justiça, à Opinião, colocando freios nestes experimentos ditatoriais.

Que venha uma nova Constituição Federal e que nela esteja contida de forma CLARA e INEQUÍVOCA os freios necessários para os Três Poderes; e principalmente para aqueles que se acham acima de qualquer Poder.

 

 

Paulo Costa, para Vida Destra, 15/11/2021.
Vamos debater o meu artigo! Sigam me no Twitter: @PauloCostaOfic2

 

Receba de forma ágil todo o nosso conteúdo, através do nosso canal no Telegram!

 

As informações e opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade de seu(s) respectivo(s) autor(es), e não expressam necessariamente a opinião do Vida Destra. Para entrar em contato, envie um e-mail ao contato@vidadestra.org
Últimos posts por Paulo Costa (exibir todos)
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments